Plansul
FICC
CVR
Buerarema
COLÉGIO JORGE AMADO
Pref ilheus junho
Ieprol
Navegação na tag

Cacau

“A CADEIA PRODUTIVA DO CACAU É TODA CONTEMPLADA E A POPULAÇÃO FICA FELIZ COM A ALTERNATIVA DE LAZER”, DIZ MARCOS LESSA SOBRE O CHOCOLAT BAHIA 2022

No ano que a Bahia se consolida como maior produtor de cacau do Brasil, o Chocolat Bahia 2022 está na sua 23ª edição (entre BA, PA e SP) e após dois anos sem a realização a expectativa é de grande movimentação para o agronegócio e o turismo sul baiano. Na Bahia, a região com mais plantações do fruto é o Sul do estado.

O evento acontece entre os dias 21 e 24 de Julho no Centro de Convenções de Ilhéus. Políticos, autoridades e líderes da região prestigiaram a primeira noite do festival.

Confira a entrevista exclusiva realizada com Marcos Lessa, idealizador do Chocolat Festival e empreendedor no setor.

Leia mais...

“O OBJETIVO É FORTALECER O TURISMO, AMPLIAR GERAÇÃO DE RENDA E EMPREGO E VENDER NOSSO CHOCOLATE QUE É O MELHOR DO MUNDO”, DIZ PREFEITO DE ILHÉUS SOBRE CHOCOLAT FESTIVAL

A Abertura do Chocolat Festival aconteceu na noite desta quinta-feira, 21, no Centro de Convenções de Ilhéus. O maior evento de cacau e chocolate do Brasil e da América Latina será realizado entre os dias 21 e 24 de julho. Esse evento, segundo os organizadores, nasceu na Princesinha do Sul em 2009 e tem como objetivo principal fomentar toda a cadeia produtiva do cacau ao chocolate além de aspectos culturais e artísticos em torno do setor.

O Chocolat Bahia 2022 esta na sua 23ª edição (entre BA, PA e SP) e após dois anos sem a realização a expectativa é de grande movimentação para o agronegócio e o turismo sul baiano. A primeira noite do evento contou com a presença de autoridades da região.

Confira abaixo a entrevista exclusiva realizada pelo iPolitica com o prefeito de Ilhéus, Mario Alexandre.

    Leia mais...

CIMA COBRA PROVIDÊNCIAS PARA ENVIO DE CLONES SELECIONADOS PARA TESTE NO PERU E EQUADOR

O Consórcio Intermunicipal da Mata Atlântica (CIMA) enviou um ofício à Marcos Montes, atual ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do governo federal, solicitando o envio de 200 clones, aproximadamente mil plantas, para serem testadas no Peru e no Equador.

No documento, que foi assinado pelo presidente e prefeito de Jussari Antônio Valete, é informado que já tem cerca de dois anos que esses clones estão para serem enviados ao países e que se encontram, possivelmente, sem os devidos cuidados técnicos.

Ele ainda fala sobre a verba para o envio, que foi autorizada pelo Ministério Público, no valor de R$50 mil. Esses clones fazem parte de uma pesquisa sobre a monilíase do cacaueiro, causada pelo fungo Moniliophthora roreri, que é uma das principais ameaças a cacauicultura brasileira.

O Consórcio também faz duras críticas a atual gestão da CEPLAC que, segundo o documento, vêm promovendo aposentadoria dos pesquisadores e não repondo a demanda com a contratação de novos profissionais.

Leia mais...

PREFEITOS, SECRETÁRIOS E ESPECIALISTAS DEBATEM SOBRE NOVAS TÉCNICAS DE PRODUÇÃO DO CACAU

As novas técnicas para a produção de cacau na região e as pragas que ameaçam o cultivo do fruto, estiveram entre as temáticas debatidas durante a apresentação do projeto Cacau 500 Arrobas – Mais Sustentável, em Una, nesta terça, 31. O evento, promovido pela Amurc, em parceria com os Consórcios, Litoral Sul, Cima, Ciapra – Baixo Sul e Cimurc, reuniu prefeitos, secretários de Agricultura e Meio Ambiente, especialistas na produção de cacau.

