Ieprol – Matrículas Abertas – Desktop Mobile
Plansul – 31 anos – Desktop/Mobile
AACRRI – Reconstrução PIX – Desktop/Mobile

ITABUNA: RICARDO XAVIER ASSUME E FALA EM SER UM PRESIDENTE ALTAMENTE DEMOCRÁTICO

Empossado nesta quarta-feira, 2, como presidente do Legislativo de Itabuna, Ricardo Xavier (PPS), disse que terá como aspiração ser “um presidente altamente democrático” no biênio em que ficará à frente da Casa. Ele frisou que empreenderá os maiores esforços regimentais para que “os 21 vereadores, sem distinção, possam exercer plenamente seus mandatos”.

Ao lado do vice-prefeito Fernando Vita, que chefia interinamente o Executivo, Ricardo defendeu outra meta da nova Mesa Diretora: preservar a autonomia e independência do Poder Legislativo. “Também vamos reformular e modernizar a Lei Orgânica de Itabuna e o Regimento Interno da Câmara”, complementou Xavier logo após prestar o juramento de posse.

Diante de uma plateia diversificada de autoridades, Ricardo ensaiou a criação de movimento regional, suprapartidário e com apoio popular, em defesa da região cacaueira. Para ele, a proposta é para fortalecer política e economicamente o sul da Bahia. Na sessão, o presidente da Câmara de Buerarema, Elio Almeida (PODE), também endossou a união dos grapiúnas.

O prefeito interino desejou uma gestão dinâmica à nova presidência e pregou paz na relação institucional entre os Poderes municipais. O ex-presidente da Casa, Edmundo Dourado, exortou que “não existe democracia sem o Legislativo”. O ex-vereador de Itabuna, João Xavier, pai de Ricardo, lembrou que é preciso “legislar sempre em favor do que é bom para a comunidade”.

Também foram empossados na sessão especial dessa segunda, 2, os vereadores: Charliane Sousa/PTB (1º Vice-Presidente), Chico Reis/PSDB (2º Vice), Manoel Júnior/PV (1º Secretário), Guinho/PDT (2º Secretário) e Babá Cearense/PHS (3º Secretário).

2 Comentários
  1. Júnior Diz

    Seriamente eu acredito que não era necessário essa quantidade enorme de vereadores digo mais os vereadores não precisava ser remunerado pois já que não fazem nada seria uma economia enorme para o município e também para a nação

  2. Júnior Diz

    Seriamente eu queria dizer que não precisava tantos vereadores na verdade não devia nem existir e se fizer deveria ser um cargo voluntários sem remuneração.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.