Cerveja Je assunção
uruçuca novo
Buerarema
Plansul
Ieprol
Navegação na tag

Cultura

ITABUNA: PRESIDENTE DA FICC ELENCA PRINCIPAIS AÇÕES DA FUNDAÇÃO

Com pouco mais de cem dias a frente da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania – FICC, o atual presidente Aldo Rebouças conversou com Gabriel Guedes na última sexta-feira, 30, no Programa oito em ponto do Canal Ipolitica Bahia no YouTube.

Auxílio Emergencial para os artistas, Sistema Municipal de Cultura, entre outros assuntos foram destacados pelo gestor, que também respondeu a questionamentos dos internautas. Nesta segunda-feira, 3, o Provedor da Santa Casa de Misericórdia de Itabuna, Francisco Valdeci e o Delegado de Diretos Humanos, Adilson Assunção serão os entrevistados do Programa Oito em Ponto.

Assista a entrevista na íntegra:

 

Leia mais...

PANCADINHA ARTICULA FRENTE PARLAMENTAR EM DEFESA DO SETOR CULTURAL DE ITABUNA

No sentido de fortalecer a cultura no desenvolvimento econômico e social da cidade, e propor auxílio e incentivo aos trabalhadores e trabalhadoras do setor cultural, o vereador e músico Pancadinha (PMN), articulou nesta quarta-feira (31), a criação da Frente Parlamentar em Defesa da Cultura.

Segundo o parlamentar, que atua na Comissão de Educação, Cultura e Esporte, a criação desta Frente é extremamente importante para o momento que estamos vivendo.

“A ideia foi bem aceita e os vereadores se sensibilizaram com a causa. Sabemos que a pandemia tem afetado a vida de todas as pessoas, mas a classe artística foi a primeira a parar com as atividades e ainda não há previsão de retorno. Será um importante espaço de debate, com a participação dos colegas e artistas, para atenuar os prejuízos sofridos desde março do ano passado”, disse Pancadinha.

Leia mais...

PREFEITURA DE ITACARÉ LANÇA AÇÃO NO TURISMO PARA OS PROFISSIONAIS DE SAÚDE

A Prefeitura de Itacaré, por meio da Secretaria de Turismo e Cultura, em parceria outras pastas e com o trade turístico do município, lançou, neste domingo (21), uma ação voltada para os profissionais de saúde que estão na linha de frente contra a COVID-19. Batizado de “Aos nossos heróis”, o projeto vai oferecer condições especiais e descontos em hotéis, bares, restaurantes, agências de passeios e receptivos para o público formado por médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, nutricionistas, técnicos e demais profissionais que atuam no setor.

De acordo com o secretário Jorge Ávila, “a iniciativa é um esforço de toda a equipe da prefeitura, juntamente com o empresariado do município e é uma forma de agradecer aos heróis da saúde que estão há 12 meses sem descanso”. Além disso, a medida também é um incentivo para que o comércio local possa repor parte das perdas acumuladas por conta da pandemia.

“É uma ação responsável, pois abrangerá um público que está 80% a 90% imunizado. Além disso, teremos um rigoroso controle para o cumprimento de todos os protocolos sanitários”, contou Ávila.

Regulamento

Os profissionais de saúde terão descontos em hotéis, pousadas, bares, restaurantes, agências, dentre outros estabelecimentos ligados ao turismo. “De três diárias nos meios de hospedagem, uma será gratuita. Além disso, guias também oferecerão descontos de até 50% e os restaurantes e bares homenagearão a campanha, batizando os pratos com os nomes ‘Aos nossos heróis’”, disse o secretário.

Os serviços e pacotes turísticos para os trabalhadores da saúde serão comercializados de 22 de março a 22 de maio e as diárias poderão ser executadas entre 8 de abril (após a Semana Santa) até o dia 30 de novembro. As informações detalhadas da promoção estão disponíveis no site da campanha https://secultitacare.wixsite.com/aosnossosherois

Em relação à pandemia, Itacaré é um dos municípios baianos que registra baixos índices de infecções. Desde o início da pandemia, foram registrados 1252 casos e apenas 23 mortes.

Leia mais...

