Navegação na tag

PR

TEMER NEGOCIA CARGOS DE GEDDEL E LÚCIO NA BAHIA COM LÍDER DO PR

O presidente Michel Temer negocia entregar cargos de indicações políticas dos irmãos Geddel e Lúcio Vieira Lima (PMDB) na Bahia ao líder do PR na Câmara, deputado José Rocha (BA), se a bancada do partido entregar votos pela reforma da previdência. De acordo com a jornalista Andréia Sadi, a bancada do PR, assim como o PSD, é uma das mais resistentes à reforma da Previdência.

Ainda segundo a jornalista, para angariar apoio, o presidente Temer discute atender a um pleito do líder do PR por indicações na companhia de Docas (que cuida de portos) de Salvador. Hoje, o espaço está loteado, principalmente, por nomes indicados por Geddel e Lucio Vieira Lima (PMDB), segundo auxiliares presidenciais. O Planalto está disposto a dividir a área com partidos desde que a bancada garanta que atender ao líder signifique atender à bancada.

Ex-ministro, Geddel está preso na Papuda devido à investigações da Lava Jato.
Deputado federal, Lúcio é alvo de um pedido de recolhimento noturno da procuradora-geral da República, Raquel Dodge. O Supremo Tribunal Federal ainda não discutiu o pedido da PGR.

RAQUEL DODGE DENUNCIA JONGA BACELAR POR PAGAR DOMÉSTICA COM DINHEIRO PÚBLICO

A Procuradoria-Geral da República enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF) nesta quarta-feira, 6, denúncia contra o deputado federal baiano João Carlos Bacelar (PR), o Jonga Bacelar. De acordo com o Estadão, Jonga é acusado de usar recursos públicos para pagar os salários de uma empregada doméstica, peculato.

Também foi denunciada uma ex-secretária parlamentar que, de acordo com a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, atuou como sócia do deputado federal.

No caso de João Carlos Bacelar, a denúncia de Raquel contém provas segundo as quais, desde o primeiro mandato, em 2007, ‘ele usava recursos públicos para pagar os salários da empregada doméstica Maria do Carmo Nascimento e da secretária Norma Suely Ventura da Silva que trabalhavam, respectivamente, na casa e na empresa da família do parlamentar, em Salvador’.

Na denúncia, a Procuradoria pede a condenação do deputado à perda da função pública, além da reparação do dano.

O pedido é para que, solidariamente, o parlamentar e Norma devolvam à Câmara o valor do peculato, com correções monetária e de juros de mora.

CARLETTO REÚNE APOIO DE DEPUTADOS EM BUSCA DE CANDIDATURA AO SENADO

De olho no Senado, o deputado federal Ronaldo Carletto (PP) já conta com uma tropa de 15 a 17 parlamentares que devem marchar com ele na disputa por uma vaga na chapa majoritária, do governo ou da oposição, aponta a Coluna Satélite, Sem possibilidade de crescer no partido do vice-governador, Carletto vê na ida para o PR o caminho para conseguir o espaço.

A costura de Ronaldo Carletto tem duas frentes. Uma é fortalecer a bancada do PR baiano no Congresso e na Assembleia Legislativa com a filiação de seus aliados no PP, cota que incluiu ainda o deputado federal Roberto Britto. A outra é usar o Pros, vitaminado com três parlamentares ligados a ele, como moeda de troca.

Com o PP enfraquecido com a eventual saída de Ronaldo Carletto e sua tropa pode abrir brecha para o avanço da oposição sobre a sigla. A jogada é recompor as perdas do PP com integrantes da base do prefeito ACM Neto (DEM). Em troca, os pepistas mudariam de lado na corrida pelo Palácio de Ondina. A movimentação já foi discutida com o senador piauiense Ciro Nogueira, presidente nacional do PP.

PR QUER FATIA MAIOR NOS TRANSPORTES

O Partido da República – PR já comanda o Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil do Governo Temer com o Alagoano Mauricio Quintella Lessa. Dos 40 parlamentares republicanos, 28 votaram a favor do presidente, isso inclui os baianos José Carlos Araújo, José Rocha e João Carlos Bacelar, além de nove que votaram contra e três ausências. O resultado, em tese, credencia o partido a buscar uma fatia maior do bolo.

O Ministério dos Transportes, apesar de comandado pela legenda, tem indicados do PMDB em vários setores. A Secretaria Nacional de Portos e a Agência Nacional de Transportes Terrestres, por exemplo, está toda minada. O PR quer mais. Almeja a pasta 100% sob seu domínio.