Buera fest
Ieprol
Ubaitaba Inst novo
Buerarema
URUÇUCA
Vidro Tech
Navegando pela Categoria

Coluna Livre

A SITUAÇÃO DA SAÚDE DO MUNICÍPIO DE ITABUNA

A Constituição tem por escopo limitar o poder estatal mediante os direitos fundamentais, assim como de conter em seu bojo, a organização e a administração deste. Já na sua origem, cônscio da  índole insidiosa do ser humano, a Constituição limitou o poder em todas as searas para que os direitos não fossem usurpados pelos governantes que ocupassem os cargos públicos, assegurando a todos que dela são subjugados, a plenitude do gozo de todos os direitos.

Em regra, as imposições no que cerne a aplicação de gastos do dinheiro público são de limites de teto, ou seja: não se pode gastar além daquele valor prescrito na Constituição. Contudo, ainda prevendo a astúcia dos governantes, e ciente da importância basilar dessas áreas em específicos, ela abriu duas sábias exceções: a primeira em relação à educação, e a outra em relação à saúde. Ambas, a Constituição exige o inverso do que é exigido nas demais áreas, impondo não mais o teto, mas sim o piso a ser investido nelas. Neste artigo iremos focar apenas no segundo item, mais especificamente quanto a obrigação do ente federal Município.

 O texto constitucional diz em relação investimento na saúde no que tange aos municípios é que: “Art. 198. As ações e serviços públicos de saúde integram uma rede regionalizada e hierarquizada e constituem um sistema único, organizado de acordo com as seguintes diretrizes (…) § 2º A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios aplicarão, anualmente, em ações e serviços públicos de saúde recursos mínimos derivados da aplicação de percentuais calculados sobre: (…) III – no caso dos Municípios e do Distrito Federal, o produto da arrecadação dos impostos a que se refere o art. 156 e dos recursos de que tratam os arts. 158 e 159, inciso I, alínea b e § 3º.” (Grifo meu)

O legislador constitucional observou que este assunto é de tal gravidade: a não aplicação do mínimo constitucional, a ponto de prever esta hipótese como uma das raríssimas exceções das quais os Estados  têm por obrigação intervir nos Municípios, uma vez que dentro da prerrogativa conferida pela Constituição da República, o Município possui autonomia política, administrativa e financeira. A autonomia política compreende os poderes de auto-organização, de autogoverno e normativo; o autogoverno, corresponde à eleição do prefeito, do vice-prefeito e dos vereadores, nos ditames do artigo 29 da Constituição brasileira; e por fim, a terceira faceta da autonomia política municipal diz respeito ao poder normativo próprio ou de autolegislação. Nesta, é compreendido, também, o poder de legislar sobre sua auto-organização; “sobre assuntos de interesse local”.  Sendo assim, o artigo 35 da Constituição Federal: “O Estado não intervirá em seus Municípios, nem a União nos Municípios localizados em Território Federal, exceto quando: (…) III – não tiver sido aplicado o mínimo exigido da receita municipal na manutenção e desenvolvimento do ensino e nas ações e serviços públicos de saúde (…)” deve ser compreendida como última ratio, ou último recurso.

Não obstante as imposições coercitivas pela Lei Maior, alguns municípios não cumprem a obrigação constitucional por descaso nestas áreas . Segundo a CR, os Tribunais de Conta dos Município e o Ministério Público são os órgãos responsáveis por fiscalizar se o montante do investimento está de acordo com a Carta Magna. Caso o prefeito não repassar o valor exigido  a ser investido nesta área, o Tribunal de Contas deve, obrigatoriamente, rejeitar as contas apresentadas. O Ministério Público é o legitimado processual para demandas que visam fiscalizar a realização da garantia de financiamento de gastos públicos com a  saúde, por refletir escolha constitucional fundamental que se enquadra no mister ministerial de defesa da ordem jurídica e dos interesses sociais e individuais indisponíveis.

Importa ressaltar que, se for o caso de expansão, é permitido o aumento de gasto visando o benefício à população, sendo prevista na Lei de Responsabilidade Fiscal (Lei Complementar 101/00), todavia, se não atingir o mínimo, o Município deixará de receber tanto da União quanto do Estado o valor da transferência voluntária. Este gasto na saúde deve constar no orçamento do PPA (Plano Plurianual), LDO (Lei De Diretrizes Orçamentária), e na LOA (Lei Orçamentária Anual). Tanto a PPA, a LDO, e a LOA são planejamento de receitas para maior controle de gasto em cada área a receber o investimento.

