Cerveja Je assunção
uruçuca novo
Buerarema
Colégio Jorge amado
Plansul
Ieprol

SAÚDE MENTAL E TOMADA DE DECISÕES

Por Laís Lins*

O significado de Saúde Mental começa pelo próprio significado do que é saúde. De acordo com a OMS: Ter saúde é um “estado completo de bem-estar físico, mental e social”.

Observe: um “estado completo” e equilibrado entre estar bem fisicamente, socialmente e mentalmente. Não basta apenas uma dessas três áreas estarem bem. Entretanto, por vezes, deixamos de lado um ou outro desses fatores a depender do nosso período de vida. Algumas pessoas conseguem dar conta desse desequilíbrio por um tempo e logo voltam a se reestruturar. Outras não. Outras precisam de mais tempo e/ou ajuda.

Perceber a diferença entre “eu consigo dar conta sozinho” para “eu preciso de ajuda” é fundamental para a manutenção do nosso bem-estar. Se analisarmos direito, é a nossa mente que percorre esses três polos de saúde. Ela funciona como uma linha que (se) une com demais elementos e possibilita o equilíbrio.

Veja bem, a nossa mente é formada por nossos pensamentos e sentimentos. Ela sofre influência direta de nosso temperamento e é desenvolvida por nossas relações sociais, especialmente as relações familiares, que são nossos primeiros contatos. Nosso bem-estar físico, em geral, depende da forma como tratamos nosso corpo e da maneira como o movimentamos. Nossas relações sociais dependem das escolhas que fazemos ao longo da vida, das pessoas que convivemos ou deixamos de conviver. São todas escolhas, pequenas escolhas que fazemos diariamente, influenciadas por nossa mente.

Se a mantermos em boas condições, com consciência, pensamentos mais funcionais e realistas acerca de mim e do mundo, alinhados com nossos sentimentos e valores, provavelmente, mesmo que os reveses da vida nos pegue, nos manteremos saudáveis.

Até pode parecer óbvio para algumas pessoas, mas não o é para todos. Infelizmente muita gente ainda desconhece os benefícios de se ter saúde mental. De manter em estados equilibrados seus pensamentos, sentimentos e respostas comportamentais.

Estar atento a si mesmo, consciente das próprias necessidades, pode ajudar neste equilíbrio interno que almejamos, mas é pouco valorizado.

Não hesite em procurar ajuda sempre que sentir necessidade. Assim como não devemos esperar o dente começar a doer para ter cuidados com nossa higiene bucal, não devemos esperar as crises emocionais para ter cuidados com nossa saúde mental.

*Psicóloga com abordagem da Terapia Cognitivo Comportamental e dos Esquemas

1 comentário
  1. Anônimo Diz

    Muito bom esse espaço para tratar de um assunto tão importante!!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.