Jequitibá
Pref itabuna
Ieprol
Ubaitaba Inst novo
Buerarema
URUÇUCA

EDUCAÇÃO EM TEMPOS DE ISOLAMENTO SOCIAL: MUDANÇA DE ROTINA E DESAFIO PARA AS FAMÍLIAS

Por Richard Silveira

Não podemos discutir que o conceito de Educação envolve a participação efetiva da família na vida escolas de crianças e jovens. Acompanhar as atividades de casa, o rendimento de seus filhos na escola, participar das reuniões e buscar informações sobre a rotina de estudos das crianças são exemplos de como a família pode participar do cotidiano da escola, essa vivência em tempos comuns já é bastante desafiadora por si só. Porém, nesse momento históricos, em que tudo que estamos vivenciando é novo e complicado, os familiares estão sendo convocados a participar mais ativamente numa jornada acadêmica doméstica.

Com o avanço no novo coronavírus (covid-19), autoridades vem aumentando os prazos de isolamento social, e com isso a suspensão das aulas presenciais em escolas públicas e privadas vem se estendendo também. Essa nova dinâmica traz diversos desafios para as famílias que possuem crianças e adolescentes em idade escolar, uma vez que essas famílias não sabem como equilibrar a rotina de trabalho (muitos pais estão desenvolvendo suas atividades laborais em home office) com as crianças em casa. Não existe um manual de instruções que possa nos explicar como proceder nesse momento, entretanto é preciso que os responsáveis entendam que não estamos em período de férias, e transmita essa informação a seus filhos, o que a escola está trazendo nesse momento atípico é um novo formato para construção de conhecimentos.

Esclarecido esse primeiro ponto, a próxima “tarefa de casa” dos responsáveis é começar a transpor as barreiras que o conformo doméstico impõe quando o assunto é estudar: procrastinação, discussões, confusões, falta de paciência, frustação, sentimento de impotência, entre outros – se esse cenário é rotineiro, fica claro que as propostas de atividades de casa não é uma tarefa prazerosa para o alunos – A recepção dos pais em relação as atividades que seus filhos recebem influencia bastante no nível de interesse que essa criança irá desenvolver, se os pais acreditam que a atividade é “desnecessária”, seus filhos levarão em consideração esse juízo de valor e não lhe dará a devida importância. Sendo assim os responsáveis devem auxiliar seus filhos na resolução das atividades propostas pela escola, inicialmente com atitudes simples, como preparar o ambiente onde a família possa participar desse momento de construção de conhecimentos. Atitudes simples, como desligar a televisão e o celular – tanto da criança quanto dos pais – contribuem substancialmente na manutenção da motivação dessa criança para a realização da tarefa de casa.

Os desafios para os atores envolvidos na Educação são imensos, não podemos negar, nesse momento em especial podemos notar que as famílias estão tendo muitas dificuldades em estabelecer uma rotina de estudos para suas crianças e ao mesmo tempo equilibrar os afazeres dos pais e os momentos de descanso – sem falar que é preciso buscar também alternativas de lazer para tornar o isolamento social mais leve. Diversos teóricos da Educação afirmam que é preciso fixar o mesmo horário que o aluno estaria na escola para a realização das atividades enviadas pela escola ou disponibilizadas de forma virtual. Levando sempre em consideração que a criança deve estar envolvida na formulação dessa rotina, informando como seria sua dinâmica no ambiente formal de educação, seus horários e pausas.

Criando uma rotina de estudos em parceria com seus filhos, os pais incentivam essas crianças e jovens a desenvolverem um senso de responsabilidade e serem conscientes de seus afazeres. Os pais precisam estar atentos a agenda estabelecida pela escola para as atividades diárias de seus filhos, podendo fazer determinados ajustes para que sua rotina também seja respeitada, haja vista que a rotina escola não deve interferir na rotina doméstica e vice-versa. Essas rotinas devem ser respeitadas para que sejam facilmente readaptadas com a regularização da situação escolar.

Como dito anteriormente, não existe um manual de instruções que nos auxilie nesse momento que estamos vivendo, é uma situação muito nova tanto para os envolvidos no contexto escolar, quanto para pais e filhos. É importante que não nos apeguemos a excessos, e muito menos promovamos estratégias de construção de conhecimentos que gerem mal-estar ou enfado nas crianças e adolescentes que já estão completamente deslocados fora de uma rotina de estudos. É preciso nesse momento respirar fundo, ouvir e ajudar a escola, estreitar nossos laços familiares e ajudar nossas crianças a passar por essa situação com calma, respeito e esperança em tempos melhores para todos, por enquanto essa é nossa principal lição!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.