COM AGRAVAMENTO DA PANDEMIA, ARTISTAS E PRODUTORES CULTURAIS DA BAHIA QUEREM PRORROGAÇÃO DE PRAZO PARA PRESTAÇÃO DE CONTAS DA ALDIR BLANC

Artistas e produtores culturais da Bahia pleiteiam do Governo Federal e do Congresso Nacional a prorrogação dos prazos para a prestação de contas dos projetos aprovados na Lei Aldir Blanc. Representantes do segmento, liderados pela secretária da Cultura do Estado, Arany Santana e o presidente da Fundação Gregório de Matos, Fernando Guerreiro, se reuniram neste sábado com a deputada federal Lídice da Mata (PSB-BA) para discutir o assunto.

Chefe de gabinete da Secult do Estado, Cristiane Taquary explicou que com as medidas de restrição necessárias para conter o contágio do coronavírus será preciso adiar a execução de alguns projetos. Arany e Guerreiro lembraram que os produtores e artistas encontram-se angustiados, pois se não houver essa prorrogação eles terão problemas na prestação de contas.

A deputada federal Lídice da Mata garantiu apoio ao pleito e pretende mobilizar parlamentares da bancada da Bahia e também de outros estados para que seja entregue ao presidente da Câmara, deputado Arthur Lira (PP-AL) uma carta do Fórum Nacional dos Secretários da Cultura, que pedem a prorrogação dos prazos de prestação de contas dos projetos à Secretaria da Cultura do Ministério do Turismo. “A lei Aldir Blanc precisa ser um socorro e não uma dor de cabeça a artistas e produtores culturais”, finalizou a parlamentar.

Também participaram do encontro Júlia Salgado, Daniele Canedo e Felipe Dias Rego.

Leia mais...

MUSEU GEOLÓGICO DA BAHIA COMPLETA 46 ANOS COM ACERVO QUE REVELA MUNDO MÁGICO E DESCOBERTAS FANTÁSTICAS

Vinte e sete mil peças, fragmentos de um mundo fabuloso e provas concretas de descobertas fantásticas, foram se juntando ao longo dos últimos 46 anos e dão vida hoje ao acervo do Museu Geológico da Bahia (MGB), que celebra mais um ano de fundação nesta quinta-feira (04).

Desde 1975, o museu, que pertence à Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE) e abriga resquícios meteorológicos, geológicos, minerais e arqueológicos do território baiano, recebe visitantes curiosos em conhecer fósseis e réplicas gigantes de animais pré-históricos, corpos celestiais, cristais preciosos e a origem do Universo.

O cenário precisou mudar ano passado, com a chegada da pandemia da Covid-19, quando o MGB fechou as portas para visitações presenciais, mas abriu uma importante conexão com o público via web: o “tour virtual”, acessível no site oficial do museu (www.mgb.ba.gov.br).

“Olhares curiosos! É essa a reação das inúmeras pessoas que visitam o MGB, principalmente crianças e adolescentes. Mesmo na versão pela internet, a visita é encantadora. O Museu Geológico é um importante ativo para o estado, por salvaguardar toda a história das nossas riquezas minerais, origem da exploração do petróleo, meteoros que rasgaram o céu da Bahia e caíram em nosso território, fósseis de animais primitivos incríveis, que só vemos em filmes do cinema. Celebramos esses 46 anos do MGB trabalhando e torcendo para que essa pandemia passe logo, todo nosso povo seja vacinado, que vençamos esse momento mais crítico e possamos reabrir ao público as portas deste importantíssimo equipamento”, destaca o vice-governador João Leão, secretário de Desenvolvimento Econômico.

História

A inauguração do Museu foi marcada pela primeira exposição com a temática sobre Gemas e Rochas da Bahia, no dia 4 de março de 1975, no hall da antiga sede da Secretaria de Minas e Energia. Com o intuito de entregar um espaço mais confortável para o visitante e acolher reuniões científicas, dinamizar e qualificar as atividades dos serviços educativos do Museu, em 1985, foi criado um anexo com auditório, mezanino e salão de rochas ornamentais.

Em parceria com a Secretaria de Cultura e Turismo, através da Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB). Com o propósito de agregar ao MGB mais um espaço cultural e alternativo para a sociedade foi inserido o Cinema do Museu.