Na cidade de Itabuna houve a audiência pública no dia 16 de setembro, a qual foi discutido a precariedade da saúde. Para o Conselho Municipal de Saúde de Itabuna – CMSI, o município vive um “problema crônico de gestão que não é exclusivamente [por falta] de financiamento”. Foi também  denunciado inúmeros  problemas como a precariedade do atendimento da atenção básica, atraso de pagamentos de funcionários, a falta de curativos nos postos de saúde, entre outros problemas sérios detectados. Desta forma, alguns vereadores se demonstraram favoráveis pela abertura de uma CPI para apurar a causa do problema da saúde municipal.

Alguns meses em que antecederam o evento, as contas do atual prefeito, no exercício financeiro de 2017, foram rejeitadas pelo TCM, sendo que um dos motivos apontados foi justamente a não aplicação do mínimo constitucional na área. O pronunciamento técnico foi o seguinte : “o Município aplicou em Ações e Serviços Públicos de Saúde o montante de R$32.474.323,68, correspondente a 14,97% da arrecadação dos impostos a que se refere o art. 156 e dos recursos de que tratam os arts. 158 e 159, I, alínea b e § 3o da CRFB, ou seja, R$216.937.788,64, com a devida exclusão de 2% (dois por cento) do FPM, de que tratam as Emendas Constitucionais nos 55/07 e 84/14, em descumprimento ao artigo 7o da Lei Complementar 141/12.” Em resposta, a prefeitura apresentou cópias de processos de pagamentos, justificando que  “a referida divergência refere-se as glosas de diversos processos de pagamento referentes a despesas com Saúde 15%, no montante de R$5.232.703,58”. O Tribunal de Contas acatou para fins de apuração do índice de saúde os processos de pagamento que totalizaram o montante de R$2.794.400,62, chegando a concluindo que foram aplicados 16,26% na saúde, isentando-o do crime.

Evidentemente que neste caso, se está havendo devidamente o repasse da verba pública para a saúde como concluiu o TCM posteriormente, então está havendo o repasse de modo indevido, sendo desviado para os bolsos de particulares, matando pessoas diariamente na fila do SUS, causando um caos na saúde na população itabunense.

Leia mais...

DICA DA LIVINHA – USANDO A MODA A SEU FAVOR

Por Livinha Póvoas *

Vamos usar a moda a seu favor? Vai ser fácil, realçando a sua beleza e disfarçando o que lhe incomoda. Cada mulher tem o seu tipo físico, os detalhes do seu rosto e do seu corpo. É o que lhe tornam única.

Na hora de comprar ou mandar fazer uma roupa é essencial escolher o look e a textura certo que valoriza seu corpo, deixando-lhe satisfeita, linda e segura de si.

Você já conhece o seu biotipo? Existem cinco principais formatos de corpo, cada um deles com seus truques para deixar o visu mais harmônico. Corre! Vamos aprender agora?

1 Ampulheta é o tipo de corpo mais proporcional, uma vez que as medidas dos ombros e quadril são praticamente as mesmas. O ponto forte é a cintura fina e o truque é dar ainda mais destaque para ela. Usando peças de cintura alta ou marcada e peças monocromáticas que alongam o corpo.

2 Retangular: Neste corpo o quadril e os ombros da mulher também possuem as medidas semelhantes, no entanto a cintura também é mais larga e por isso não apresenta curvas. O truque é destacar uma região. Pode ser criando uma cintura mais fina ou desviando a atenção da cintura para a região do colo ou das pernas, você escolhe. A dica é fazer uso de blusas recortes, faixas ou cintos na cintura; blusas mais soltinhas com volume ou destaque na região do colo; decotes; ou saias e calças com volume.

3 Triangular ou triângulo invertido como é mais conhecido. São o tipo de corpo de mulheres que tem os ombros largos e quadris finos. Por isso a dica é marcar a parte de baixo do corpo. Ex: calças e saias estampadas, de cores claras/coloridas ou com volume; blusas de decote V ou com detalhes na barra.

