faculdade de ilheus
Plansul
Cerveja Je assunção
Buerarema
Ieprol

ESCRITORA ITABUNENSE LANÇA LIVRO SOBRE EMOÇÕES DURANTE A PANDEMIA

Imagina escrever cartas para alguém em plena era digital? Imaginou? Desde o ano passado, escritoras baianas vem se comunicando dessa forma por meio das redes sociais. Através de vídeo-cartas, elas expressam os mais diversos sentimentos, como saudades, afetos, angústias, felicidades, tristezas e paixões. E em meio a essa coletânea de emoções, nasceu o “Bem Ditas Cartas”.

O “Bem Ditas Cartas” é um projeto literário e audiovisual criado em abril de 2020, durante o período de distanciamento social imposto pela pandemia provocada pelo coronavírus. Foi idealizado por um coletivo de jovens mulheres escritoras com objetivo de movimentar os sentimentos através da palavra escrita, falada e articulada com imagens do cotidiano.

As “vídeo-cartas” são publicadas semanalmente, aos domingos, no Instagram (@bemditascartas), YouTube (/BemDitasCartas) e no site (bemditascartas.com.br). O Instagram é atualizado, ainda, às quartas-feiras, com pequenos trechos de cartas anteriores.

A escritora e advogada itabunense Maria Midlej (@mamidlej) é uma das responsáveis pelo projeto. Ainda que em coautoria, essa é a primeira publicação literária impressa da escritora, um sonho da época de adolescente “repousar nas estantes dos meus leitores, ter meu nome numa capa bonita. Esse livro é um abraço, um denguinho bonito, um suspiro”.

Ela conta que o livro é o resultado de uma ideia que salvou os dias de confinamento no início da pandemia. ”A vida virou de cabeça para baixo, mas eu tinha um espaço para exercitar poesia e compartilhar afetos. Isso tornou tudo um pouco mais leve”.

O livro traz reflexões da autora sobre saudade, amor, família, paixão, autoconhecimento e descobertas a respeito do mundo “nas cartas que escrevi, existem fragmentos dos últimos 20 anos da minha história. Embora eu não esteja exatamente escrevendo sobre as coisas que vi ou vivi com fidelidade aos detalhes, trago um pouco das sensações que alguns eventos me causaram”. O desejo de Maria é que o livro seja afeto na vida das pessoas “espero que as pessoas sintam o abraço que o projeto nasceu para ser. Enquanto livro, enquanto ideia ou enquanto espaço para desnudar almas e ancorar afetos”.

Os exemplares estão disponíveis para venda, apenas virtualmente, através dos perfis oficiais das autoras e também do livro. A obra traz produções inéditas e também cartas já publicadas nas redes sociais que são as queridinhas dos leitores.

O projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia – FUNCEB (Programa Aldir Blanc Bahia), via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.