Já o programa Exposição Itinerante teve início em 1986, com a primeira amostra de exposição no Município de Morro do Chapéu. Exposições como: “Bahia – 500 mil anos antes de Cabral”, no Salão de Fósseis, “Otto Billian” e “Energia dos Cristais”, marcam a história do Museu.

Salas temáticas

Nas salas Universo/Sistema Solar e Meteoritos, de forma lúdica e interativa, a história da origem do Universo e do planeta Terra, a apresentação dos meteoritos e crateras de impacto no Brasil, brilham aos olhos de quem visita. Nas salas Minerais, Rochas e Minérios são vistas as propriedades de acordo com a atual classificação científica de cada peça.

O contexto histórico da extração de petróleo na Bahia, primeiro lugar onde jorrou o “ouro negro” no Brasil, e todas as etapas da pesquisa, da exploração, da produção e de seus derivados são apresentados na sala Petróleo.

Já no Salão de Fósseis, um dos mais badalados, estão expostas evidências da vida primitiva, animais e plantas fósseis, com destaque para a megafauna mamífera, a exemplo do Mastodonte, que viveu na Bahia.

Ao entrar no Salão de Rochas Ornamentais, o visitante terá a oportunidade de conhecer as rochas de ocorrências na Bahia, em seus diversificados aspectos e suas aplicações na construção e decoração. Destacam-se o “Mármore Bege Bahia”, o granito “Azul Bahia”, o “Conglomerado Marinace” e o quartzito “Azul Boquira”.

Leia mais...

ITAJUÍPE: DIRETORIA DE CULTURA PROMOVE LIVE NO DIA INTERNACIONAL DA MULHER

A Diretoria de Cultura de Itajuípe realiza, no próximo dia 08 de maço, uma live em celebração ao Dia Internacional Da Mulher. A mediadora da live será Silmara Oliveira, Diretora de cultura de Itajuípe e terá como convidada a Reitora da Universidade Federal do Sul da Bahia, Profª Drª Joana Angélica Guimarães da Luz.

Com o tema Espaço de Ascensão Feminina, a live tem por objetivo dialogar sobre o papel da mulher no mundo contemporâneo, considerando os diversos espaços de luta e resistência que as mulheres tem ocupado em nossa sociedade nos últimos anos. Neste diálogo que será apresentado ao público itajuipense e de toda a região, destaca-se a participação de Joana Angélica Guimarães da Luz, nascida em Itajuípe e primeira mulher negra eleita reitora de uma universidade federal em nosso país.

Geóloga pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Mestre em Geoquímica e Meio Ambiente (UFBA), Profª Drª Joana Angélica é também Reitora da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), Doutora em Engenharia Ambiental pela Cornell University (EUA), Doutora em Recursos Ambientais e Florestais pela Cornell University-EUA e atual Vice-presidente da Associação Brasileira de Dirigentes de Instituições Federais de Ensino Superior-Andifes.

Silmara Oliveira possui formação em Letras pela UESC, professora de Língua Portuguesa, Mestra em Cultura e Turismo pela Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC). É a atual Presidente da Academia de Letras de Itabuna, na qual se destaca pelo estudo da obra do escritor Adonias Filho. Silmara foi, também a idealizadora do Memorial Adonias Filho, em Itajuípe, e se destaca no ativismo cultural e como formadora de cineclubismo em Itajuípe. A Live será transmitida pelo Facebook da Prefeitura Municipal de Itajuípe, às 19 horas, do dia 08 de março.

Leia mais...

ESTÃO ABERTAS AS INSCRIÇÕES PARA AS OFICINAS GRATUITAS DA GUILDA CACILDA COMPOSIÇÕES ARTÍSTICAS

A Guilda Cacilda Composições Artísticas oferecerá no início do mês março de 2021, oficinas gratuitas em diversas modalidades que dialogam e contribuem para a formação das artes cênicas.

Através da experiência artística e pedagógica deste grupo, esta proposta fomenta a cultura e a arte através da valorização do artista, contribui para a democratização do acesso à cultura e à arte, favorece vínculos entre artistas da cena, estudantes do ensino médio e técnico em artes, e público em geral.

O projeto é fomentado através da Lei Aldir Blanc. As inscrições podem ser realizadas por meio deste link https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSfjRQI2DYmLIP4vCMXU5l85OFdlQW42HKgsz3PTLw8vBeDiHA/viewform 

Leia mais...