4 Oval: É um corpo mais arredondado e a linha da cintura tende a ser mais larga que a parte superior e a inferior. O truque ideal é criar o efeito de silhueta mais fina. Isso mesmo! Arrase com decotes em U ou em V, calças e saias de corte reto, lapelas estreitas, blusas até a metade dos quadris looks monocromáticos e tecidos mais encorpados.

5 Pêra ou triangular: A medida do quadril é maior do que a medida dos ombros. Para equilibrar as proporções aposte em peças que destaquem a parte de cima do corpo. Use cores claras ou vibrantes, estampas; mangas e detalhes com volume, colares.
Conseguiu identificar qual é o seu?

A fórmula da imagem é ter autoconhecimento. Mulher que entende o seu próprio corpo tem inspiração para chegar aonde quiser.
Agora é só arrasar!

*Livinha Póvoas é Assistente Social, Consultora de Imagem e Estilo, Personal Shopper e estudante de moda. Está sempre atualizada no assunto. Mora em Itabuna, mas tem clientes em toda a região.
Insta: @livinhapovoas
Email: liviapovoas@hotmail.com

Leia mais...

HISTÓRIAS PRA TE INSPIRAR – BANHO QUE LAVA A ALMA

Começou experimentando um cigarro quando morava na rua, ainda era criança e logo ficou viciado em drogas. A História de Pedro, 44 anos, não é diferente da realidade de muitas pessoas, infelizmente.

Mas, graças a um grupo de voluntários e a força de vontade de Pedro, o ex-morador de rua conseguiu ter uma nova vida! Ele lavou a alma!
Que surpreendente essa história!
Assista, se inscreva, comente e compartilhe!

Leia mais...

CAUSOS DO PORTELA – O OUTRO LADO

Numa cidade do interior de Minas Gerais, precisamente em Espera Feliz, vivia Agenor, solteiro por opção, pequeno cafeicultor, distribuindo felicidade por onde passava, nunca desistiu de um desafio, sempre com bons resultados, pois enfrentava com muita fé e determinação. Sabendo disso, na cidade vizinha Carangola morava Agripino, aquele cara que é considerado “Marido de Aluguel”, fazia de tudo para sobreviver, por outro lado era provocador e fazia apostas em seus embates, sempre vencendo.

Num belo domingo o Agripino achou de provocar Agenor, pegou seu carro e subiu a serra, ficava perto Espera Feliz, ia sem pressa matutando qual seria o desafio do grande encontro.

(mais…)

Leia mais...

A BAHIA NA SEGUNDA COLOCAÇÃO EM MORTES VIOLENTAS INTENCIONAIS, APONTA O ANUÁRIO BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA

O Fórum Brasileiro de Segurança Pública – FBSP, publicou em 10-09-2019 o 13º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, o qual faz um diagnóstico de forma bastante detalhado da violência durante o ano que antecedeu a assunção de Jair Bolsonaro ao Planalto Central – Centro do Poder no Brasil, impulsionado, entre outros fatores, por um discurso de linha dura “contra os criminosos comuns”.

Esse diagnóstico mostra, em linhas gerais, que os assassinatos no Brasil caíram 11%, enquanto mortes nas mãos da polícia aumentaram 19% no ano passado, entretanto, apontam os especialistas do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, que elaboraram o referido relatório, que não existe relação de causa e efeito entre os dois índices. Pelo contrário, uma das vertentes apontam que a trégua entre facções criminosas são um dos fatores, mas não o único, como insistem os especialistas, que explicam o fato de as mortes violentas terem caído depois de atingir o número recorde de 64.000 em 2017. O Brasil, com 210 milhões de habitantes, é o país do mundo com mais mortes intencionais, superando países com guerra civil declarada.

O estado da Bahia ficou em segundo lugar, deixando o Rio de janeiro na primeira colocação nos dados relativos ao ano de 2018, em Mortes Violentas Intencionais (MVI), que corresponde à soma das vítimas de homicídio doloso, latrocínio, lesão corporal seguida de morte e mortes decorrentes de intervenções policiais em serviço e fora (em alguns casos, contabilizadas dentro dos homicídios dolosos, conforme notas explicativas). Sendo assim, a categoria MVI representa o total de vítimas de mortes violentas com intencionalidade definida de determinado território. O número de policiais mortos já está contido no total de homicídios dolosos e é aqui apresentado apenas para mensuração do fenômeno

