Navegação na tag

PMDB

BRUNO REIS TENTA ASSUMIR AS RÉDEAS DO PMDB BAIANO

Com a Lava Jato nos calcanhares do ex-ministro Geddel Vieira Lima,  preso, e do deputado federal Lúcio Vieira Lima, o vice-prefeito de Salvador, Bruno Reis, enxerga a possibilidade de tomar as rédeas do PMDB na Bahia.

De acordo com a Coluna Expresso da Revista Época, Reis se articula para isso e ganhará ainda mais força em 2018, quando assumir a prefeitura. O prefeito, ACM Neto (DEM), deverá deixar o cargo para se candidatar ao governo do estado ou para embarcar numa candidatura a vice-presidente da República.

500 MIL FAMÍLIAS A MENOS NO PROGRAMA “BOLSA FAMÍLIA”

O presidente Michel Temer (PMDB) diminuiu a quantidade de famílias beneficiadas com recursos do programa Bolsa Família. Segundo a Coluna Radar Online, desde que assumiu, há um ano e meio, aproximadamente 4,3 milhões de famílias entraram no programa, no entanto,  outras 4,8 milhões deixaram de receber o benefício no mesmo período. São cerca de 500 mil famílias a menos na lista de beneficiários.

IBICARAÍ: EX-PREFEITA ROMPE SILÊNCIO E CRITICA ATUAL GESTÃO

A ex-prefeita de Ibicaraí Monalisa Tavares, usou as redes sociais para criticar a atual gestão do município, comandada por Lula Brandão. Segundo a prefeita, ela evitou de se pronunciar o máximo possível, observando o “andar da carruagem”, apesar de contestar adeptos do governo defendendo a bandeira de que a cidade melhorou significativamente.

Monalisa alega que ainda não conseguiu enxergar essas melhorias na cidade, que segundo ela, apenas uma maquiagem nas praças, reinaugurações de obras feitas em outras gestões e principalmente demissões em massa, inclusive de funcionários com mais de 20 anos de prefeitura.

A ex-prefeita contestou ainda o aumento de impostos e consequente arrecadação municipal. “O que vi realmente foi um imenso gasto com propagandas e festas mal planejadas, que não renderam nada ao município e uma poluição total nas redes sociais de fotos até inconvenientes de pessoas que eram pegas de surpresa pra tirar fotos com o prefeito, que por educação permitiram, mas que faziam questão de me avisar que eram apenas fotos insignificantes, que o apoio político sempre será nosso.”, disse.

Monalisa acusou ainda que “puxa-sacos” de plantão que recebem da prefeitura e nem sempre estão na folha de pagamento, mas são pagos através de contratos de empresas. “Vamos parar com essa hipocrisia de falar que os “inconformados perdedores” falam mal da administração injustamente, porque hoje pelo menos 80% da cidade fala mal da administração porque está péssima mesmo. E nós que perdemos a eleição, já aceitamos a derrota há muto tempo, até porque um dia a gente perde e no outro a gente ganha.”, desabafou.

Monalisa Tavares reconheceu que houve erros em sua gestão, mas indicou que Ibicaraí era uma cidade mais alegre e com crescente desenvolvimento, sobretudo respeitada em toda a região. Ela relembrou algumas obras que considera importantes como a reabertura do hospital e a implantação de uma fábrica que gerou quase cem empregos, beneficiando muitas famílias.

“Lembro a todos que “minhas derrotas” me ensinaram muito e hoje agradeço a todos que contribuíram pra isso, pois me sinto às vésperas de meus 50 anos com uma vitalidade, maturidade, sensatez, paz no coração e experiência que jamais teria conseguido se não tivesse passado por todos esses processos de vitórias e derrotas, e que foram tão importantes pra minha história. Espero que em 2018 as pessoas possam ter um coração mais humilde e que essa equipe que hoje faz parte da administração de nossa sofrida Ibicaraí, enxergue que cargos públicos são concedidos às pessoas pra entenderem que tem a obrigação de trabalhar pelo município, e façam jus ao voto que receberam nas urnas, procurando melhorar a vida da comunidade e não as próprias vidas.”, finalizou.