FUNDAÇÃO GARCIA D’ÁVILA REABRE VISITAÇÃO AO CASTELO NESTA QUINTA (11) COM NOVO MUSEU

A partir desta quinta-feira (11) os visitantes e moradores da Praia do Forte, em Mata de São João, voltam a usufruir de um dos mais importantes equipamentos culturais e históricos do país. O Castelo Garcia D’Ávila reabre para visitação com uma grande novidade: o Museu do Castelo. Além de exibir valiosas peças arqueológicas, o equipamento traz inovações tecnológicas, que permitem interatividade e muitas informações aos visitantes.

O Castelo, que também recebeu nova iluminação no sítio arqueológico, ficará aberto para visitações das 10h às 16h, de quarta a domingo. Os ingressos custam R$ 30 inteira e R$ 15 meia. As intervenções tiveram investimento de cerca de R$ 3 milhões, com verba do Ministério do Turismo.

O novo museu oferece acessos a vídeos com mapas históricos, desenhos e gravuras, que remontam o estilo de vida no Castelo. Outras novidades são os totens com projeção e as parabólicas sonoras, onde são exibidos depoimentos de pesquisadores, arquitetos, artistas, moradores da região e de conselheiros da Fundação Garcia D’Ávila.

Se, por um lado, a tecnologia possibilitará uma ampla interatividade e potencializará as informações históricas, a exposição com diversos utensílios, peças de cerâmica e até animais empalhados, traz um contato real com a história da Casa da Torre. Todos os objetos foram encontrados no Sitio Arqueológico. Parte sofreu restauração e parte está exatamente como encontrada.

Iluminação

O projeto de iluminação, assinado por Irma Vidal, permite uma observação dos mínimos detalhes, tanto dos pequenos objetos expostos no Museu, quanto das grandes estruturas das ruínas da Casa da Torre. Uma maquete restaurada do Castelo, projeto do miniaturista Léo Furtado, propõe uma visita fantástica à edificação medieval, no seu apogeu.

“O Museu foi transformado em um espaço inovador, com tecnologias de última geração, projetores de alto brilho, computadores automatizados, sonorização ambiente, interatividade e conteúdo multimídia de alta resolução”, explica A arquiteta e curadora do projeto expográfico, junto com Fritz Zehnle Jr., Rose Lima.

Vídeo-mappings

Em uma próxima fase, que deve acontecer ainda em fevereiro, o público poderá assistir, após o pôr do sol, a exibição de vídeo-mappings. São projeções de vídeos de grandes dimensões, nas paredes da frente (parte da Capela) e de trás do Castelo, com narrativos da história da Casa da Torre e de todo o seu contexto, montadas pelos VJs Gabiru e Spetto.

Parque histórico

Um dos mais importantes parques históricos e culturais do Brasil, o Castelo Garcia D’ávila, erguido em 1551, é a primeira grande edificação fortificada brasileira. Abriga a história da Casa da Torre de Garcia D’Ávila e um importante parte da história do país.

“Nossa proposta ao visitante é uma imersão na reconstrução da narrativa da ‘saga dos Garcia D’Ávila’, que deve ser entendida enquanto instrumento de cultura, educação e informação”, destaca Rose Lima.

A interatividade nos sítios históricos, museus e espaços culturais é uma tendência mundial. No Brasil, as exposições com interatividade estão se tornando cada vez mais frequentes, pois aproximam o usuário dos conteúdos e do próprio espaço.

“A ideia é propiciar tanto uma estadia confortável aos visitantes, como acesso a conteúdo históricos e artísticos. Um convite a uma viagem sensorial com experiências marcantes, significativas e contextualizadas”, convida a curadora.

Leia mais...

LEI ALDIR BLANC BENEFICIOU CERCA DE 400 ARTISTAS E INSTITUIÇÕES DE ITACARÉ

O município de Itacaré foi apontado como um dos destaques na organização, transparência e condução dos recursos da lei federal 14.017/2020, conhecida como Lei Aldir Blanc, tem como objetivo central estabelecer ajuda emergencial para artistas, coletivos e empresas que atuam no setor cultural e atravessam dificuldades financeiras durante a pandemia.

Coordenado pela Prefeitura de Itacaré, através da Secretaria de Turismo e Cultura, e pelo Conselho Municipal de Políticas Culturais, a Lei Aldir Blanc atendeu diretamente a cerca de 400 artistas, fazedores, profissionais e gestores culturais da cidade.