Um dos reflexos dessa alta incidência de crimes letais contra a vida é o reduzido aporte de recursos para investimentos e custeio na Segurança Pública, dessa forma, os dados relativos a 2018, demonstram que das 27 unidades da federação, a Bahia ficou em 21º colocação no Gasto “per capta” em Segurança Pública. No Brasil, em 2018, os investimentos-gastos em segurança pública no Brasil totalizaram R$ 91,2 bilhões, o que correspondeu a 1,34% do PIB naquele ano. Em relação a 2017, houve aumento real de 3,9% nas despesas empenhadas, sendo que o crescimento ocorreu de forma diferenciada entre os entes federativos. Assim, pode-se verificar na figura abaixo que o Estado da Bahia foi um dos que menos investiu na forma proporcional por número de habitantes.

Analisando o detalhamento orçamentário e da prestação de contas, as despesas estão discriminadas segundo as subfunções da segurança pública: policiamento; defesa civil; informação e inteligência; e demais subfunções. Quando analisadas essas rubricas no âmbito das Unidades Federativas, alguns pontos chamam a atenção. Em primeiro lugar, as despesas com informação e inteligência correspondem a apenas 0,6% das despesas totais dos estados. Assim, para o pesquisador e Presidente do FBSP, Daniel Cerqueira, entre 1995 e 2018 os gastos reais em segurança pública (descontada a inflação) aumentaram 116%, ao passo que o número de homicídios cresceu 76,4%. Poder-se-ia dizer que se não houvesse a maior provisão daqueles recursos, o aumento das taxas de crimes seria ainda maior. Por outro lado, é razoável conjecturar que o aumento dos dispêndios em segurança pública pouco contribuiu para deprimir ou frear a criminalidade no Brasil.

As boas práticas, no mundo, na Gestão em Segurança Pública, apontam que o coração das polícias modernas chama-se inteligência e investigação. Alguns dos melhores departamentos de polícia nos países desenvolvidos se baseiam em um modelo conhecido como “Polícia Orientada pela Inteligência”, mas por sua vez os governadores, insistem em manter esse tipo de custeio, dando mais enfeze a um policiamento visível (ostensivo) e do confronto, em detrimento da inteligência e investigação. Então, para piorar a nossa situação, empregamos um modelo endêmico, circunscrito a poucos países, de ciclo policial repartido entre polícias civis e militares, em que as corporações possuem interesses próprios e, geralmente, trabalham desarticuladamente disputando espaços, recursos e informações.

Dentre outros problemas, pode-se elencar que o nosso sistema prisional brasileiro, é dominado por grupos criminosos, que exigiria maior atenção de autoridades. A superlotação dos presídios e as suas consequências, inclusive no que diz respeito ao descumprimento da Lei de Execução Penal; Ausência de visão estratégica dos governos, bem como de planejamento pautado em diagnósticos territoriais e nas dinâmicas criminais e sociais locais; e de um modelo de gestão orientado para os resultados. Por fim, aponta o Fórum Brasileiro de Segurança Pública – FSBP, afirma que o custo para manter o aparato de segurança pública no país em 2018 corresponde a um gasto por cada brasileiro igual a R$ 409,66.

Roberto Joséé Geógrafo e Especialista em Planejamento de Cidades pela Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), Especialista em Engenharia de Tráfego pela UNYLEYA – Brasília, é Mestre em Geografia pela Universidade Federal de Sergipe (UFS). Graduando em Direito pela FTC Itabuna. Policial Civil do Estado da Bahia e tutor da Rede de Ensino à distância da Secretaria Nacional de Segurança Pública (SENASP), Diretor Sindical – Sindpoc (Sindicato dos Policiais Civis do Estado da Bahia).

Leia mais...

DICA DA LIVINHA – SEJA SUA MELHOR VERSÃO

Por Livinha Póvoas*

As pessoas mais bonitas que conheço se vestem de si mesmas. É verdade! Todo mundo tem o seu estilo. Estar na moda é estar de bem consigo mesma. É saber que o seu cabelo não é exatamente como você queria, mas consegue transformá-lo com os inúmeros recursos que existem no mercado. É descobrir a mágica de um salto alto para quem é baixinha. É apostar em cores fortes nos vestidos e macacões longos para quem é alta. E para disfarçar as pernas finas aposte em saias ou vestidos que finalizem na altura da coxa ou da canela.

