Plansul
Sicoob
Buerarema
Ieprol

EX-SECRETÁRIO DE COMUNICAÇÃO DE BOLSONARO DIZ QUE GOVERNO FEDERAL RECEBEU CARTA DA PFIZER EM SETEMBRO DE 2020

O ex-secretário de comunicação do presidente Jair Bolsonaro está sendo ouvido nesta quarta-feira (12) pela CPI da Pandemia, no Senado Federal. Fabio Wajngarten foi incluído na comissão após uma entrevista à revista Veja, onde responsabilizou o ministro Eduardo Pazuello pela demora na compra de imunizantes da Covid-19, especificamente da farmacêutica Pfizer.

Wajngarten disse que o governo federal recebeu em 9 de setembro do ano passado, uma carta da farmacêutica, onde só foi entregue ao presidente no dia 12 do mesmo mês. No documento, o CEO da Pfizer informava sobre o interesse de negociação das vacinas, mas que, segundo o ex-secretário, foi orientado pelo ministro Paulo Guedes a só negociar quando o imunizante fosse aprovado pela Anvisa.

Secom e as coletivas

Questionado sobre decisões de suspender entrevistas coletivas, Wajngarten disse que se ouve orientação nesse sentido não saberia dizer se partiu da Secom ou não. “Cada ministro sabe quando e como quer falar. Eu não dei nenhuma orientação nesse sentido e nem sei se alguém deu”, declarou.

“No período de Nelson Teich eu o incentivava a falar. Desconheço essa orientação, além das coletivas, tinham várias outras formas de passar informação para a população. Sempre incentivei as informações para a população”, complementou Wajngarten.

Pedido de prisão

O senador e relator da comissão, Renan Calheiros (MDB-AL), chegou a mencionar que pediria a prisão do ex-secretário caso fosse confirmado que ele mentiu aos senadores em seu depoimento.

“Aqui estiveram dois ex-ministros que confirmaram a existência de uma consultoria paralela. Feita a pergunta ao depoente, ele disse desconhecer a existência, mas é o contrário. Vossa excelência é a primeira pessoa que incrimina o presidente da República, porque iniciou uma negociação em nome do Ministério da Saúde, como secretário de Comunicação, se dizendo em nome do presidente”, afirmou Renan.

Com informações da CNN Brasil.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.