Itacaré recebeu o repasse do valor de R$ 224.424,36 e o município seguiu todas as etapas e procedimentos para garantir a transparência e a lisura na distribuição desses benefícios. Para a aplicação dos recursos da Lei Aldir Blanc foi constituído no município o Comitê Gestor e de Fiscalização composto por membros do Conselho Municipal, da Secretaria de Cultura, da sociedade civil organizada e dos setores jurídicos e financeiro da Prefeitura.

O prefeito de Itacaré, Antônio de Anízio, parabenizou todos os segmentos envolvidos nas etapas de organização e consolidação do benefício no município. Ele destacou a importância da Lei Aldir Blanc, não somente por atender aos artistas, promotores e fazedores de arte nesse momento de pandemia e dificuldades, mas também por garantir, como contrapartida, que após a retomada das atividades, as instituições beneficiadas deverão realizar atividades para alunos de escolas públicas, prioritariamente, ou para a comunidade, de forma gratuita.

A primeira etapa do cadastro cultural da Lei Aldir Blanc em Itacaré foi realizada no período de 15 de julho a 03 de agosto e foi reaberto em 01 de dezembro. Ao todo 231 profissionais do setor cultural e 56 espaços, empresas, manifestações e coletivos culturais foram cadastrados e homologados.

Conforme Plano de Ação aprovado na Plataforma + Brasil do Mtur, os R$ R$ 224.424,36 da Lei Aldir Blanc estão sendo aplicados em Itacaré da seguinte forma: R$ 162.000,00 aplicados em atendimento do Inciso II da lei, atendendo a 22 espaços, empresas e coletivos culturais com valores de R$ 9.000,00 e R$ 6.000,00 de acordo com os critérios estabelecidos, entre eles grupos de capoeira, povos de terreiro, associações quilombolas, associações de artesãos, galerias de arte, estúdios de música, espaços culturais e de cultura alimentar, empresas culturais e de eventos.

Já em atendimento ao Inciso III foram 14 prêmios Mestre Jamaica de atuação histórica de grupos, coletivos e manifestações no valor de R$ 1.000,00 cada, sendo premiados entre esses manifestações como cavalgada, quadrilhas juninas, grupos de percussão, grupos folclóricos, entre outros; 08 prêmios Dona Percelina de atuação histórica para Mestres, Mestras e griôs no valor de R$ 875,00 cada e ainda R$ 36.000,00 voltados a premiação de 12 projetos referentes a Chamada Pública 02/2020 que contemplaram projetos de oficinas de formação como percussão e dança, publicação de livros infantis digitais, lives de festivais de música, curta metragem, exposição virtual de fotografia, mapeamento de terreiros, entre outros.

A coordenação da Lei Aldir Blanc em Itacaré informou que todos os atos foram publicados no Diário Oficial do Município. O trabalho da Comissão foi iniciado em julho com reuniões semanais que perduram até o momento.

Foram realizadas ao todo 12 lives por segmentos, mobilizando a comunidade cultural da cidade para leitura, interpretação da lei e construção das demandas. Foi realizada ainda a Conferência Municipal em culminância ao processo de discussão das formas de execução da lei no município. Todo o processo contou também com divulgação nas redes sociais e nos principais veículos de comunicação da cidade.

Leia mais...

SECULT ATINGE TODOS OS 27 TERRITÓRIOS DE IDENTIDADE COM O PROGRAMA ALDIR BLANC BAHIA

O Estado, por meio da Secretaria de Cultura (Secult), atingiu todos os 27 Territórios de Identidade com os editais do Programa Aldir Blanc Bahia (PABB), cumprindo o Plano de Aplicação aprovado em setembro de 2020 pela Secretaria Especial de Cultura, do Ministério do Turismo (MTur).

Somente com os editais, a Secult e suas unidades vinculadas executaram mais de R$ 92 milhões no inciso III da Lei Aldir Blanc (LAB), para cerca de 1870 projetos, que foram pagos até o dia 31 de dezembro de 2020 ou empenhados para pagamento em janeiro de 2021.