Viu que é possível criar uma ilusão de ótica e acertar? Comece com uma caminhada na beira rio, escolha uma atividade física do seu agrado para eliminar aqueles quilinhos indesejáveis, vai lhe trazer disposição, saúde para o corpo e para a alma, topa fazer essa mudança? Então, batalhe por isso, mulher! Não dá pra se sentir feia e triste. O brilho logo desaparece. A mulher com auto estima lá embaixo, se torna refém do olhar do outro, por isso, não dê chance para o baixo astral!

Dica da Livinha. Antes de tudo se aceite. Acordar com olheiras, rosto inchado, cansada, cabelos brancos e bagunçados… Tudo isso faz parte da vida de todas nós! Que tal enfrentar o reflexo da sua imagem e sorrir para um dia que se inicia? Aproveita e faz umas caretas! Sim, elas são excelente ginástica facial para espantar as rugas. Tira um tempinho pra ir ao salão de sua preferência, arrumar os cabelos e se sentir mais bela. Não tem coisa melhor sair de lá se sentindo poderosa, com unhas bem feitas nas cores que são tendência da estação e contando os dias para voltar logo.

Eu já escolhi quem cuida de mim! O Salão Biboca. Anota aí mais uma Dica da Livinha. Terça-feira é dia de promoção. Passa lá e confere, tanto na Maison Biboca, no Jardim Vitória, quanto no Biboca do centro da cidade.

Não é saudável ficar refém de padrões estéticos que mudam a todo instante. Mulher magrela, plus size, baixinha, negra… todas têm a sua beleza. Você é única, amiga! Um defeito que parece ser o que mais lhe incomoda pode ser exótico. A palavra chave é Aceitação! Beleza é atitude, seja feliz do seu jeito, fazendo os seus olhos brilharem e o coração bater com entusiasmo dia após dia.

Seja a melhor versão de si mesma. Até breve!

*Livinha Póvoas é Assistente Social, Consultora de Imagem e Estilo, Personal Shopper e estudante de moda. Está sempre atualizada no assunto. Mora em Itabuna, mas tem clientes em toda a região.
Insta: @livinhapovoas
Email: liviapovoas@hotmail.com

Leia mais...

CAUSOS DO PORTELA – VIAGEM LEGAL

No dia 20 de junho de 2019, vinha de Salvador com destino a cidade de Itabuna, como a viagem é longa resolvi merendar, estacionei o carro na vaga de Deficiente, em frente a rodoviária de Aracaju, coloquei a placa que me permite usar esta vaga, demorei uns 40 minutos, enquanto estava merendando, de vez em quando escutava na televisão um jogo de futebol narrado pelo primo de Enéas, nisso o caminhão passa anunciando a promoção da jaca importada, mesmo fabricada no Paraguai, vale à pena comprar.

O gari que não é bobo aproveita para entregar as correspondências, pois a população não agüentava mais com a falta de energia, provocada por um pão de côco que estava preso em um dos fios que fornece DOENÇAS GRAVES. Eu estava preocupado com os animais soltos nas ruas provocando morte cerebral, como dizia meu avô, “Se você está com vontade de comer manteiga eu o incentivo, pois manteiga é feito do leite”, eu peço 2 quilos de carne moída, 3 quilos de costela e falo para o caixa que as imagens não estão prestando a atenção devida provocando confusão no caixa, paguei a minha merenda e desamarrei meu cavalo e segui minha viagem antes que o pastor Waldemiro começasse a pescar que por sinal as maçãs da Paraíba são macias e suculentas quando servida com rapadura, já estava perto de Uberlândia, quando me informaram que o Flamengo tinha goleado o Palmeiras.

Obs. Este causo é contado com a Literatura Nonsense (sem sentido)

Leia mais...

QUESTIONÁRIO DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988 E A SAÚDE DE ITABUNA

Uma noite e um filho com febre. Uma dor de parto e o bebê anunciando sua chegada. Uma criança com sua peraltice e uma perna quebrada, uma volta de bicicleta e um braço quebrado, uma piscina refrescante e uma criança afogada ou um pique pega é uma criança atropelada. Todos estes fatos são certos na vida de quem tem filho. Por outro lado, não é certeza que todos os pais possam custodiar um plano de saúde. E para os hipossuficientes as portas foram trancadas no Hospital localizado no Centro da cidade.

