Shopping
Ubaitaba Inst novo
URUÇUCA
Vidro Tech

ITABUNA: EM NOTA, SINDICATO DIZ QUE GOVERNO FERNANDO GOMES DÁ MAIS UMA PROVA DE INSENSIBILIDADE E FALTA DE COMPROMISSO COM O POVO

O Sindicato dos Comerciários de Itabuna, juntamente com membros da CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil) e demais sindicatos classistas, realizaram um protesto na manhã desta terça-feira (30) contra o fechamento do Restaurante Popular. O ato ocorreu em frente à unidade que será fechada, no centro de Itabuna. O órgão emitiu uma nota de repúdio e criticou o descaso da atual gestão em todas as áreas.

Veja a nota, na íntegra:

O Sindicato dos Comerciários de Itabuna vem a público manifestar seu repúdio ao fechamento do Restaurante Popular, que atendia a diversos trabalhadores e trabalhadoras, desempregados, trabalhadores informais, sem tetos e excluídos em geral, com refeições de qualidade a preços acessíveis.

O governo FG dá mais uma demonstração de insensibilidade e falta de compromisso com o povo de Itabuna. Num momento de intensa crise, quando o povo mais precisa desse tipo de política, FG dá as costas à população. A gestão já havia fechado a unidade que funcionava no bairro de Fátima e agora anuncia o fechamento da unidade do centro da cidade, prejudicando a classe trabalhadora e a comunidade carente, comprometendo a segurança alimentar da população. Vale ressaltar que o Restaurante Popular é um programa social que tem contrapartida de verbas federais. É mais um programa social abandonado pelo governo municipal. O povo de Itabuna não merece tanto descaso

O Sindicato dos Comerciários de Itabuna exige uma explicação e que o governo se comprometa com a reabertura do Restaurante Popular, estabelecendo prazo para normalizar este programa essencial.

1 comentário
  1. J Diz

    Sei que é triste, os que ali frequentam são umides que tem naquele local um “porto seguro” p/se alimentar, mas, infelizmente não tenho pena. Não é falta de sensibilidade de minha parte, mas tb sei que quem mais precisa são os mesmos que “nele” votaram, por isso eu sinto, mas nao tenho pena

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.