Os certames estão sendo coordenados pela Superintendência de Desenvolvimento Territorial da Cultura (Sudecult), pelo Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI) e pelas unidades vinculadas: Fundação Pedro Calmon (FPC), Fundação Cultural do Estado da Bahia e pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac). Todos os recursos são via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial de Cultural, do Ministério do Turismo.

Territorialização

A Secult lançou, em 29 de setembro de 2020, o Programa Aldir Blanc Bahia contendo os editais Prêmio Cultura Viva Bahia 2020, pela Sudecult; o Prêmio das Artes Jorge Portugal e o Prêmio de Exibição Audiovisual, pela Funceb; os prêmios de Preservação dos Bens Culturais Populares e Identitários da Bahia Emilia Biancardi 2020 e o chamamento público Preservação das Matrizes Identitárias Jaime Sodré 2020, pelo CCPI; o Prêmio Fundação Pedro Calmon, pela FPC; e o chamamento público Salvaguarda Patrimônio Imaterial, pelo Ipac.

Com esses editais, todos os 27 Territórios de Identidade da Bahia tiveram projetos contemplados, o que demonstra a amplitude e a descentralização do programa a partir dos recursos da Lei Aldir Blanc.

O edital Prêmio Cultura Viva Bahia 2020 alcançou 100% dos Territórios de Identidade da Bahia, contemplando cerca de 200 propostas de Pontos e Pontões de Cultura em todo estado, com investimento para o segmento de mais de R$ 7 milhões.

A Funceb executou mais de R$ 57 milhões em recursos investidos nos editais sob sua coordenação (Prêmio das Artes Jorge Portugal e Prêmio de Exibição Audiovisual) e premiou 800 propostas nas linguagens de Dança, Teatro, Circo, Artes Visuais, Música, Literatura e Audiovisual, atingindo 25 dos 27 territórios baianos.

No CCPI, os prêmios de Preservação dos Bens Culturais Populares e Identitários da Bahia Emilia Biancardi 2020 atingiram 23 dos 27 territórios dentro das mais de 400 propostas. O quantitativo corresponde a mais de R$ 7 milhões, que somados aos mais de R$ 2 milhões, correspondentes às 14 propostas habilitadas do chamamento público Preservação das Matrizes Identitárias Jaime Sodré 2020, o CCPI executou mais de R$ 9 milhões.

Já a FPC alcançou 23 dos 27 Territórios de Identidade, com as 346 propostas habilitadas no Prêmio Fundação Pedro Calmon, dentro do Programa Aldir Blanc Bahia. Foram mais de R$ 11,5 milhões em premiações entre os projetos habilitados pela autarquia.

O Ipac coordena o edital de chamamento público Salvaguarda Patrimônio Imaterial, que teve 18 propostas habilitadas das 19 vagas, com investimento de cerca de R$ 6 milhões e que tem como objetivo promover a salvaguarda e a preservação de bens registrados na Bahia.

Programa Aldir Blanc Bahia

Criado para a efetivação das ações emergenciais de apoio ao setor cultural, o PABB visa cumprir os incisos I e III da Lei Aldir Blanc (Lei Federal nº 14.017, de 29 de junho de 2020) e suas regulamentações federal e estadual. As ações consistem na transferência da renda emergencial para os trabalhadores e trabalhadoras da cultura e na realização de chamadas públicas e concessão de prêmios.

O PABB tem execução pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Cultura, geridas por meio da Sudecult, do CCPI e da unidade vinculadas.

Leia mais...

PRÊMIO “TRAJETÓRIAS CULTURAIS”, DA FICC, HOMENAGEIA NESTA SEGUNDA-FEIRA PERSONALIDADES E ESPAÇOS ITABUNENSES

Dezesseis personalidades, espaços e manifestações culturais itabunenses serão homenageados na tarde desta segunda-feira, dia 21, pela Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania, em parceria com o Conselho Municipal de Políticas Culturais de Itabuna, com base na Lei Aldir Blanc. A cerimônia, presidida pelo presidente da FICC, José Carlos Trindade, está prevista para ocorrer às 16 horas, na sede da entidade.

O objetivo do Prêmio “Trajetórias Culturais”, segundo Thadeu Campos, coordenador da Comissão Municipal do Auxílio Emergencial Cultural, é reconhecer a história dos artistas itabunense. “Com essa homenagem, a FICC e o Conselho valorizam o trabalho dos mestres da cultura popular, das manifestações e espaços culturais populares e tradicionais”, acrescentou.