Então não deveríamos nos preocupar, porque a Constituição Federal de 1988 garante a SAÚDE!!!! Opa infelizmente não é assim que a banda vem tocando.

Logo no início da nossa Constituição Federal um dos fundamentos da República Federativa do Brasil é o princípio basilar da dignidade da pessoa humana. E pergunta-se: É digno à uma mãe com o filho ardente em febre ir ao Hospital e se deparar com a porta literalmente trancada e ser obrigada deslocar alguns quilômetros no próximo Hospital que atende pelo SUS. O drama talvez fique um pouco pior, quando a mãe e a criança não têm dinheiro para o transporte público.

O indivíduo que fica desassistido pelo Poder Público no seu direito à saúde resta prejudicado nas demais áreas da sua vida. Por isso, não podemos vislumbrar esse direito social dissociado dos outros âmbitos da vida. Destacamos o texto do art. 196:

A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para a sua promoção, proteção e recuperação.

A Constituição Federal garante o acesso universal e igualitário. Ao deslocar as crianças e os seus responsáveis para um hospital distante do centro da cidade e com menor capacidade atendimento, descumpre o gestor público o acesso universal e igualitário a todas crianças grapiúnas.

Da mesma forma está prevista na Constituição Federal que a União, Estados e Municípios obedecerá aos princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência.

Então vamos ao questionário constitucional.

A transferência do atendimento médico infantil foi exercida de acordo com as leis?

A transferência do atendimento médico infantil foi uma política pública que trata os moradores de Itabuna sem discriminações?

A transferência do atendimento médico infantil atendeu aos princípios éticos?

A transferência do atendimento médico infantil atendeu a transparência inerentes aos atos de administração pública?

Se todos as respostas forem positivas, está tudo bem? Ainda não! Não basta ser legal, ético, transparente, é necessário também ser eficiente. O único Hospital Público que atende a pediatria de Itabuna exercerá o serviço público com eficiência?

Ou seja, a administração pública deve priorizar a execução de serviços com ótima qualidade, respeitando os princípios administrativos e a dignidade da pessoa humana, fazendo uso correto do orçamento público, evitando desperdícios. Por fim se a transferência for eficiente para as crianças e pais, estará tudo consoante a Constituição Federal.

Leia mais...

É TEMPO DE AVANÇAR! (Gota de Reflexão)

Itabuna sempre se destacou em suas diversas áreas, daqui já saíram políticos, esportistas, jornalistas, escritores, artistas que brilharam e brilham no cenário nacional e mundial. Em tempos não tão distantes já fomos a terceira cidade da Bahia no que diz respeito a PIB (Produto Interno Bruto), nos tempos áureos do cacau estivemos em níveis melhores ainda, porém hoje ocupamos a décima posição neste quesito, segundo dados do IBGE, tal informação nos leva a alguns questionamentos como: Por que cidades mais novas que Itabuna estão hoje mais desenvolvidas? Por que caímos consideravelmente nossa arrecadação? a resposta é simples e rápida´, má administração.

Durante 30 anos vivemos uma alternância de administração entre dois grupos que não pensaram e não prepararam a cidade para avançar e consequentemente não desenvolvemos nossas potencialidades, mesmo com tanta capacidade. Não trocamos os “caranguejos” e a “lama” continuou a mesma de sempre.

Hoje, mais do que nunca, amargando o quinto mandato de um governo que já mostrou que não deu certo em outras gestões, vemos que É TEMPO DE AVANÇAR e colocarmos a mão na consciência. Teremos no próximo ano a oportunidade de dizer não ao retrocesso e sim ao avanço e desenvolvimento, basta como cidadãos nos preocuparmos em estudar cada candidato e suas propostas, digo propostas reais, e que contribuirão para um futuro melhor para a cidade, seja no Legislativo como também no Executivo, vamos dizer não ao retrocesso e sim ao futuro, ao novo, ao avanço. Sim, É TEMPO DE AVANÇAR!

Joabe Paiva
Apresentador do Programa “Diga ai JP” – Rádio Proeves FM.

Leia mais...

HISTÓRIAS PRA TE INSPIRAR – AUTODIDATA MIRIM

Hoje é terça feira. Dia de contar boas histórias!

Você deve conhecer pais que sonham em ver os filhos formados na profissão que ELES querem e não na que o filho quer, né?

