Ieprol – Matrículas Abertas – Desktop Mobile
AACRRI – Reconstrução PIX – Desktop/Mobile
Plansul – 31 anos – Desktop/Mobile

EMPREENDEDORISMO GRAPIÚNA

Por Caio Alves Maciel*

Ter seu próprio negócio não é muito fácil para a grande maioria das pessoas, é necessário um engajamento e dedicação diária para se conquiste o sucesso. De acordo com o SEBRAE cerca de 33% dos novos negócios não conseguirá completar dois anos de atividade em 2018, ou seja, alguém pode estar fechando agora as portas do seu comercio. Algo triste mas real.

Na região grapiúna um dos principais vetores econômico é o comercio sendo ele varejista, atacadista e o informal. Porem mesmo com um número elevado de empreendimentos na redondeza, as situações que envolvem o tecido comercial apontam um ambiente complexo traçando um perfil empresarial apreensivo e inquieto. Por outro lado a prosperidade do local é extremamente atrativo para iniciar e desenvolver um negócio.

E para isso não é necessário ser um “guru” do empreendedorismo, até porque está intrínseco na população o ato de comercializar, mais é preciso também enxergar as oportunidades, ser proativo, criativo e ambicioso…

Outros fatores se fazem importante para iniciar seu projeto de maneira sadia minimizando os riscos e consequentemente ampliando a vida útil e sustentável da sua empresa; como por exemplo: entender o seu mercado de maneira que as decisões relacionada ao assunto seja fundamentalizada através de dados técnicos, “não basta apenas querer abrir uma pastelaria porque você acha legal” deve-se fazer uma análise de ambiente utilizando ferramentas especificas afim de verificar a capacidade escalar separando suas preferências pessoais das necessidades do local. Ter um plano de negócio também é algo importante pois se trata de um instrumento que traça um retrato fiel do mercado, do produto e das atitudes do empreendedor te dando a possibilidade de chegar no final do planejamento e se perguntar: vale a pena abrir, investir ou manter o negócio?

Outro ato interessante é investir em marketing digital, sendo essa talvez uma das melhores dicas, pois ela funciona tanto para quem está começando quanto para quem já está atuando na área. Além de ter um preço acessível (ou até gratuito) do que o marketing tradicional – aqueles usados em TVs, jornais e rádios – o digital é também o mais eficiente e rápido, uma vez que ele traz ferramentas bem mais elaboradas de feedback e divulgação.

Se capacite! Para abrir um negócio e dar seguimento com sucesso, não basta apenas querer, na região cacaueira a predominância do comercio segue na linha de “herança”, ou seja, de pai para filho e consigo os velhos costumes de se administrar; Vivendo num mercado onde modificações e atualizações são frequentes, o conhecimento técnico se tornou crucial nos rompimentos de barreiras da temida falência comercial. Alguns treinamentos, cursos de pequeno a longo prazo amplia a visão empreededorística e te coloca numa posição mais firme no mercado.

Muitas vezes o empreendedor parte para uma jornada solitária que envolve muitas horas de trabalho e pouco descanso. Pode até ser desanimador no começo mas entender a importância do seu próprio suor faz parte da compreensão do desenvolvimento de uma marca ou um nome, se os passos forem seguidos criteriosamente poderá render bons frutos.

Lembrando que qualquer um pode começar um negócio, porém, só os empreendedores que reconhece a diferença entre ideia e oportunidade e pensam grande o suficiente tem mais chance de sucesso.

A parte mais fácil é começar. Difícil é sobreviver.

*Caio Alves Maciel – Graduando em Engenharia de Produção – Certificação em Green Belts

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.