Segundo o Agrônomo Extensionista e Pesquisador, Ivan Costa, o projeto Cacau 500 Arrobas, criado ainda quando estava na Ceplac, já vem sendo aplicado em mais de 500 fazendas da região, inclusive em Una. Com técnicas simples e mais rentáveis para a produção de cacau, a ideia é que a iniciativa venha ser apreciada pelos governos Estaduais e Federais para serem implementadas como políticas públicas para os agricultores.

O presidente da Amurc e prefeito de Buerarema, Vinícius Ibrann revelou que estará mobilizando prefeitos e prefeitas da região para um momento de apresentação de potencialidades peculiares de cada município, abrangendo o cacau. “Iremos mobilizar um grande seminário, abrangendo todos os municípios e formalizar um documento com as intenções de desenvolvimento da região para todos os pré-candidatos ao Governo do Estado e Federal”, destacou o gestor.

O prefeito de Una, Tiago Birschner agradeceu a participação dos prefeitos e secretários da região e destacou que está empenhado que o plano de desenvolvimento da lavoura cacaueira faça parte do plano de governo do próximo governador. “Saímos com a responsabilidade de promover os meios para que isso aconteça. A partir de agora a gente assume o compromisso de alavancar as ações dos gestores e o comprometimento com o projeto para que seja desenvolvido”.

No período da tarde, os representantes de 23 municípios realizaram uma visita a Fazenda Mangueira, em Una, para conhecer os resultados práticos do projeto Cacau 500 Arrobas. A fazenda possui 63 hectares, com plantações de pupunha, açaí, sendo que 27 hectares são reservados para a produção de cacau.

Leia mais...

AMURC E CONSÓRCIOS PROMOVEM APRESENTAÇÃO DO PACOTE TECNOLÓGICO CACAU 500 ARROUBAS – MAIS SUSTENTÁVEL

Amurc e Consórcios promovem apresentação do Pacote Tecnológico Cacau 500 arroubas – Mais Sustentável

A Amurc, em parceria com os Consórcios (CDS-LS, Cima, Cimurc e Ciapra – Baixo Sul), apresentam no próximo dia 31/05, às 9h, aos prefeitos e autoridades regionais e estaduais, em Una, o Pacote Tecnológico Cacau 500 – Mais Sustentáveis para o fomento à diversificação do Sistema Agroflorestal da Agricultura Baiana.

O Encontro visa fomentar a adesão ao projeto tecnológico entre os prefeitos, as autoridades junto a bancada baiana, para que os produtores de cacau da região possam promover melhorias na produção.

Na programação está prevista a apresentação do pacote tecnológico 500 Arrobas Mais Sustentável – Diversificação do Sistema Agroflorestal da Cacauicultura Baiana, com o palestrante Ivan Costa – Agrônomo Extensionista e Pesquisador.

O impacto da doença Monialíase na cultura do cacau equatoriano também será tema do evento, a ser ministrado por José Gregório Macías Briones, dirigente de Comunicación de UOCE. Unión de Organizaciones Campesinas de Esmeraldas.

No período da tarde vai acontecer a visita de campo da Fazenda Mangueira, em Una para conhecer os resultados práticos do projeto Cacau 500.

Leia mais...

ABERTURA DO CACAU VALLEY IFESTIVAL TERÁ PALESTRA SOBRE FUTURO DOS NEGÓCIOS

Na próxima quarta-feira (25), acontece, em Ilhéus, a abertura do Cacau Valley iFestival, maior evento de inovação do Sul da Bahia, com a palestra “O futuro dos negócios e os negócios do futuro”, ministrada pelo futurista e Head de inovação, Luiz Candreva. O evento será no auditório do Hotel Praia do Sol, às 19h. Com entrada gratuita e vagas limitadas, as inscrições podem ser feitas nesse link https://bit.ly/AgendaCacauValleyFestival.