Após publicação da nota nas redes sociais e grupos do aplicativo Whatsapp, o prefeito Lula Brandão, saiu de todos os grupos, que fazia parte junto com Monalisa Tavares.

 

ITABUNA: CAVALCANTE É CONVIDADO A SE FILIAR AO PSB

O ex-deputado Renato Costa, hoje presidente do PSB em Itabuna, está buscando montar um bom time para as próximas eleições, em 2018. Após filiar nomes de peso, como o empresário Rafael Moreira, pré-candidato a deputado estadual, o médico agora tenta convencer o vereador Antônio Cavalcante, ex-correligionário no PMDB, a ingressar no partido. Outros nomes de outros partidos também tem sido sondados.

No entanto, essa cooptação tem ido de encontro ao que Renato sempre pregou. Ex-aliados tem criticado a nova postura política de Dr. Renato.

TEMER NEGOCIA CARGOS DE GEDDEL E LÚCIO NA BAHIA COM LÍDER DO PR

O presidente Michel Temer negocia entregar cargos de indicações políticas dos irmãos Geddel e Lúcio Vieira Lima (PMDB) na Bahia ao líder do PR na Câmara, deputado José Rocha (BA), se a bancada do partido entregar votos pela reforma da previdência. De acordo com a jornalista Andréia Sadi, a bancada do PR, assim como o PSD, é uma das mais resistentes à reforma da Previdência.

Ainda segundo a jornalista, para angariar apoio, o presidente Temer discute atender a um pleito do líder do PR por indicações na companhia de Docas (que cuida de portos) de Salvador. Hoje, o espaço está loteado, principalmente, por nomes indicados por Geddel e Lucio Vieira Lima (PMDB), segundo auxiliares presidenciais. O Planalto está disposto a dividir a área com partidos desde que a bancada garanta que atender ao líder signifique atender à bancada.

Ex-ministro, Geddel está preso na Papuda devido à investigações da Lava Jato.
Deputado federal, Lúcio é alvo de um pedido de recolhimento noturno da procuradora-geral da República, Raquel Dodge. O Supremo Tribunal Federal ainda não discutiu o pedido da PGR.

IMBASSAHY PEDE EXONERAÇÃO DO GOVERNO

Após muitas críticas dos partidos que dão sustentação ao governo Temer e a saída ou não do PSDB da base aliada, o ministro da articulação política, Antonio Imbassahy (PSDB), pediu, por carta, exoneração do governo nesta sexta-feira, 8. De acordo com a jornalista Andreia Sadi, no G1, o pedido foi aceito pelo presidente Michel Temer. Na carta, Imbassahy escreveu que vai continuar contribuindo com a gestão Temer na Câmara. Ele reassumirá o mandato de deputado federal.

O presidente respondeu ao pedido também em carta. Ele chamou o agora ex-ministro de “amigo” disse que é “grato” pelo trabalho de Imbassahy. “Os momentos difíceis a que você alude na carta foram enfrentados todos por mim, mas com seu apoio permanente. A sua ponderação, o seu equilíbrio e a sua firmeza foram fundamentais para que não só atravessássemos momentos delicados, mas especialmente porque o Brasil não parou”, elogiou Temer.

O deputado Carlos Marun (PMDB, relator da CPMI da JBS, assumirá o lugar do tucano, cuidando da articulação política com o Congresso num momento em que o governo enfrenta muitas dificuldades para votar a reforma da Previdência na Câmara.

