Buerarema
Plansul
COLÉGIO JORGE AMADO
Pref ilheus junho
Ieprol

SÁTIRA POLÍTICA “O CANDIDATO” É O NOVO LIVRO DO BEST-SELLER DE NÃO FICÇÃO, RODRIGO ALVAREZ

Obra revisita o passado, espelha episódios recentes da história e idealiza um país livre que volta a sonhar

A democracia está sob ataque e o Brasil precisa desesperadamente de um herói para salvá-lo das garras dos maus políticos. O herói que nos surge, porém, é improvável: Almeidinha é um paraibano desajeitado, sonhador e pragmático, conhecido em Brasília como o maior escritor de discursos da história da República. Personagem central de O Candidato: Uma sátira contemporânea – novo livro do best-seller Rodrigo Alvarez, publicado pela editora Citadel –, Almeidinha tem agora a oportunidade de mudar os rumos do país.

Desenganado pelos resultados das eleições de 2018 e a chegada de Jairo ao poder, Almeidinha decide fazer as malas e embarcar com a família para uma temporada no exterior. Seus planos são interrompidos por uma chamada telefônica não identificada que, misteriosamente, o faz voltar a 1958. No passado, o redator tem encontros com os gênios da Bossa Nova, se encanta com um Brasil em que tudo parece dar certo e mergulha na boemia dos Anos Dourados.

A euforia dá lugar a inquietude após uma terrível constatação: o Golpe Militar que aconteceria em poucos anos já está sendo construído. Tentando consertar o Brasil, o viajante se encontra com figuras históricas, como o presidente Juscelino Kubitschek e também alguns militares, na tentativa de interromper o fluxo dos acontecimentos que levariam o país a duas décadas de censura, tortura e assassinatos. Uma terrível mancha na história do país.

“Vendo aquele cenário, depois de muito refletir, Almeida concluía que, sim, tinha uma missão a cumprir, algo que jamais lhe passara pela cabeça: evitar que Brasília e a democracia que ela fora projetada para sustentar fossem desfiguradas nos anos seguintes. E assim, depois de muitos dias, o redator de discursos finalmente teve certeza de que a razão de ter voltado ao passado estava relacionada com a possibilidade de mudar o futuro” (O Candidato, p. 64)

Com ritmo fluído e sagacidade de sobra, o autor escancara as barbáries da ditadura e do governo Jairo, aprofundando a discussão para nos apresentar um Brasil utópico, mas possível, tolerante e diverso, com a perspectiva de dias bem melhores que os de agora. A obra presta homenagem a grandes nomes das artes brasileiras, jornalistas comprometidos com a democracia e outras personalidades que representam “o melhor do Brasil”.

De forma bem-humorada, muitas vezes ácida e sempre envolvente, Rodrigo Alvarez nos apresenta uma crítica poderosa sobre o momento político atual. Seus personagens viscerais e autênticos nos fazem rir e chorar com a mesma intensidade. Em O Candidato, o Brasil de ontem se encontra com o Brasil de hoje numa aventura que diverte, emociona e enche de esperança aqueles que desejam que o Brasil seja um país democrático, com diversidade cultural e tolerância.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.