Nessa palestra, já apresentada em cinco países, Luiz Candreva explora as facetas da inovação no passado e o presente, fazendo um paralelo entre as mudanças e indicando oportunidades. Segundo ele, trata-se de um momento de quebra absoluta de paradigmas.

Ainda na abertura do evento, será realizado o painel “Metaverso e tecnologias inovadoras aplicadas às micro e pequenas empresas”, com os especialistas na área de Indústria 4.0, Eduardo Moraes e Tauan Reis. Neste painel, serão explicadas as tendências tecnológicas que estão transformando a indústria mundial. A Indústria 4.0 é derivada das diversas revoluções industriais e impactará a sociedade em muitos aspectos, sobretudo no mundo dos negócios. (mais…)

Leia mais...

A PAUTA É CACAU NO PODCAST CAFÉ IPOLÍTICA DESTA SEGUNDA-FEIRA

O programa Podcast Café Ipolítica vai receber nesta segunda-feira (9) os prefeitos Antônio Valete (Jussari e presidente do CIMA) e Vinicius Ibrann (Buerarema e presidente da Amurc) para bater um papo juntamente com o extensionista e um dos idealizadores do projeto 500 na Ceplac, Ivan Costa. A pauta do programa vai ser sobre o projeto Cacauicultura de Alta Produtividade mais Sustentabilidade e a Marcha para Brasília.

Conduzido pelo jornalista Andreyver Lima, o Podcast Café Ipolítica será transmitido ao vivo, a partir das 19 horas, no canal do IpodcasTV no YouTube, onde os assinantes poderão participar enviando suas perguntas ou comentários.

Assista o programa no link abaixo:

Leia mais...

BAHIA VAI EXPORTAR CACAU PARA OS EMIRADOS ÁRABES

No último dia de agendas no exterior, o governador Rui Costa visitou nesta quinta-feira (28), acompanhado de produtores do agronegócio baiano, a Dubai Multi Commodities Center (DMCC), especializada na importação e exportação de produtos agrícolas dos Emirados Árabes. Rui conheceu a unidade de processamento de café que compra, avalia, empacota e exporta café de várias partes do mundo. A empresa vai iniciar um processo semelhante com o cacau baiano, produzido em Ilhéus.

“Nós produzimos o melhor cacau do Brasil e eles estão muito interessados em começar o processamento do cacau baiano. Vamos aproveitar e mandar para eles outros produtos, como algodão, castanha de caju e o café gourmet, que também têm muito potencial e são de extrema qualidade”, afirmou Rui. (mais…)

Leia mais...

AMURC PARTICIPA DE ENCONTRO COM REPRESENTANTES DA CÂMARA DE COMÉRCIO ÁRABE —BRASILEIRA: EM PAUTA CACAU, CHOCOLATE E COMÉRCIO EXTERIOR

Na manhã deste domingo, 13, estiveram reunidos representantes da Câmara de Comércio Árabe-Brasileira, representado pelos Senhores Ahmed Bin Sulayem, Samer Merhi, Executivos da DMCC (Dulbai Multi Commodities Centre) e o Sr. Rafel Solimeo – Diretor da Câmara de Comércio Árabe-Brasileira, representando os municípios do Sul da Bahia o Prefeito de Itajuípe e Presidente da AMURC Marcone Amaral e o Prefeito de Ilhéus Mário Alexandre, Dra. Soane Galvão Secretária de Desenvolvimento Econômico e Inovação do Município de Ilhéus e Dr. Vinicius Briglia Pinto – Assessor Especial da referida Secretaria, Cristiano Villela Diretor Executivo do Centro de Inovação do Cacau (CIC) e Luciano Veiga Secretário Executivo da AMURC e do CDS-LS.

“A gente fica feliz em receber investidores de várias partes do mundo, desta vez, a primeira visita de investidores dos emirados árabes, interessados em expandir negócios e contribuir com o crescimento da nossa cidade de Ilhéus e região. Isso reflete em mais arrecadação e receita, bem como reflete positivamente na nossa economia e de toda a região Sul, gerando emprego e renda para a nossa população”, destacou o prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre.

