Buerarema
Sarau do Fim do Mundo
Colégio Jorge amado
Plansul
Jequitibá
uruçuca novo
Ieprol

ILHÉUS ATINGE 100% DE LOTAÇÃO DOS LEITOS DE UTI PARA COVID-19 E SAÚDE PODE ENTRAR EM COLAPSO

Segundo reportagem veiculada, no último dia 16, no do BATV – programa jornalístico da TV Bahia (afiliada da Rede Globo) – a cidade de Ilhéus, litoral sul da Bahia, está com 100% dos leitos de UTI destinados a pacientes com COVID-19 ocupados. A fila de espera por uma vaga, aumenta mais a cada dia e não há previsões concretas de quando tudo será normalizado.

Ao todo, a terra de Jorge Amado conta com 50 leitos de UTI´s para tratamento da Covid19. Segundo o Boletim epidemiológico do último dia 17, Ilhéus possui 596 casos ativos de Covid em isolamento, 50 casos ativos internados em UTI e 306 óbitos confirmados. No geral, já foram confirmados 11.930 casos de Corona no município litorâneo.

O médico Dr. Júlio Diaz, foi um dos entrevistados pela reportagem e disse que “está chegando o momento em que pessoas vão morrer por falta de tratamento”. “O volume de pacientes que está precisando de atendimento hospitalar, está cada dia maior, a fila da regulação está cada dia maior e se a gente não chamar para a responsabilidade, se a gente não chamar para o cuidado dessas pessoas, essa caminhada não vai ter fim e nós vamos começar a perder pacientes por não termos condições de cuidar. Isso é muito duro de dizer: perder paciente por não poder cuidar”, disse Dr. Júlio, que já teve Covid e ficou 15 dias internado na UTI.

O secretario de saúde de Ilhéus, Geraldo Magela, disse que esse pode ser o pior momento do enfrentamento da pandemia. “O quadro hoje requer muito cuidado, por que tivemos um impacto muito forte da segunda onda na região. A gente considera que hoje já estamos no pico e entrando na terceira, com a chegada das novas variantes do vírus vindo de outras localidades”, comentou o Secretário.

Para piorar a situação, as 20 UTI´s que ficam no Centro de Covid que foi montado no Centro de Convenções está sem funcionar por falta de profissionais e de medicamentos. A empresa que geria o local, teve seu contrato encerrado no dia 31 de dezembro, diminuindo assim, drasticamente, a capacidade de operação do Centro.

Enquanto isso, pessoas como Dona Eulina Oliveira que está à procura de uma vaga para internar a sua mãe, Dona Lucilila Oliveira, passam dia todo em busca de um atendimento digno para os familiares. “Eu a levei (Dona Lucilia) em vários hospitais e não achei vaga para internar ela. Levei no Centro de Convenções, onde ela está internada, só que eu preciso de um hospital com leito de UTI”, explicou dona Eulina. Com informações da TV Santa Cruz.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.