Navegação na tag

Pawlo Cidade

ILHÉUS: FESTIVAL LITERÁRIO ACONTECE EM MAIO

O Festival Literário de Ilhéus está marcado para os dias 16, 17 e 18 de maio, na Praça Castro Alves e na sede da Biblioteca Pública Municipal Adonias Filho. Para planejar a realização do evento estiveram reunidos na tarde desta quinta-feira, 1, o secretário municipal de Cultura, Pawlo Cidade, o presidente da Academia de Letras de Ilhéus, André Rosa, a diretora da Editus, Rita Argollo, o curador do Festival Literário de Ilhéus (Flios), Fabrício Brandão, o diretor artístico do Dilazenze, Mestre Ney, o diretor de Patrimônio e Inclusão Cultural da Secult, Airton de Carvalho e o presidente da Fundação Pedro Calmon, de Salvador, Zulu Araújo.

De acordo com a coordenação, o festival irá reunir ainda dois grandes eventos do livro: o III Festival Literário de Ilhéus e a VI Feira Universitária da Uesc. Voltado para o livro, a leitura e as diversas formas de acessar conhecimento, alinha-se as práticas políticas de promoção e difusão de informações da Fundação Pedro Calmon, da Secretaria da Cultura de Ilhéus e das demais instituições parceiras envolvidas na proposta.

Com o tema “Leituras democráticas: juventudes, livros e zaps!” o festival terá uma programação com várias oficinas literárias, bate-papos com escritores locais e nacionais com ações desenvolvidas pela Diretoria do Livro e da Leitura e da Diretoria de Bibliotecas, por meio da Biblioteca de Extensão da Fundação Pedro Calmon, pela Editus, Academia de Letras e Secult. O Festival Literário de Ilhéus é uma realização da Academia de Letras de Ilhéus, secretaria municipal da Cultura (Secult), Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc)/Editus e Fundação Pedro Calmon.

ILHÉUS: MARÃO NOMEIA MAIS UM SERVIDOR MUNICIPAL COMO SECRETÁRIO

O prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre (PSD), nomeou nesta quarta-feira, 17, o escritor, teatrólogo e produtor cultural de diversos segmentos, Pawlo Cidade, como Secretário Municipal de Cultura. Cidade é o 4° servidor municipal nomeado secretário, na atual gestão.

A aprovação do nome do novo secretário está sendo considerada indiscutível em todo o meio. Além disso, Pawlo Cidade é conhecido e respeitado não só em toda a Bahia, mas também todo o Brasil, o que poderá facilitar convênios, contratos e parcerias. Ele é funcionário público e membro da Academia de Letras de Ilhéus onde ocupa a cadeira que foi de Jorge Amado e de Zélia Gatai.

Ele é defensor do empreendedorismo cultural. Com a nova nomeação, Marão mostra que está apostando na política de valorização da prata da casa. Os demais secretários que são servidores municipais são, Adriano Sales, da Fazenda, Hermano Fahning, da infraestrutura, e Eliane Oliveira, da educação.

PAWLO CIDADE SERÁ O SECRETÁRIO DE CULTURA DE ILHÉUS

Após dez meses de gestão, o prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre (PSD), designou o escritor e dramaturgo Pawlo Cidade para o comando da pasta de Cultura do município. Pawlo Cidade apresentou um planejamento estratégico para as ações a serem desenvolvidas nos próximos anos e ouviu sugestões e orientações do prefeito sobre os trabalhos da secretaria.

Pawlo Cidade é pedagogo e especialista em gestão cultural. Como escritor é autor de 15 obras publicadas, como O Santo de Mármore, A Casa de Santinha, O Tesouro Perdido das Terras do Sem Fim, entre outros. Sua produção literária o conduziu à Academia de Letras de Ilhéus, na qual ocupa a cadeira 13 cujo patrono e ex ocupante é ninguém menos do que o seu fundador, Jorge Amado. A mesma cadeira foi ocupada pela escritora Zélia Gattai, esposa de Jorge. Outras publicações de sua autoria abordam, exclusivamente, o tema “Cultura”. A cartilha “Como Transformar a Cultura Em Um Bom Negócio” apresenta um roteiro com 17 questões que orientam sobre gestão, produção e fazer cultural, para auxiliar o setor a transformar ideias em renda, através da organização e profissionalização dos agentes culturais.

Cidade tem como uma das metas atualizar e finalizar o inventário do patrimônio material e imaterial da Cultura de Ilhéus. “Para planejar é preciso conhecer”, reflete, ao discorrer sobre a necessidade desse cadastramento como base para um trabalho eficiente que contemple amplamente os segmentos culturais locais. A partir daí, pretende trabalhar com várias linhas de ações que envolvem desde inclusão cultural, preservação da memória, passando por empreendedorismo e fomento. “O papel do órgão que conduz as políticas culturais deve ser o de fomentador, deixando a produção por conta da classe artística”, explica.

A indicação de Pawlo Cidade vem repercutindo positivamente no meio cultural e a sua nomeação deve acontecer tão logo a reforma administrativa esteja regulamentada, nos próximos dias.