Esta vinda do pessoal do Dubai Multi Commodities Centre – DMCC, tem como objetivo entender sobre o mercado de cacau em nossa região, já que estão montando um centro de excelência em cacau, e pretendem compreender o modelo diferenciado realizado no Brasil, a exemplo do modelo cabruca e de sua sustentabilidade, bem como o SIC atua na linha de mapeamento de qualidade do cacau para que, futuramente, a Bahia e o Brasil seja um dos fornecedores de cacau de alto padrão para este empreendimento internacional”, afirmou Cristiano, do Centro de Inovação do Cacau – CIC.

Para o Presidente da AMURC e Prefeito de Itajuípe Marcone Amaral, “o encontro foi importante para apresentarmos o potencial da nossa região, com destaque para o cacau e chocolate, com oportunidades comerciais, que estarão sendo trabalhadas pela Câmara de Comércio Árabe-Brasileira, Governo do Estado da Bahia, Centro de Inovação do Cacau (CIC) e AMURC, onde serão realizadas reuniões e visitas, que estão sendo agendadas. A ponte de oportunidades do Sul da Bahia aos seus ativos econômicos e ambientais, passam a ter melhor desejo de percepção de negociação e parcerias, através dos intercâmbios comerciais. Nesta linha, a associação dos municípios – AMURC, estará atenta e de portas abertas ao debate, inserindo os agentes de transformação e inovação neste contexto, objetivando ampliar a o escopo institucional”, declarou.

O encontro foi marcado pelo interesse real das partes em criar caminhos, voltados para consolidar negócios entre a Câmara de Comércio Árabe-Brasileira e o Governo do Estado da Bahia, iniciando pelo cacau e chocolate.

Leia mais...

SUL DA BAHIA VAI RETOMAR A ROTA DO CACAU E DO CHOCOLATE

O assessor do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), Aldo Dantas, anunciou nesta sexta-feira, 3, em Itabuna, a retomada da Rota do Cacau e do Chocolate na região, durante um encontro promovido pela Amurc e pelo CDS – Litoral Sul. Prefeitos, secretários de Agricultura, produtores de cacau e chocolate, acadêmicos da Uesc e do Ifbaiano apresentaram seus anseios para a implementação de políticas públicas e o fortalecimento econômico da região, que ainda se destaca na produção de fruticultura, agropecuária e demais setores.

O encontro contou com a participação do prefeito de Jussari e presidente do Consórcio Intermunicipal da Mata Atlântica, Antônio Valete, prefeito de Camacan, Paulo do Gás, prefeita de Pau Brasil, Bárbara Prado, assessor da Secretaria de Agricultura da Bahia, Thiago Guedes, da gerente regional do Sebrae, Claudiana Figueiredo e do superintendente regional da Ceplac Bahia / Espírito Santos, Waldo Luiz Coutinho Britto.

O presidente da Amurc, Marcone Amaral parabenizou a iniciativa do MDR ao retomar uma pauta tão importante para a região e que ainda representa uma grande parcela do setor produtivo. Ele ainda propôs aos prefeitos, realizar uma mobilização da Amurc, juntamente com os consórcios públicos da região para uma visita ao ministro Rogério Marinho. “Iremos levar os nossos anseios e mostrar as pautas do segmento econômico ao ministro, para que sejam analisadas e atendidas”, declarou o gestor.

(mais…) Leia mais...

INVESTIMENTOS NA AGRICULTURA BAIANA E MONILÍASE DO CACAUEIRO FORAM PAUTAS DO CAFÉ IPOLITICA DESTE SÁBADO

O O Programa Café iPolitica deste sábado, 10, teve como temática a agricultura baiana com ênfase na região cacaueira. O Secretário de Agricultura, Pecuária, Irrigação, Pesca e Aquicultura da Bahia (Seagri), João Carlos Oliveira, e o Prefeito de Jussari e Presidente e Presidente do Consórcio Intermunicipal da Mata Atlântica, Antônio Valete, foram os convidados.

