Pref ilhéus
Plansul
uruçuca novo
Cerveja Je assunção
Buerarema
Ieprol

MAIS DUAS DOAÇÕES DE CÓRNEAS SÃO REALIZADAS NA SANTA CASA DE ITABUNA

A sensibilidade e empatia de duas famílias no sul da Bahia vão beneficiar quatro pessoas que estão na fila de espera para o transplante de córneas. As doações aconteceram, nas últimas 24 horas, na Santa Casa de Misericórdia de Itabuna (SCMI). Foi a quinta doação de córneas neste ano.

As córneas foram enviadas para o Banco de Olhos da Bahia, em Salvador, que no estado é responsável por receber doações autorizadas por familiares das pessoas falecidas. As córneas serão processadas e armazenadas no local até que a Central de Transplantes da Bahia autorize a liberação para pacientes inscritos na lista única de transplante.

De acordo com o Banco de Olhos, até o início do ano, havia no estado cerca de 900 pessoas na fila de espera do transplante de córnea. Outro dado que chama atenção é que 100% das doações e quase 90% dos transplantes são feitos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Em Itabuna, as córneas doadas na SCMI são enviadas para a capital pela empresa Águia Branca, que é parceira da instituição.

“O sim para doação”

A coordenadora da Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgão e Tecidos para Transplante (CIHDOTT), a enfermeira Patrícia Betyar, explica que as doações recebidas neste ano possibilitaram que seis pessoas saíssem da fila de espera. “E nas próximas horas, outras quatro voltarão a enxergar. Imagine uma criança que sofreu um acidente e perdeu a visão. Agora, com esse ‘sim da doação’, ela voltará a enxergar seus pais, irmãos e primos. Poderá assistir aos seus desenhos e filmes, além de frequentar a escola com certa independência. Será uma felicidade imensa para toda a família”, afirma.

A enfermeira conta que, com a pandemia da Covid-19, aumentou o número de pessoas na fila de espera de transplante de órgãos e tecidos. “Mas a Santa Casa vem trabalhando para sensibilizar a sociedade e profissionais de saúde para aumentar a adesão ao ‘Sim da Doação’, porque potenciais doadores existem em todas as instituições de saúde. O que ainda precisamos é que mais famílias aceitem a oportunidade da doação, e autorize que seu ente querido já falecido salve vidas ”, avalia a enfermeira.

Patrícia Betyar destaca que qualquer pessoa com idade entre dois e 70 anos pode ser doadora de córnea. A doação é feita em até seis horas após a parada do coração ou, se o corpo do doador for mantido refrigerado, em 12 horas.

O que é a cirurgia?

O transplante de córnea é uma cirurgia em que o tecido alterado é removido e substituído pela córnea do doador, conforme detalha o Banco de Olhos da Bahia. A retirada do globo ocular é feita com técnica que não deixa vestígios, ou seja, não há modificação na aparência do doador.

Na Bahia, muitas pessoas estão na fila de espera por causa de doenças como ceratocone e leucoma. Mas outras acabam entrando para a lista depois de sofrerem traumas causados por objetos pontiagudos, queimaduras por produtos químicos e outras lesões. A fila do transplante de córnea é gerenciada pelo Ministério da Saúde.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.