Ieprol – Matrículas Abertas – Desktop Mobile
Buerarema – Fevereiro Roxo e Laranja – Desktop/Mobile
Itajuípe – Dengue Novo – Desktop/Mobile
AACRRI – Reconstrução PIX – Desktop/Mobile
Plansul – 31 anos – Desktop/Mobile

NOVA ASSEMBLEIA PODE DEFINIR RUMOS DA GREVE DOS TRABALHADORES DA CONSTRUÇÃO PESADA EM TODA BAHIA

Assembleia será realizada pelo Sintepav-BA nesta terça-feira (11)

   

O Sintepav-BA (Sindicato dos Trabalhadores da Construção Pesada e Montagem Industrial da Bahia), realizará na terça-feira (11), às 08h na Praça do Campo da Pólvora em Salvador e de forma simultânea nas centenas de obras nas diversas regiões do estado, assembleia que definirá os rumos da greve da Campanha Salarial 2024 “Jornada de Trabalho Menor para uma Vida Melhor” dos trabalhadores e trabalhadoras da construção pesada, deflagrada na última sexta-feira (07).

A greve ocorre em Salvador e nas cidade de Pojuca, Ourolândia, Umburanas, Urandi, Uruçuca, Barreiras, São Felix do Coribe, Gentio do Ouro e Novo Horizonte, entre outras. Nesta segunda-feira (10), às 13h30 será realizada uma audiência de conciliação entre o Sintepav-BA e o Sinicon – sindicato patronal no Tribunal Regional do Trabalho.

A greve é uma medida adotada diante da falta da valorização social do trabalho pelas empresas do segmento. Durante as diversas rodadas de negociações entre o Sintepav-BA e o Sinicon – sindicato patronal, não chegou-se a uma proposta que assegure a reposição da inflação, ganho real e assistência médica que são condições mínimas para os trabalhadores e trabalhadoras, responsáveis por importantes obras a exemplo da ampliação do metrô de Salvador, Ferrovia de Integração Oeste-Leste (FIOL), Terraplanagem, Barragens, obras de Energia Eólica, parque fotovoltaico, Linhas de Transmissão, entre outras, retornarem as atividades. Na Bahia, são mais de 20 mil trabalhadores e trabalhadoras da construção pesada, nas centenas de obras que representam 15 bilhões em investimentos.

“Os trabalhadores e trabalhadoras do setor são responsáveis pelo crescimento do PIB que é a soma das riquezas do país, desenvolvimento econômico e social, mas as empresas se recusam em promover condições mínimas que garantam a qualidade de vida da categoria. Portanto, a greve é instrumento de luta por melhores condições de trabalho, salários dignos, saúde e segurança do trabalho, assistência médica e manutenção das demais cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho”, destaca Gazo, presidente do Sintepav-BA.

*Confira as principais reivindicações:* Reposição da Inflação + Aumento Real; Concessão da Cesta Básica; Segurança e Saúde no Trabalho; Contrato de Experiência de 30 dias; Aviso Prévio Indenizado; Assistência Médica; Manutenção das demais cláusulas da CCT.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.