Sidebar

30
Thu, Mar

Entre em contato : blogipolitica@gmail.com

Viaturas 1 Ipolitica
 
Ainda nesta quarta-feira, 29, em Itabuna, o governador entregou viaturas para unidades das polícias Civil e Militar e do Corpo de Bombeiros de municípios da região. Um total de 16 viaturas foi destinado à Polícia Civil de Buerarema, Camacan, Canavieiras, Coaraci, Maraú, Ubaitaba, Ilhéus, Itabuna, Itajuípe e Iguaí. Foram entregues outras 20 viaturas para as unidades da Polícia Militar dos municípios de Itabuna  Ilhéus  Camacã, e Itacaré e Ibicaraí. Enquanto os 4º e o 5º Grupamentos de Bombeiros Militares receberam dois desencarceradores, dois veículos e dois notebooks para controle das operações. 
 
Viaturas 2 Ipolitica
Entre 2015 e 2017, o Governo da Bahia já entregou mais de 1,6 mil viaturas para as polícias Civil e Militar, totalizando um investimento de R$ 201 milhões. Outras 480 viaturas ainda estão sendo entregues em todo o estado. De acordo com o secretário da Segurança Pública, Maurício Barbosa, o investimento potencializa as ações de redução nos índices de violência no estado.

 

carros abandonados

A partir de abril, a prefeitura de Ilhéus dará início à retirada de carros abandonados se encontram nas ruas e avenidas de Ilhéus. A ação será realizada no contexto da ‘Operação Cidade Limpa’, sob o comando da Superintendência de Transporte e Trânsito (Sutran).

De acordo com a prefeitura o objetivo da operação é proteger a população, evitando que esses veículos abandonados por longo período sirvam de criadouro do mosquito da dengue ou utilizados por marginais. 

os agentes de trânsito vão intensificar rondas no perímetro urbano. Durante as abordagens, os agentes de trânsito vão também conscientizar os proprietários dos veículos automotores abandonados quanto às consequências para a saúde e segurança da população.

A retomada do veículo pelo proprietário somente será autorizada mediante apresentação da documentação, em situação regular, e o pagamento dos custos com o guincho e diárias de estacionamento no pátio.

Rui Costa em Itabuna

Nesta quarta-feira, 29 Itabuna recebeu a quarta reunião da Caravana do Pacto pela Vida (PPV) no interior do estado. O governador Rui Costa se reuniu com representantes de órgãos e entidades da segurança pública estaduais, além de autoridades dos poderes Judiciário e Legislativo, para articular ações integradas destinadas à redução dos índices de violência e medidas de prevenção social para a população vulnerável.

Juízes, promotores, defensores,  delegados e oficiais da PM sugeriram melhorias para os sistemas judicial e de segurança pública. Várias medidas foram anotadas e iremos encaminhar algumas delas já em curto prazo, a exemplo da instalação da Ronda Maria da Penha, para cuidar dos casos de violência doméstica. No prazo de 30 dias, nós vamos instalar a Ronda aqui em Itabuna", anunciou o governador. 

aetu ipolitica

Após responder que o serviço ainda é ruim, João Duarte, diretor da Associação das Empresas de Transporte Urbano de Itabuna (AETU), adiantou a vereadores que um projeto, em fase de conclusão, vai mudar o transporte coletivo itabunense. A declaração veio durante sessão especial nessa terça, 28, na Câmara Municipal. 

Conforme Duarte, até maio deste ano, a proposta deverá ser apresentada ao prefeito Fernando Gomes. O diretor antecipou algumas mudanças como novo sistema de bilhetagem onde qualquer assento será considerado prioritário para idosos; além disso, a AETU disponibilizará aplicativo onde o passageiro vai monitorar, por GPS, o itinerário dos ônibus e horário previsto de embarque.

As empresas negaram que tenha havia redução na frota justificando que trabalham com a meta de 27 mil viagens mensais, estabelecida pela Prefeitura. Indagada sobre a renovação da frota, a AETU garantiu que, em 15 dias, os 26 veículos novos já estarão rodando na cidade. 