No primeiro bloco, o Secretário João Carlos foi entrevistado por Andreyver Lima e Ederivaldo Benedito, Bené e falou sobre os investimentos e ações da pasta em toda a Bahia e sobre a monilíase do cacaueiro, causada pelo fungo Moniliophthora roreri, uma das mais sérias doenças do cacaueiro, infectando os frutos em qualquer fase de desenvolvimento e, em condições favoráveis, pode causar perdas de até 100% da produção.

Secretário Estadual de Agricultura, João Carlos com Andreyver Lima e Ederivaldo Benedito

Já no segundo bloco do programa, o Prefeito de Jussari, Antônio Valete, que também presidente o Consórcio Intermunicipal da Mata Atlântica – CIMA, também discorreu sobre o fungo em um bate papo com Andreyver Lima e Larissa Moitinho.

Veja o programa na íntegra:

Leia mais...

COMISSÃO DEBATE PROJETO QUE CRIA POLÍTICA DE INCENTIVO AO CACAU DE QUALIDADE

A Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural realizará audiência pública na sexta-feira (11) sobre o tema “Política Nacional de Incentivo à Produção de Cacau de Qualidade”. A reunião ocorrerá no plenário 6, às 13 horas.

Entre os participantes confirmados estão a diretora executiva da Associação das Indústrias Processadoras de Cacau (AIPC), Anna Paula Losi; e do presidente da Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados, Ubiracy Fonseca. Veja a relação de convidados.

(mais…) Leia mais...

LEUR LOMANTO JR COMEMORA APROVAÇÃO DA MP 1.016 AO INCLUIR RENEGOCIAÇÃO DAS DÍVIDAS DOS PRODUTORES DE CACAU

Defensor da lavoura cacaueira e das bandeiras dos produtores baianos, o deputado federal Leur Lomanto Jr (DEM), comemorou a aprovação hoje, da MP 1.016/2020, que inclui o parcelamento das dívidas dos produtores de cacau da Bahia.

A MP que trata da renegociação dos recursos dos fundos constitucionais da Amazônia e Nordeste incluiu também as dívidas originadas no Programa de Recuperação da Lavoura Cacaueira.

(mais…) Leia mais...

BIOFÁBRICA DA BAHIA E SDR ENTREGARAM MAIS DE 50 MIL MUDAS NA PRIMEIRA QUINZENA DE ABRIL

Encerrando mais uma semana produtiva, a Biofábrica da Bahia entregou mais mudas para a agricultura familiar baiana em parceria com o governo do estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR). Somente nessa primeira quinzena de abril, foram distribuídas 50.750 mudas para variadas regiões.

Em Una, no Litoral Sul, foram entregues 10.500 mudas, de cacau e abacaxi BRS Vitória. Agricultores familiares do Quilombo do Danda, em Simões Filho, na região metropolitana de Salvador, receberam 8.550 mudas, de abacaxi BRS Imperial, mandioca, cajazeira, ipê amarelo, mogno africano e olho-de-pavão. Para os agricultores do Instituto Ecobahia, em Pau Brasil, no Litoral Sul, foram distribuídas 20 mil mudas de mandioca. E os cooperados da Coopessba – Cooperativa de Serviços Sustentáveis da Bahia, em Ilhéus, também no Litoral Sul, receberam 11.700 mudas de cacau seminal.

Foto Mariana Ferreira – ASCOM Biofábrica da Bahia

“As mudas são de grande importância, pois trabalhamos com a renovação da lavoura, inserindo a quantidade de mudas adequadas por hectare, e essas mudas seminais serão usadas para os cursos de clonagem do cacau. É muito importante esse apoio do governo para nós. Hoje estamos no projeto da SDR-CAR-Aliança Produtiva, que tem a contratação de um técnico para melhoramento da produção e da qualidade do cacau”, destacou Carine Assunção, diretora-presidente da Coopessba.