Ao destacar a importância e a relevância da Lei Aldir Blanc, a presidente do Conselho de Cultura, Bruna Setenta afirmou que a iniciativa preserva a história e a memória itabunense, fortalecendo o sentimento de identidade e de pertencimento. “Por meio de um diploma de reconhecimento e da premiação em dinheiro, reconhecemos aqueles que tanto contribuíram para a preservação das nossas manifestações culturais”, destacou.

Sabará baterista, Souza artesão, professora Zélia Lessa, Mestre Alfredo capoeirista, Mãe Wanda do Terreiro Ilè Axé Oyá Funké, Gerisnau cigano, Palhaço Charles, Ponto de Leitura Semear, Dicinho da Ninho da Música, Café Pomar, Cantina Tico-Tico, Caboclo Alencar do ABC da Noite, professor Ruy Póvoas do Terreiro Ilé Axé Ijexá Orixá Olofun e blocos “Maria Rosa”, “Casados I… Responsáveis e “Descansados” são as personalidades, os espaços e as manifestações culturais homenageadas.

Leia mais...

SECULTBA LANÇA PRÊMIO PARA PONTOS DE CULTURA PELO PROGRAMA ALDIR BLANC BAHIA

A Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), através da Superintendência de Desenvolvimento Territorial da Cultura (SUDECULT) lança, nesta quarta-feira (21), mais um edital do Programa Aldir Blanc Bahia, desta vez para premiar Pontos e Pontões de Cultura dos 27 territórios baianos. Com investimento de R$ 3 milhões, recursos oriundos da Lei Aldir Blanc através da Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, a chamada pública Prêmio Cultura Viva Bahia 2020 irá premiar 81 planos de trabalho. As inscrições ficam abertas até o dia 10 de novembro e devem ser realizadas através do preenchimento do formulário disponível aqui.

Cada Ponto ou Pontão de Cultura só poderá inscrever um único plano de trabalho e aqueles premiados farão parte do Banco de Propostas de Ações Culturais, que ficará disponível gratuitamente para grupos e/ou entidades culturais do estado. Cada um dos 27 territórios de identidade será contemplado com, no mínimo, três premiações. O Prêmio Cultura Viva Bahia 2020 é um reconhecimento ao importante trabalho desenvolvido por associações e coletivos culturais em toda a Bahia.

Inscrições

Os planos de trabalho apresentados devem ter orçamento máximo de R$ 220 mil, prazo mínimo de execução de 12 meses e máximo de 24 meses. Além disso, os planos devem propor atividades que possam ser executados virtualmente –transmitidas pela internet ou disponibilizados por meio de plataformas digitais –, presencialmente – respeitando os protocolos sanitárias – ou, ainda, atividades híbridas que mesclem ambas as modalidades. O modelo do plano de trabalho, assim como os documentos que devem ser encaminhados no momento da inscrição, estão disponíveis nos anexos do edital.

Quem pode participar

Podem concorrer ao prêmio Pontos ou Pontões de Cultura, sejam entidades jurídicas sem fins lucrativos ou grupos e coletivos sem constituição jurídica, desde que tenham finalidade cultural, e comprovem atuação na área cultural há pelo menos 24 meses. Pontos ou Pontões de Cultura da administração pública de qualquer esfera ou vinculados a ela, não podem participar.

Orientação online

Nos dias 26, 27 e 20 de outubro, às 10h e 15h, serão realizadas formações online através do Google Meet, nas quais será apresentado de forma detalhada o passo a passo para realização da inscrição, e os proponentes poderão tirar as suas dúvidas. Serão seis sessões de orientação online e os interessados poderão participar quantas vezes quiser através de um único link. Para ter acesso ao link clique aqui, ou solicite pelo whatsapp (71) 9688-1460.

Este é o sétimo edital lançado pela SecultBA dentro do Programa Aldir Blanc Bahia, que tem investimento total de R$ 50.761.683,10. Eventuais dúvidas sobre o edital devem ser encaminhadas por e-mail a culturavivabahia2020@cultura.ba.gov, ou ainda pelo telefone (71) 9688-1460.