Usuários com deficiência queixaram-se da falta de acessibilidade nos ônibus (em muitos os elevadores sequer funcionam) e do incômodo de ter que comprovar, anualmente, a condição de cadeirante para renovar o passe livre.

Encostas Ipolitica

A Prefeitura de Itabuna retomou as obras contenção de encostas da Avenida Juracy Magalhães, no trecho do acesso à Rodovia Jorge Amado (BR 415). O projeto tem sua previsão de término para mês de setembro deste ano. Os recursos da obra, na ordem de R$ 3.122.320,16, são oriundos do Ministério da Integração Nacional com contrapartida da Prefeitura de 20% do valor total da obra, além de ser responsável pela execução dos serviços.

De acordo com a Prefeitura inicialmente estão sendo realizados os trabalhos que envolvem demolição de pedras e análise de movimento de terras. Dinailson informa que a obra deverá avançar ao longo dos próximos meses, resolvendo uma antiga demanda dos moradores daquela localidade.

A Central de Regulação da Secretaria de Saúde de Itabuna, que estava localizada na Rua Barão do Rio Branco, no Alto Maron, será transferida para um novo endereço, na Avenida Inácio Tosta Filho, região central da cidade.

A inauguração do novo espaço será nesta quarta-feira, 29, às 18 horas. De acordo com a prefeitura, o novo prédio trará melhorias nas condições de trabalho dos funcionários e na qualidade dos serviços prestados aos munícipes.

A Central de Regulação funciona com a finalidade de coordenar a oferta de ações e serviços de saúde e adequá-las às necessidades demandadas pela população, oferecendo a melhor alternativa, considerando a disponibilidade assistencial do momento.

patrick ipoliticaO PMDB de Itabuna, definiu nesta terça-feira, 28, o nome que será apresentado ao prefeito Fernando Gomes para assumir a Secretaria de Desenvolvimento Urbano do município.

Trata-se de Patrick Olbera Monteiro, 38 anos, engenheiro civil e de segurança, nascido na Alemanha, naturalizado brasileiro. Ele é graduado em engenharia civil, engenharia de segurança do trabalho e engenharia rodoviária.

Aprovado pelas principais lideranças do partido em Itabuna, Fernando Vita, Pedro Arnaldo Martins e Antônio Cavalcante, o nome de Patrick será avaliado pela equipe do prefeito ainda esta semana.

 

 

Ricardo Campos IpoliticaRicardo Campos terá que devolver R$594 mil

Os conselheiros do Tribunal de Contas dos Municípios rejeitaram, na sessão desta terça-feira (28.03), as contas da Empresa Municipal de Água e Saneamento S/A – EMASA, de Itabuna, na gestão de Ricardo Campos Pereira, relativas ao exercício de 2015.

O relator do parecer, conselheiro José Alfredo Rocha Dias, multou o gestor em R$5 mil e determinou o ressarcimento aos cofres municipais da quantia de R$594.205,63, com recursos pessoais, em razão do pagamento indevido de juros e multa (R$126,47), gastos irregulares com publicidade (R$2.100,00) e não comprovação de pagamentos (R$591.976,16).

A punição foi aprovada por todos os conselheiros. O motivo principal para a rejeição das contas foi a ausência de comprovação de pagamento realizados no mês de janeiro, no valor total de R$591.976,16, sendo que o gestor não apresentou qualquer justificativa para a irregularidade mencionada.

O conselheiro José Alfredo Dias, que examinou detidamente as contas, advertiu que a situação da empresa é de insolvência e que, em razão da má gestão, a dívida que se acumula é gigantesca. Observou ainda que seus gestores deixaram de cobrar débitos que somam cerca de R$42 milhões, entre os quais, R$6 milhões que são devidos pela o Santa Casa da Misericórdia. Cabe recurso da decisão.

Obra no Sarinha IpoliticaChico França não havia sido sequer avisado sobre a obra (Foto: Jackeline Mendes)

Uma áspera briga entre o então secretário de desenvolvimento urbano da prefeitura de Itabuna Chico França e o vice-prefeito Fernando Vita que culminou com o pedido de demissão do ex-secretário não foi, na verdade, o único motivo de sua saída.