A história de hoje fala sobre habilidade e sonho. Um menino aprendeu sozinho a desenhar croqui de moda aos 3 anos de idade!! A mãe achou que era uma fase. O menino sofreu preconceito na própria família. Hoje, aos 12 anos, Ismael já coleciona mais de 200 desenhos profissionais e é o orgulho de todos!

Não bloqueie os sonhos de quem você ama. Dê apoio a essa pessoa e sonhe junto com ela!
Clica no link e assista

Leia mais...

DICA DA LIVINHA – MODA E ESTILO

Por Livinha Póvoas*

Quando falamos em moda, em que você pensa? Possivelmente, em roupas. Quem sabe em um desfile de moda, celebridades em tapete vermelho vestidas em trajes de corte fino, ou em grupos urbanos que se vestem de certa forma e característica. Isso mesmo! Você está com o pensamento certo. A moda é tudo isso. Cor, música, maquiagem, cortes, cores de cabelos e penteados, tendência, jóias e acessórios, tatuagens, piercings e outras modificações corporais… a moda reflete o momento e inspira gerações. Ela engloba um estilo de vida, uma forma de expressão e identidade.

O que vestimos e como nos portamos diz mais do que palavras. Deu para perceber o quanto a moda é importante em nosso contexto de vida? Às vezes, não é preciso se perguntar nada, já estamos dando resposta com o nosso próprio visual. Vestir-se com elegância e ser confiante com a sua imagem é um desafio para muitos. Por isso, a importância da Consultora de Imagem e Estilo ou do Personal Stylist para lhe ajudar nessa missão.

Este profissional, além de fazer você refletir sobre a sua imagem, vai indicar quais peças você deveria eliminar e quais peças-chave estão faltando no seu guarda-roupa. Vai identificar o seu estilo e também quais roupas valorizam seu corpo, são versáteis e adequadas para as suas principais ocasiões, seja para trabalho, lazer, festa e dia a dia. Tudo de acordo com seus objetivos, criando uma imagem harmônica, sem gastar muito.

Eu me refiro a todas as classes sociais, pois realmente já foi caro montar um look, mas hoje está tudo ao alcance de todos, basta garimpar e ter bom gosto.
Quero fazer um convite a você. Vamos florescer juntos em Setembro? Abra o seu guarda-roupa, mude o seu visual e eleve a sua auto estima. É hora de identificar as peças que têm a ver com seu estilo, pois a sua imagem diz muito sobre você, como as pessoas lhe enxergam. Esse é o momento de refletir sobre a sua autoimagem. Será que é a mesma que você quer passar?

Mudanças não são simples, mas são necessárias. Afinal de contas, seu estilo é você! É muita coisa para contar. Aguardo você aqui para continuar esse papo, em breve!

*Livinha Póvoas é Assistente Social, Consultora de Imagem e Estilo, Personal Shopper e estudante de moda. Está sempre atualizada no assunto. Mora em Itabuna, mas tem clientes em toda a região.
Insta: @livinhapovoas
Email: liviapovoas@hotmail.com

Leia mais...

CAUSOS DO PORTELA: O ELEITOR INDIGNADO

Hoje, segunda-feira 14 de maio de 2018, são exatamente 04h30, levantei-me com vontade de escrever algo diferente do que faço, não tinha a menor ideia, mas quando sento na poltrona, como num passe de mágica, as palavras começam a ter vida, a primeira foi Políticos, sei definir muito bem, nada mais é que um funcionário graduado do povo independente de cargos e momentaneamente esquece que foi aquele senhor/a que humildemente abriu sua casa e orgulhosamente mostra a foto de seu candidato junto com imagens sacras que o elegeu.

Candidatos muitas vezes despreparados, nem sabe o nome da pessoa que está á sua frente, concordando com tudo que lhe foi pedido, louco para chegar em casa, tomar um belo banho e tirar aquela “Impaca”, pois falar com pobre dá alergia.

Analisando os eleitores de uma pequena cidade, que são os mesmos de qualquer cidade do Brasil, levantam bandeiras, perdem noites, amigos e até familiares por causa de um determinado candidato que fica assistindo de camarote, esperando que seja eleito pra desfrutar de sua imunidade parlamentar.

