COLÉGIO JORGE AMADO
Buerarema
Pref ilheus junho
Plansul
Ieprol

O MENINO, A ÁRVORE DE NATAL E A FOME NO BRASIL

Por Marcos Dantas*

Provavelmente o(a) caro(a) leitor(a) se deparou com uma foto emblemática nas redes sociais na qual uma criança estava feliz por ter encontrado uma árvore de natal no lixão. Gabriel de 12 anos, foi clicado no Maranhão enquanto buscava alimentos e outros produtos para sua sobrevivência em meio a uma política econômica massacrante que joga a própria sorte milhões de pessoas que vivem em estado de vulnerabilidade social no Brasil.

De acordo com matéria do portal UOL, o Brasil registrou pouco mais de 19 milhões de pessoas passando fome. A foto de Gabriel em meio ao lixo pode se juntar a outros eventos lamentáveis no país neste ano, basta lembrarmos das pessoas procurando comida no caminhão de lixo e da fila do osso, fatos que revelam a face cruel do Brasil que se tornou apático à problemas sociais.

O discurso de que “estamos todos no mesmo barco” esconde o nosso olhar crítico na busca pelo entendimento de uma explicação de o Brasil ser um país injusto e desigual. É necessário que reconheçamos nossos privilégios e busquemos entender que o Estado não pode ignorar a maioria das pessoas a ponto de vivermos o absurdo de brasileiro(a)s estarem morrendo de fome.

O nosso país precisa de políticas públicas sociais em caráter de urgência, fazendo com que o alimento chegue à mesa das pessoas e não por apenas mero assistencialismo – tão criticado pela elite enquanto justiça social e praticado pela mesma como demonstração de “preocupação” com os menos favorecidos – mas para salvar vidas de pessoas que estão morrendo por falta de comida.

Que o Estado ofereça no mínimo “canoas aos que não estão nos barcos” e não continue a jogar os pobres nas valas dos cemitérios por falta de comida. Que haja justiça social, educação de qualidade para todas as crianças e que a felicidade para ninguém seja revelada ao encontrar uma árvore de natal no lixão.

*Marcos Dantas Graduando em Ciências Sociais UESC – BA Pesquisador em Socioantropologia do Consumo

5 Comentários
  1. Aline P. A. Diz

    Muito oportuna sua reflexão!

  2. Nicelli Diz

    Dando luz aos olhos dos que não querem enxergar! Brilhante!!!!

  3. Dani Novaes Diz

    Boa reflexao amigo! Precisamos de políticas para acabar com essa situacao de pessoas procurando a sobrevivencia nos lixoes, porem sinto que isso estar muito distante

  4. Lu Diz

    É incrível a forma como você escreve, continue, nossa região precisa desse esclarecimento político e social, é educativo para os mais jovens e até mesmo para quem se recusa a enxergar a realidade. Parabéns!

  5. Magno Diz

    Excelente texto Marcos. O Estado e a face mais perversa da indiferença às minorias!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.