“A Biofábrica e a SDR estão unidas nesse esforço de promover o desenvolvimento rural na Bahia. Não entregamos apenas mudas, entregamos alta tecnologia, alta produtividade e assim promovemos segurança alimentar e qualidade de vida para as famílias agricultoras. Destaco que, com o apoio do secretário Josias Gomes, temos conseguido cumprir nossas metas mesmo diante da pandemia, com todos os cuidados necessários”, informou o diretor-presidente da Biofábrica da Bahia, Jackson Moreira.

Leia mais...

REPRESENTANTES DOS CONSÓRCIOS INTERMUNICIPAIS, PESQUISADORES E O DEPUTADO FEDERAL TITO DISCUTEM PROJETO DE LEI QUE AMPLIA A POLÍTICA NACIONAL DO CACAU

Em vídeo conferência realizada na última terça-feira (06), representantes dos Consórcios Intermunicipais, Pesquisadores da CEPLAC e o Deputado Federal Tito, colocaram em pauta o Projeto de Lei 4107que amplia a Política Nacional do Cacau. O Deputado Tito (Avante-BA) é relator deste projeto na Comissão de Agricultura da Câmara Federal. O projeto de Lei, uma iniciativa da AMURC, CIMA e SIAPRA, foi votado no Senado Federal e posteriormente encaminhado para Câmara Federal para apreciação. De acordo com produtora de cacau Isabel Delmondes a lei atende as necessidades dos municípios, dos agricultores, dos industriais e dos servidores da CEPLAC que tem assistido a dilapidação do seu patrimônio material e imaterial.

De acordo o Presidente do Consórcio Intermunicipal da Mata Atlântica (CIMA) Antônio Valete, o Projeto de Lei 4107prevê a construção de Políticas Públicas que garantam a pesquisa e extensão. “É preciso preservar o patrimônio material e imaterial produzido ao longo de mais de 60 anos pela CEPLAC, que vem sendo dilapidado sistematicamente. Falar de Sistemas Agroflorestais é falar da Cacauicultura, do Sistema Cabruca, do Cacau de Várzea e, portanto da preservação da Mata Atlântica, da Floresta Amazônica e de outros agrossistemas. Os Sistemas Agroflorestais são essenciais à vida destes ecossistemas”, pontuou Valete.

Construída por 18 especialistas do Brasil, oriundos dos cinco estados produtores de cacau entre eles pesquisadores da CEPLAC e sob a coordenação do Consultor da Organização das Nações Unidas (ONU) Carlos Aquino, o Projeto de Lei conta com o apoio na Câmara Federal da Presidente da Comissão de Meio Ambiente Deputada Carla Zambelli e da Presidente da Comissão de Agricultura Deputada Aline Sleutjes. Sua aprovação é ansiosamente aguardada por todos os cacauicultores do país.

Para o Secretário Executivo da AMURC Luciano Veiga, os municípios podem contribuir efetivamente com ações bilaterais para a captação de recursos. “Os governos municipais podem garantir governança de ações importantes para o desenvolvimento regional, constituindo-se um importante aliado para a volta do desenvolvimento da lavoura cacaueira e consequentemente das regiões produtoras”, ressaltou Luciano.

Criação de Fundo para Cacauicultura

O Brasil possui mais de 76 mil produtores de cacau, desses, aproximadamente 2.700 estão endividados. Partindo desse pressuposto o projeto prevê a criação de um fundo para a cacauicultura, para que as verbas oriundas da produção de cacau, linhas de financiamentos externas, internas e de outras fontes sejam direcionadas para o fundo e de fato os resultados da aplicação dos recursos cheguem a quem precisa. O Projeto de Lei também indica que o equacionamento da dívida que pode ser discutido dentro da Política de Mecanismos de Desenvolvimentos Limpo (MDL).

