AACRRI
Plansul
Buerarema
Ieprol

ITABUNA: OFICINA DE DANÇA INTEGRA COMUNIDADE E ESCOLA E DÁ INÍCIO AO PROJETO ESCOLAS CULTURAIS

A realização de uma oficina de dança marca o início das atividades do projeto Escolas Culturais no Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães, em Itabuna, no Sul da Bahia. O projeto integra o programa Educar para Transformar e tem como objetivo promover o protagonismo estudantil, além de reconhecer e requalificar a escola como um espaço de circulação e produção da diversidade cultural do Território de Identidade onde está inserida. O Colégio Modelo de Itabuna foi a primeira unidade da rede estadual a ter o projeto implantado.

A oficina, que reúne cerca de 200 pessoas entre estudantes e membros da comunidade, é dirigida por Francine Costa, da Secretaria de Educação do Estado e coordenadora de dança do projeto. “Trabalhar a arte-educação é trabalhar a relação professor-aluno, as relações de afeto, o fortalecimento do protagonismo juvenil, fazer com que o estudante acredite que é possível ser um agente transformador da sociedade”, afirma Francine. Para ela, “educar para transformar é entender e estimular o aluno para que ele promova a própria transformação”.

No Colégio Modelo de Itabuna, além da dança, já estão programadas as oficinas de literatura, audiovisual e música, além de rodas de conversa sobre cultura e apresentações de filmes para a comunidade, em sessões semanais do Cine Modelo. De acordo com a diretora do colégio, Ednailza Miranda, o projeto contribui para a formação multidisciplinar dos estudantes através da arte. “Eles irão mergulhar na cultura em suas várias expressões, contribuindo para transformar a comunidade em que estão inseridos. Estamos formando não apenas alunos, mas principalmente cidadãos”.

Novos horizontes – Entre os estudantes, o entusiasmo é muito grande para a realização de projetos culturais. Gleidson Lucas, do 3º ano do Ensino Médio, afirma que o colégio está inovando, trazendo mais cultura e motivando ainda mais a comunidade. “A dança é uma expressão que abre novos horizontes, inclusive na profissão que escolhi, que é Relações Internacionais, porque estimula o multiculturalismo”. A estudante Liane Araújo, também do 3º ano do Ensino Médio, está igualmente empolgada com a oficina. “A dança já faz parte da minha vida e o projeto faz com que os próprios alunos e a comunidade passem a ver a escola com outros olhos”, afirma.

A oficina de dança será encerrada no sábado (19), com uma gincana cultural envolvendo grupos de dança da comunidade e os estudantes do Colégio Modelo. O projeto Escolas Culturais é executado em parceria entre a Secretaria da Educação do Estado com as Secretarias de Cultura (Secult) e da Justiça, Cidadania, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS). As atividades envolvem as áreas de dança, música, audiovisual e literatura e, além de Itabuna, que é a cidade pioneira, outras 85 unidades escolares de 66 municípios baianos serão atendidas, com ações de requalificação e aquisição de novos equipamentos para projeção de audiovisual, apresentações artísticas e internet banda larga para o desenvolvimento de programas de rádio e ações de estímulo ao empreendedorismo.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.