SEMPS DE PLANTÃO 24H JÁ REALIZOU MAIS DE CINCO MIL ABORDAGENS NO CARNAVAL

A equipe de técnicos do Serviço Especializado de Abordagem Social, da Secretaria de Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps), que está promovendo no Carnaval de Salvador a campanha “Criança não é mão de obra”, junto com o Conselho Tutelar que objetiva implementar o Programa de Combate ao Trabalho Infantil (PETI), já realizou mais de 5 mil abordagens sociais com o objetivo que coibir situações de vulnerabilidade e risco social com crianças e adolescentes e suas familias.

As ações já resultaram no cadastro de 845 crianças e adolescentes, que estavam exercendo atividades laborais, acompanhando pais e responsáveis que trabalham como ambulantes e outras situações de risco, como negligência e uso de drogas.

O trabalho dos Conselheiros Tutelares que atualmente possuem normativa de remuneração em todas as festas populares de Salvador sancionada pelo Prefeito ACM Neto. Tanto o Conselho e a equipe da abordagem social estão distribuídos em
cinco sedes, nos circuitos da festa, ofertando medidas de proteção e zelando por crianças e adolescentes em situação de riscos e
vulnerabilidades.

Após as abordagens Tia Eron acompanhou as equipes que encaminharam os cadastrados para serviço socioassistenciais. Para os Centros de Convivência foram direcionados 93, 393 retornaram para o lar, 240 foram para atendimento no Conselho Tutelar, 377 foram encaminhados para acompanhamentos nos CRAS e CREAS.

Até o final do Carnaval, as duas novas ações fruto de pesquisa do Instituto Planter a Secretaria de Promoção Social e Combate a Pobreza implanta a Campanha “Criança não é Mão de Obra” cujos postos funcionarão 24h nos circuitos da festa nos seguintes locais: Praça da Piedade, Ondina, Campo Grande e Praça Castro Alves, e na Escola Santa Terezinha.
Assim também em regime de 24 horas os postos dos Conselhos Tutelares instalados na Escola Úrsula Catarino, Escola Wilson Lins, Escola Santa Terezinha do Menino Jesus, Escola IMEJA e no PROCON – PLANTÃO INTEGRADO.

Quem presenciar situações de violação de direitos contra crianças e adolescentes poderá registrar sua denúncia, informando o local, através do Disque 100.

você pode gostar também Mais do autor

1 comentário

  1. Nativo Fernandes do Nascimento Diz

    Muito bom ñ deixar trabalho infantil, mas ficar em casa 🏠. Sem os país aprendendo o q ñ presta é justo? Minha sempre diz pé de galinha ñ mata pinto então ñ vejo qual problema os filhos juntos dos país fazendo alguma atividade.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.