A TORNOZELEIRA ELETRÔNICA DE LÚCIO VIERA LIMA

O deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA) poderá ter que usar tornozeleira eletrônica na Câmara dos Deputados. Isso se o Supremo Tribunal Federal autorizar. A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, além de pedir o recolhimento noturno do parlamentar, também solicitou o monitoramento eletrônico. A solicitação foi enviada ao ministro Edson Fachin.

Na região sul da Bahia, a questão tem levado amigos e ex-aliados do deputado a um consenso. De acordo com o “homem forte do cacau”, não será possível o deputado usar tornozeleira eletrônica, pois não existe no mercado aparelho do tamanho da perna de Lúcio Vieira Lima. “Nem sob encomenda”.

RAQUEL DODGE INDICA FUNARO COMO TESTEMUNHA CONTRA GEDDEL E LÚCIO VIERA LIMA

A situação dos irmãos Geddel e Lúcio Vieira Lima, ambos do PMDB, está ficando cada dia mais complicada. “Estão ficando sem saída”, afirma um ex-aliado. Na denúncia por lavagem de dinheiro e associação criminosa enviada ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra o ex-ministro e o deputado, entre outros, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, indicou o operador do mercado Lúcio Bolonha Funaro como testemunha de acusação do Ministério Público Federal. Segundo a Coluna Expresso da Revista Época, no acordo de delação firmado com a PGR, Funaro afirmou que entregou dinheiro em malas ao ex-ministro em Salvador.

ITABUNA: RICARDO XAVIER PODE VOLTAR AO PMDB

O Deputado Estadual Pedro Tavares (PMDB), herdeiro do comando do partido deixado por Geddel e Lúcio Vieira Lima na Bahia, estará em Itabuna neste final de semana. Comenta-se que está sendo preparado um banquete neste domingo, 3, para o parlamentar na casa do vereador Ricardo Xavier, ex-PMDB, hoje no PPS.

Amigos próximos ao clã dos Xavier afirmam que o motivo da vinda de Tavares é convidar Ricardo a voltar ao PMDB e ratificar a pré-candidatura de Maruse Xavier a Assembleia Legislativa. Outra informação é de que o vice-prefeito Fernando Vita, presidente de honra do PMDB e o vereador e presidente municipal do partido Antônio Cavalcante, até o momento, não foram convidados.

EM NOTA, PT REBATE PROGRAMA DO PMDB EXIBIDO NA TV

O PT rebateu, por meio de nota, nesta quarta, 29, as críticas feitas pelo PMDB em novo anúncio televisivo. O programa foi exibido nesta terça-feira, 27, em rede nacional, colocando o presidente Michel Temer como vítima de armações e mentiras. Segundo o Partido dos Trabalhadores, “quem deve desculpas ao povo brasileiro é o partido do golpista Michel Temer, que aprofundou deliberadamente a crise fiscal em 2015 e 2016 para chegar ao poder”.

A nota, assinada pela senadora Gleisi Hoffmann, presidente do partido, afirma ainda que sob o comando de Eduardo Cunha, o PMDB sabotou todas as iniciativas de recuperação apresentadas pelo governo Dilma Rousseff.

Leia o comunicado:

“Quem deve desculpas ao povo brasileiro é o partido do golpista Michel Temer, que aprofundou deliberadamente a crise fiscal em 2015 e 2016 para chegar ao poder. Sob o comando de Eduardo Cunha, sabotaram todas as iniciativas de recuperação apresentadas pelo governo Dilma Rousseff e quebraram o Brasil com suas pautas-bomba: o aumento de 42% nos salários do Judiciário, o orçamento impositivo, a manutenção das desonerações, o fim do fator previdenciário e outras medidas irresponsáveis.

Não fosse a sede poder dos golpistas do PMDB e seus aliados, o Brasil já teria superado a recessão e o desemprego e teria hoje um governo legitimamente eleito, dentro da normalidade democrática. O povo brasileiro não esquece que o governo do PT foi um tempo de desenvolvimento, democracia, inclusão social, oportunidades e empregos como nunca houve antes neste país”.