O Diretor do Instituto do Chocolate e Ambientalista Erlon Botelho reforça a importância de se trabalhar as regiões produtoras de cacau partindo de um projeto desenvolvido por uma equipe multidisciplinar. “O Projeto de Desenvolvimento da Cacauicultura: Rotas Estratégicas para a Cacauicultura Brasileira e o Novo Prodecau, apresentados pelo PrefeitoValete, trás um direcionamento sobre os passos que devem ser seguidos para que o cacau volte a ser um grande propulsor do desenvolvimento econômico tanto regional com nacional. A cacauicultura devolve para o país muito mais que os R$: 4,65 bilhões para a balança comercial,as devoluções vão além das delimitações geográficas.

Em uma comparação com soja, este cultivo trouxe a economia 51 vezes mais dólares que o cacau. Só que a soja está plantada em 59 vezes mais hectares que o cacau! Por outro lado, os Sistemas Agroflorestais com Cacau, incluindo os agrossistemas Cabruca e Várzea e o Cacau a Pleno Sol com barreiras de árvores, entregam serviços ambientais importantes como: preservação de água, fauna, flora, sequestro de carbono e uma pauta mundialmente discutida como são os problemas climáticos. Problemas que atingem todo o planeta e que serão discutidos em agosto na Escócia, trazendo a importância da preservação da Amazônia”, informou Erlon.

O Brasil possui o maior Centro de Pesquisa em Agricultura Tropical do mundo, o CEPEC, e mesmo assim, as lideranças municipais das regiões produtoras de cacau não conseguem ser ouvidas pela Ministrada Agricultura Tereza Cristina que é Engenheira Agrônoma. “A Ministra precisa olhar para as particularidades de cada região; várias tentativas já foram feitas até mesmo extrajudicialmente, queremos apenas que ela ouça os anseios de nossos representantes, conheça nossa região, mas parece existir um muro intransponível entre os Prefeitos e a Ministra, que até o momento não atendeu nenhuma das solicitações”, concluiu Erlon Botelho.

A partir da crise do cacau houve um empobrecimento dos municípios brasileiros que têm, como principal atividade agrícola, a lavoura a cacauicultura. Êxodo rural, desordem social, favelamento, danos ambientais, abandono de roças de cacau, entre outros são efeitos da crise na lavoura. Uma das metas do próprio Governo Federal é que tenhamos “Mais Brasil e menos Brasília” e o Pacto Federativo visa estreitar as relações entre os Ministérios e os Municípios.

O Projeto Rotas Estratégicas foi criado a partir de pesquisas importantes e trás informações sobre onde garimpar os recursos que podem alavancar a economia das regiões produtoras de cacau. Existem recursos na ANATER, no Fundo da Amazônia e no Fundo Verde e,os municípios, através dos consórcios intermunicipais podem propor e adquirir recursos em Organismos Internacionais, verbas para a resolução desses problemas que acabam afetando todo o planeta.

Em julho esta prevista a visita de uma delegação de prefeitos ao Vale do Itajaí para tratar de temas como Cooperação Internacional com a Alemanha com Foco no Clima.

Para o Presidente do festival Internacional do Chocolate Marcos Lessa, “enquanto estão desmontando a CEPLAC o país poderia estar vendendo serviços para o mundo e ganhando dinheiro com isso. Temos tecnologia de ponta e pesquisas importantíssimas que estão sendo jogadas fora”, relatou o empresário.

O desmonte do CEPEC/CEPLAC, principal centro de pesquisa em cacau e sistemas agroflorestais do país, pode trazer sérios danos para toda a sociedade. Com o aparecimento de novas pragas como, por exemplo, a monilíase (Moniliophthora roreri), devastadora doença para o cacaueiro a necessidade das pesquisas é ainda maior, pois a prevenção de pragas é feita através da criação de mecanismos de defesa, desenvolvidos a partir de estudos aprofundados.

Lideranças e pesquisadores dos cinco estados brasileiros produtores de cacau, seguem incansáveis na busca por soluções para os problemas da lavoura cacaueira e de um plano de desenvolvimento econômico que atenda as particularidades de cada região.

Leia mais...