De acordo com informações colhidas pelo Blog Ipolítica, uma obra que cortou todo o Paty até o bairro Sarinha, na semana passada, foi a maior responsável pelo pedido de exoneração do secretário.

Máquinas e homens do município iniciaram a obra sem nenhum aviso prévio, sem levar em conta o trânsito intenso na região. De acordo com informações, o então secretário Chico França estava recebendo inúmeras reclamações, quando resolveu se dirigir ao local por não saber que obra era esta.

Conforme apurado pelo Blog, Chico França foi avisado que a obra seria da responsabilidade e execução da Secretaria de Administração, comandada por Dinailson Oliveira, sobrinho do prefeito e foi aconselhado e não se meter na questão.

Chico França procurou saber o porque de uma obra desta não ter ao menos o conhecimento do secretário da pasta. Com muito custo, foi descoberto que a polêmica obra era pra ter sido realizada há dez anos, no quarto mandato de Fernando Gomes, mas que somente agora receberia a fiscalização do Tribunal de Contas. De acordo com informações, existe um processo judicial por trás disso. O secretário há época, era Rogério Peixoto.

No mesmo dia, amigos próximos a Chico relatam que ele foi a prefeitura entregar sua carta de demissão ao prefeito, mas antes houve uma discussão violenta com o vice-prefeito Fernando Vita sobre a manutenção na secretaria de Sóstenes Vilas Boas. Como Chico tem pavio curto...

       Elton Oliveira 1                                       Prof. Elton Oliveira* |

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

O filósofo e sociólogo francês Henri Lefebvre de 1901 a 1992 deixou importante legado para os estudiosos do urbano e da cidade em sua extensa obra, referida em numerosas investigações que buscam uma compreensão do processo de urbanização contemporânea. Considerado um intelectual de inteligência excepcional, vinculou-se a um projeto de superação da filosofia clássica, mediante uma crítica lógica e formal. Destacou-se como um dos representantes do Urbanisme e teve nítida influência no movimento urbano situacionista.

Suas publicações tiveram início nos anos de 1920 e, desde a década seguinte, o autor redescobriu os textos do Jovem Marx e de Hegel e retornou a dialética e a teoria das contradições. Engajou-se no partido comunista em 1928, no qual exerceu profunda influência filosófica e permaneceu por três décadas. A ruptura com o partido deu-se com a publicação de Problemes Actuels du Marxísme e, a partir da década de 1960, Lefebvre passou a interessar-se e a escrever sobre a cidade, quando a construção da cidade-nova de Lacq-Mourenx, situada nos Pirineus Atlânticos, próxima à sua residência, exerceu impacto significativo em sua visão sobre as questões urbanas. Também, os seus textos e sua atuação foram extremamente relevantes para a criação do Instituto de Sociologia Urbana, um dos primeiros centros permanentes de pesquisa urbana. Ele foi ainda um dos fundadores da revista Espace et Socíétés, em 1970.

O livro Direito à Cidade constitui um marco nos debates relacionados às questões urbanas de um modo geral e ao urbanismo, sendo acionado por estudiosos do espaço das cidades e distintos urbanistas. O autor assinala que as questões e reflexões urbanísticas desprenderam-se dos ambientes dos especialistas e dos intelectuais, tornando-se domínio público ao ser divulgadas em artigos e jornais e livros, com aspirações de amplo alcance. O seu objetivo, neste livro, também ultrapassa a preocupação com os debates acadêmicos. Ambiciona introduzir a problemática urbana na consciência e nas propostas de políticas públicas.

