Plansul
COLÉGIO JORGE AMADO
Buerarema
Pref ilheus junho
Ieprol
Navegação na tag

Bolshoi

BAILARINO DE ITABUNA QUE ESTUDOU NO BOLSHOI ASSINA CONTRATO COM TEATRO DA EUROPA

Os primeiros passos de dança foram aos 9 anos de idade, quando Pedro Henrique Seara descobriu, entre tantas atividades, a paixão pelo balé. Natural de Itabuna, no sul da Bahia, o menino teve que enfrentar o preconceito e a desconfiança dos pais para ir em busca do sonho. Em 2010, Pedro participou de uma competição nacional de dança, realizada na cidade de Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), e terminou em 3º lugar. No ano seguinte, o jovem bailarino foi aprovado na pré-seleção para estudar na Escola do Teatro Bolshoi no Brasil, sediado em Joinville (SC). Hoje, aos 23 anos, Pedro acabou de fechar contrato para trabalhar no Teatro Acadêmico de Ópera e Ballet de Samara, na Rússia.

De malas prontas, o baiano embarca no fim de julho para o continente europeu e não esconde a ansiedade. “Estou empolgado para atuar no cargo de solista no teatro russo, onde realmente estarei em contato com o extrato do balé clássico, da valorização do artista e da arte como um todo”, conta. Mas a jornada até chegar a este patamar não foi nada fácil. Pedro Seara Lima teve que lidar, ainda criança, com a separação dos pais. Foi morar com a avó, que era diretora de uma instituição de ensino onde era desenvolvido um projeto social de dança.

“Viram que eu tinha talento e me levaram para as viagens. Meus pais não colocaram muita fé quando decidi pelo balé, porque eles sabiam o que iam enfrentar por causa do preconceito. A família toda fica preocupada com o que a criança vai ouvir pela falta de informação das pessoas”, lembra. Obstinado, Pedro participou de uma seletiva e garantiu vaga na Escola do Teatro Bolshoi no Brasil, que concede 100% de bolsas de estudo para todos os alunos e benefícios como alimentação, transporte, uniformes, figurinos, assistência social, orientação pedagógica, assistência odontológica preventiva, atendimento fisioterápico, nutricional e assistência médica de emergência/urgência pré-hospitalar.

“O Bolshoi era praticamente uma salvação de vida pra mim. Estudei por oito anos e também fiz parte da Companhia Jovem Bolshoi por três anos. Ganhei papéis de destaque, trabalhei na companhia profissionalizante com vários mestres e fiz turnê pelo país”, orgulha-se. (mais…)

Leia mais...