faculdade de ilheus
Plansul
Cerveja Je assunção
Buerarema
Ieprol

ACONTECÊNCIAS #06

Por Josias Miguel

ITABUNA E OS BASTIDORES DA POLÍTICA

Inegável que a terra grapiúna necessita urgentemente de mandar para a Assembleia Legislativa e para a Câmara Federal representantes com potencial de tirar do ostracismo nossa Itabuna. O problema está nas verdadeiras intenções das candidaturas que se apresentam no momento.

Para a Assembleia da Bahia ao que parece será mandada a primeira dama Andréa Castro. Augusto tem se movimentado bem na alta esfera política, ao tempo em que pavimenta sua gestão com paciência e sabedoria. Pesquisas de consumo interno mostram que a esperança do eleitorado de que fará um bom governo ainda está praticamente no mesmo patamar das eleições.

Considerando que sua guinada à condição de Prefeito esmagou velhas lideranças e liquidou os caciques políticos dessas bandas, forçando a antecipação necessária da renovação política salutar a democracia, lhe permite almejar a eleição de Andréa com objetivo de ampliar sua influência junto ao futuro Governador da Bahia, seja lá quem for e trazer para cá obras estruturais e de geração de emprego e renda.

E para Brasília, quem Itabuna mandará? Conversas de bastidores mostram extrema preocupação do grupo político de Augusto com essa questão. Isso porque o açodamento do Vice Prefeito Guinho em anunciar sua pré-candidatura a deputado federal por partido de oposição ao governo, fora da base do Governador, base esta que Augusto Castro pertence e foi eleito, aponta para possível ruptura nas eleições de 2024. Por mais que se propale fidelidade de Guinho ao projeto que construíram juntos para a eleição vitoriosa que foi, a experiência mostra que não bastará vontade própria para ser fiel. As circunstâncias ditarão as regras no futuro.

Talvez o recuo de Guinho em ir para a oposição possa reorganizar o ”baba” e tudo volte a ser como dantes e há tempo para isso, afinal o apito de início do jogo das eleições de 2022 somente será soado em março daquele ano.

No jogo político, sensatez é sinal de inteligência. Eleição para deputado federal não é fácil, depende de base eleitoral consolidada, recursos financeiros para custeio de logística, dentre outras “cossitas”, o que nos leva a crer que dificilmente Guinho seria eleito. Neste caso, jogaríamos fora a oportunidade de realmente eleger um deputado federal? Ou, reeleger algum da chamada base que tenha comprometimento com Itabuna e aplique aqui parte dos 60 milhões de emendas próprias a que tem direito durante os quatro anos do mandato, além das chamadas emendas de bancada e verbas extras orçamentárias?

Pensemos, pois, em solução que possa contribuir para o avanço de Itabuna rumo ao lugar que lhe é merecido no cenário político baiano.

ATIL E SEMELHANÇA COM A FÊNIX

A Associação de Turismo de Ilhéus-Atil, assim como a mitológica ave Fênix renasceu das cinzas em 2019. Naquele ano a entidade vinha de um período de ostracismo fruto da renúncia do presidente à época e falta de eleição de nova diretoria. Porém de repente alguns poucos associados remanescentes entenderam o quanto era importante revigora-la, para o bem do Trade turístico de Ilhéus. Providências tomadas, eleições realizadas e Atil renasceu das cinzas, mas ainda ardendo no braseiro do desânimo.

Embora que a posse dos novos dirigentes foi coroada de presenças importantes, de belos discursos, inclusive do Gestor Municipal, como nunca dantes tivesse acontecido, na prática a entidade só alcançava “voos de galinha”, ou seja, curto e baixo, como diz o ditado popular. Resistência e teimosia não faltaram aos poucos mais de uma dezena de associados. Aos trancos e barrancos ela foi sobrevivendo. Nas eleições municipais de 2020 ensaiou uma reação política, mas logo rechaçada a ideia em função da falta de conhecimento e experiência da maioria dos dirigentes no processo eleitoral
partidário.

Confesso que eu próprio, um dos novos dirigentes, cheguei e desanimar da dura tarefa de prosseguir mantendo a entidade funcionando e para o fim que se destina. Mas, por sorte elegemos um presidente obstinado, guerreiro, persistente e para não deixa-lo só permanecemos no front da batalha. Attila criou um grupo de watsapp, que chamou de Associados da Atil, foi buscar pessoalmente a adesão de centena de empresários dos diversos segmentos que compõem o Trade Turístico de Ilhéus, buscando dar musculatura política institucional para a Atil. E assim, às duras penas chegamos ao final de dois anos de mandato. A munição que faltava para que o empresariado entrasse de vez na guerra veio com a luta pela aprovação da Lei que criou a Agência dos 500 anos de Ilhéus, hoje sancionada e em vias de entrar em funcionamento. A autarquia será responsável pela aplicação dos recursos destinados ao melhoramento do destino turístico Ilhéus, com verbas para infraestrutura, reformas dos monumentos históricos, resgate da história dos quinhentos anos das terras dos sem fim.

Attila conduziu com esmero a participação da entidade na aprovação da Lei, levando a Diretoria para unir-se ao Vereador Cesar Porto e ao Secretário Fabio Jr. Como se isso fosse pouco, Viu-se agigantar o Trade quando a Prefeitura cometeu o desatino de rebaixar o status da Secretaria de Turismo. Nunca antes a Atil fez protestos em manifestação pública com dezenas de empresários como aconteceu nas escadarias do Palácio Paranaguá. Atil, por seu presidente participou ativamente na luta pela volta do transporte público rodoviário. A Atil esteve e continua na luta para vacinar prioritariamente contra a Covid-19 os que militam no segmento turístico.

As eleições para nova diretoria da Atil acontecerão dia 28, sexta feira próxima, na sede da entidade no Centro de Convenções de Ilhéus. Tudo transcorrendo dentro da mais absoluta regularidade estatutária, com chapa única registrada em tempo hábil encabeçada por Attila Eiras para mais um merecido mandato de dois anos. Aliás, o Trade precisa que Attila continue nos conduzindo no caminho do lugar de destaque e respeito que o Trade deve ter junto às instituições e a sociedade.

Ah, vale registrar que ex-associados, inclusive que tiveram mandatos a frente da Atil, uns que se afastaram e deixaram de contribuir com a entidade, inclusive com suas obrigações financeiras e outros que renunciaram aos mandatos, compreenderam a importância que tem uma entidade de classe aguerrida e a vantagem da luta unida e voltaram aos seios da entidade. Que sejam recebidos de braços abertos se vierem com boas intenções e para o bem de todos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.