Trata-se de um texto datado que, referido ao processo de urbanização, retoma aspectos da cidade oriental e relativa ao modo de produção asiático, da cidade arcaica grega e romana, da cidade medieval e da cidade capitalista, focalizando o capitalismo industrial. Centra a análise da urbanização ocidental e enfatiza a industrialização, que caracteriza a sociedade moderna. Assim, o estabelecimento da cidade capitalista, industrial, constitui aspecto crucial para desencadear sua reflexão sobre a cidade contemporânea, considerada em seus processos de adensamento, centralização e descentralização de funções, quando se verifica a criação dos subúrbios e as classes trabalhadoras, afastadas da cidade, acabam perdendo o sentido da obra, isto é, a consciência urbana.

Finalizando, verificamos que as primeiras considerações acerca do direito à cidade remontam à Paris na segunda metade da década de 1960, quando Henri Lefebvre lançava sua reflexão sobre a desintegração da vida comunitária da cidade promovida pelo urbanismo positivista e sobre a existência em se criar uma vida urbana alternativa dentro do contexto alienador da lógica racionalista do planejamento expresso, naquele momento, na resignificação de locais tradicionais para a construção de novos aeroportos, novos portos, novas rodovias ecológicas, novos hospitais, novos bairros, novas pontes, marinas, vias e edifícios altos, mudando por completo a paisagem e o cotidiano da cidade, promovendo uma destruição criativa do locus. Se Lefebvre estivesse em atividade na pós-modernidade e/ou modernidade líquida, afirmaria categoricamente que, nesta nova e inédita fase do capitalismo que é a indústria cultural, as cidades que mais irão receber inversões em infraestrutura seriam as ditas cidades turísticas que também são conhecidas como Destinos ou Núcleos Receptores.

*Articulista, economista, bacharelando em direito, mestre em cultura & turismo, professor universitário.

 

mototaxistas itabuna ipolitica

O vereador Francisco Edes (PRB) criticou a falta de fiscalização da Secretaria de Transporte e Trânsito (Settran) em relação aos mototaxistas clandestinos que circulam em Itabuna.

Segundo o vereador a atuação desses condutores “está prejudicando quem trabalha regularizado”. O vereador denunciou também os preços abusivos cobrados por vários profissionais, tanto legalizados quanto irregulares. Muitos, chegam a cobrar R$ 12 em uma corrida do bairro de Fátima ao São Caetano.

Nesta segunda-feira, a Settran cassou 159 licenças/alvarás de mototáxis que foram convocados para vistoria e não compareceram. A lista foi publicada no diário oficial do município. Veja (AQUI).

Prefeitura de Ilhéus Ipolitica

Considerando que o processo de investigação denominado operação Citrus, do Ministério Público da Bahia (MP), atingiu diversos fornecedores do Município, o prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, declarou Estado de Emergência administrativa no âmbito da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) até o dia 8 de maio de 2017 e suspendeu os contratos e pagamentos de todas as empresas envolvidas na operação. Neste período, conforme o decreto, a SDS suspenderá o atendimento ao público, mas manterá o expediente interno e o encaminhamento de casos urgentes.

Os contratos suspensos são vinculados às empresas Marileide S. Silva de Ilhéus, Thayane L. Santos Magazzine (Me), Mariangela Santos Silva de Ilhéus (Epp), Andrade Multicompras, Global Compra Fácil Eireli (Epp), Andrade Sat Livraria e Papelaria Ltda (Epp) e Noeval Santana de Carvalho (Me), implicadas na investigação.

Em virtude da suspensão dos contratos, que forneciam bens à Prefeitura, e do andamento de processos licitatórios, o prefeito autorizou à Secretaria a promover contratações dos serviços e aquisições de bens com base no artigo 24, inciso IV, da Lei 8.666/93. Mário Alexandre ainda alterou oexpediente na Secretaria de Administração, pelo período de vigor do Estado de Emergência, para funcionar das 8h30min às 12 horas e das 13h30min às 18 horas, a fim de dar andamento às licitações. 

No Decreto, o prefeito de Ilhéus considera que as revelações trazidas pela investigação do MP “obriga a municipalidade a adotar medidas que preservem o erário público” e que “até a data de 21 de março do corrente ano, a presunção que se apresentava sobre as contratações, objeto da investigação, era de legalidade e moralidade vez que todas foram precedidas de processo administrativo licitatório.”