Presenciei um fato que me deixou espantado e ao mesmo tempo chocado, “Certo candidato eleito vinha tranqüilamente, quando no sentido contrario ao seu vinha um eleitor, que ele já conhecia de longas datas, ele tentou se esconder, pois esse eleitor tinha a fama de “pidão”, achei estranho esta atitude, mas não comentei, só depois de alguns anos, é que fiquei sabendo que eles são estrategista.

Foi daí que eu comecei a desconfiar não no que ele faz e sim no que ele é. Por esses motivos eu fico chateado com alguns “Homens que juram todos os sentimentos, e no fim pratica o sentimento totalmente pregado por ele.

Nós temos forças, Basta juntarmos que seremos imbatíveis.

Leia mais...

DADOS DO IBGE CAUSAM PREOCUPAÇÃO EM ILHÉUS

Por Carlos Mascarenhas*

Vejo muita gente preocupada e assustada tendo em vista que a última estimativa, observem bem, estimativa do IBGE, indicou que Ilhéus tem uma população de apenas 162.327 habitantes.

Como dissemos, este número é uma ESTIMATIVA e não uma nova contagem, e apesar de tecnicamente estar certo pode não corresponder à realidade, pois ele, segundo sei, é calculado com base na série histórica. Devo acrescentar que segundo já tive a oportunidade de ouvir e ler informações de pessoas que conhecem bem esta área, uma série de problemas ocorreram na contagem populacional de 2010, que terminaram por apontar para ilhéus uma população de 184.236 habitantes, número bem inferior à população real da nossa cidade na época.

Teremos em 2020 uma nova contagem, e se ela for bem feita, aí sim poderemos tomar conhecimento do real decréscimo da população do nosso município, que não acredito seja tão grande como o que vem sendo apontado.

Lembro que a contagem de 2000 indicou uma população de 222.127 habitantes para Ilhéus, enquanto a de 2010 indicou uma população de apenas 184.236 habitantes. Assim sendo só nos resta esperar a nova contagem que haverá em 2020, para que saibamos qual a real diminuição da população da nossa cidade, e enquanto isto, é amargar os prejuízos que estamos sofrendo todos estes anos.

Devo dizer que não sou especialista em estudos demográficos, mas esta é a minha maneira de ver/avaliar estes números.

*Economista

Leia mais...

HISTÓRIAS PRA TE INSPIRAR: UM SONHADOR QUE TOCA VIDAS

O desemprego atinge 13 milhões de brasileiros, segundo o IBGE. Renison, perdeu o chão quando entrou para a estatística. Mas, ele teve coragem e fé e seguiu em frente. Decidiu realizar um sonho antigo com o dinheiro que recebeu da demissão. Ele tá mudando a vida de muitos jovens por meio da música. Renison é um sonhador que toca vidas!
▶️Confira essa história no link. Inscreva-se no canal e ative o sino.

Compartilha o vídeo com quem precisa de auto confiança, fé e coragem e saber que a tempestade um dia passa. “Há males que vêm pro bem”

Leia mais...

A SAÚDE PEDE SOCORRO. (Gota de Reflexão)

A notícia de que a Maternidade Ester Gomes, conhecida como “mãe pobre”, encerrará o seu atendimento a partir da próxima quinta 29, trouxe novamente a evidência a situação crítica que passa a saúde em Itabuna, o que não é muito diferente dos demais municípios brasileiros. Temos, porém, em nossa cidade, alguns fatores que contribuem para tal situação, a alta rotatividade de titulares na pasta é um deles, só neste governo já se passaram cinco, o que dificulta o desenvolvimento de um trabalho eficiente, ou seja, são muitos problemas pra pouca gestão.

Temos uma atenção básica que funciona de forma muito precária, quase parando, o que faz com que outras barreiras surjam na melhoria da qualidade do atendimento.

Diante deste quadro, algumas perguntas surgem no ar, onde será amparada a mãe pobre das periferias da cidade?, e suas crianças onde serão cuidadas? Até quando conviveremos de forma passiva com tal situação?

O silêncio de alguns e a omissão de outros que tem o dever de questionar e fiscalizar, sem sombra de dúvidas só contribuem para a falência múltipla dos órgãos de nossa saúde. Hoje mais do que nunca é tempo de gritarmos por socorro, porém não só gritarmos, mas também apertarmos o botão de socorro, que está logo ali em 2020 nas urnas.

Artigo de Joabe Paiva, apresentador do programa Diga aí JP, todos os sábados na Proeves FM.

Leia mais...