Programa Aldir Blanc Bahia

Criado para a efetivação das ações emergenciais de apoio ao setor cultural, o Programa Aldir Blanc Bahia (PABB) visa cumprir os incisos I e III da Lei Aldir Blanc (Lei Federal nº 14.017, de 29 de junho de 2020) e suas regulamentações federal e estadual. As ações são a transferência da renda emergencial para os trabalhadores e trabalhadoras da cultura, e a realização de chamadas públicas e concessão de prêmios.

O PABB tem execução pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, geridas por meio da Superintendência de Desenvolvimento Territorial da Cultura e do Centro de Culturas Populares e Identitárias; e as suas unidades vinculadas: Fundação Cultural do Estado da Bahia, Fundação Pedro Calmon, Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural.

Leia mais...

NELSON LEAL DIZ QUE DEMISSÃO DO SECRETÁRIO DA CULTURA “ERA O MÍNIMO QUE A SOCIEDADE BRASILEIRA ESPERAVA”

O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia – ALBA, deputado Nelson Leal disse hoje (17.01) que a exoneração do secretário especial da Cultura, Roberto Alvim, “era o mínimo que a sociedade brasileira esperava”.

“Além de perder o emprego, ele tem que ser responsabilizado criminalmente: fazer apologia ao nazismo, pela lei brasileira, é crime. É bom que algumas pessoas aprendam que o embate político tem limites, e entre eles preservar a democracia, a liberdade e a vida”, disse Leal.

Para o chefe do Legislativo tem coisas que são inadmissíveis e uma delas é atentar contra o Estado de Direito. “O jogo político tem que ser jogado com regras. Não gostou, reprova nas urnas. No grito, com ódio e com violência, não!”, reitera o presidente da ALBA.

Leia mais...

ITABUNA: EM ENTREVISTA, ROBERTO JOSÉ CRITICA DESCASO DA PREFEITURA COM A CULTURA

O pré-candidato a deputado federal pela Rede Sustentabilidade, Roberto José, foi entrevistado essa semana por Cacá Ferreira, da Rádio Difusora. O tema foi o descaso com a Política Pública Municipal relacionada a Cultura em Itabuna e a situação caótica em que se encontra a Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania – FICC.

Roberto José afirmou que utilizou a política pública cultural para reduzir vulnerabilidade e risco social, a partir da criação e implementação das Casas das Artes E o Vivarte, hoje desativados pela prefeitura, programas que foram inspirados nas ações em Medellín na Colômbia, hoje cidade modelo no mundo, que conseguiu reduzir seus índices de violência a partir das ações em cultura, cidadania e educação. Ele lembrou que ainda enquanto gestor da FICC, de 2013 a 2016, captou recursos em diversas instituições públicas e privadas. “a Fundação não só viveu dos repasses do município.”, enfatizou.

Para o entrevistado, seu modelo de gestão, colocado em prática tanto a frente da FICC, mas também quando esteve à frente da Secretaria de Transporte e Trânsito de Itabuna, foi um modelo de visão sistêmica, o qual condicionam as diretrizes e ações governamentais, a partir da necessidade de otimização de recursos, agilidade e eficácia em termos de implementação, controle e resultados. “quando se implementam ações no trânsito que reduzem acidentes e melhoram a fluidez na cidade, o reflexo direto é trazer qualidade de vida e liberar leitos de hospitais, colocando a disposição para quem mais precisa, pois menos pessoas se acidentarão em razão das mudanças, fato comprovado com a queda dos índices de acidentes nos últimos anos em Itabuna. Esta visão de gestão, nos permite verificar que cada real investido em saneamento básico, promove-se a saúde em quatro reais, vez que a população deixa de adoecer, passando a ter mais qualidade de vida, logo não sobrecarrega os hospitais e os postos de saúde.”, adfirmou.

Roberto José destacou, ainda, que Itabuna é um dos municípios mais violentos do Brasil em razão do alto grau de vulnerabilidade e risco social, reflexo da crise da lavoura cacaueira que recepcionou um êxodo rural muito grande e que a prefeitura não se preparou, não planejou, não implementou nenhum tipo de política pública que acolhesse as demandas desse fluxo migratório. “Infelizmente Itabuna, é fruto de um atraso dos últimos 30 anos, de gestões ruins, temerárias e sem profissionalismo.”, concluiu.

Leia mais...