Ieprol – Matrículas Abertas – Desktop Mobile
Navegação na tag

Dengue

265 MUNICÍPIOS NA BAHIA ESTÃO EM EPIDEMIA DE DENGUE

De acordo com os dados da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Divep) da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), foram notificados 114.809 casos prováveis de Dengue na Bahia até o dia 7 de abril de 2024, registrando um Coeficiente de Incidência (CI) de 809,7 casos/100.000 habitantes. Na mesma semana epidemiológica 14 de 2023, haviam sido notificados 14.561 casos prováveis, o que representa um aumento de 788%. No total, 265 municípios da Bahia estão em estado de epidemia de Dengue. Outros 80 estão em risco e 18 em alerta.

A Bahia possui uma taxa de letalidade de 1,45%, menor do que a média nacional. Ao todo, foram confirmados 30 óbitos por dengue nos municípios de Vitória da Conquista (7), Jacaraci (4), Juazeiro (3), Piripá (3), Feira de Santana (3), Santo Antônio de Jesus (2), Barra do Choça (1), Caetité (1), Campo Formoso (1), Carinhanha (1), Ibiassucê (1), Irecê (1), Santo Estevão (1) e Encruzilhada (1).

Em 2024, até 7 de abril, foram notificados 8.814 casos prováveis de Chikungunya, com taxa de incidência de 62,3/100.000 habitantes, e registrados três óbitos, nos municípios de Teixeira de Freitas (2) e Ipiaú. No mesmo período de 2023, foram notificados 6.831 casos prováveis, um aumento de 29%. Já os casos prováveis de Zika são 1.103 até 7 de abril, contra 516 no mesmo período no ano passado, um aumento de 113,8%. Nenhum óbito por Zika foi confirmado.

Até o dia 5 de abril, foram aplicadas 101.804 doses de vacina contra a Dengue no estado.

Leia mais...

ITABUNA: BAIRRO SÃO CAETANO TERÁ MUTIRÃO CONTRA O MOSQUITO DA DENGUE NESTA QUINTA E SEXTA-FEIRA

Nesta quinta e sexta-feira, dias 21 e 22, a partir das 8 horas, acontecem no bairro São Caetano, mutirões de prevenção e combate ao mosquito, inclusive com bota-fora de coisas inservíveis armazenadas nas casas e quintais. Por isso, os moradores devem colocar tudo na porta de casa para o recolhimento pelas equipes de operários e caminhões do Departamento de Limpeza Pública da Prefeitura de Itabuna e da concessionária Biosanear.

Na manhã de quarta-feira foram realizadas visitas aos pátios de apreensão de veículos, borracharias e sucatas, localizados às margens da rodovia BR-101, trecho Itabuna- Itajuípe. Uma força tarefa em parceria com Agentes de Combate às Endemias da Secretaria Municipal de Saúde e da Secretaria de Transportes e Trânsito (SETTRAN) e Polícia Rodoviária Federal (PFR).

Foram encontrados diversos focos do mosquito Aedes aegypti em decorrência dos períodos chuvosos dos últimos 15 dias de março. Depois de verificados as pupas e larvas, os locais e veículos tratados para eliminação e recomendada algumas medidas preventivas aos gerentes e donos desses imóveis para evitar a proliferação do mosquito transmissor da dengue, zika vírus e chikungunya.

Segundo o Painel de Monitoramento das Arboviroses no site do Ministério da Saúde, até ontem Itabuna registra seis casos de chikungunya, com coeficiente de 3,2%, dos quais três confirmados em análises de laboratório e um epidemiológico. São 72 casos de dengue, dos quais nove confirmados em laboratorialmente e 13 clínicos epidemiológicos. O coeficiente de incidência resulta do número total de casos prováveis dividido pela população, multiplicado por 100 mil habitantes.

Leia mais...

272 MUNICÍPIOS BAIANOS ESTÃO EM ESTADO DE EPIDEMIA DE DENGUE; SESAB ALERTA PARA AMPLIAÇÃO DE HORÁRIO DE ATENDIMENTO NAS UNIDADES BÁSICAS

A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia – Sesab tem alertado os municípios para a necessidade de ampliação do horário de funcionamento de unidades básicas de saúde (UBS). De acordo com a secretária da Saúde do Estado, Roberta Santana, estão sendo enviados ofícios para as prefeituras pontuando a importância de as unidades básicas estarem prontas para dar assistência àqueles com sintomas de Dengue e em horário estendido.

A Sesab ainda tem promovido ações de teleconsultoria para auxiliar o manejo clínico dos pacientes na atenção básica. “Temos monitorado os casos, dando suporte às gestões municipais e às unidades de saúde, e precisamos dos baianos ao nosso lado, combatendo os focos e também se vacinando contra a Dengue”, reitera Roberta Santana, reforçando que a imunização contra a doença ainda está em ritmo lento.

De acordo com os dados da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Divep) da Sesab, 272 municípios da Bahia estão em estado de epidemia de Dengue. Outros 34 estão em risco e sete em alerta. São 62.478 casos prováveis da doença até o dia 16 de março de 2024. No mesmo período de 2023, foram notificados 12.479 casos prováveis, o que representa um incremento de 400,7%.

Segundo a Sesab, a Bahia possui um dos menores índices de letalidade por Dengue em todo o país, girando em torno de 1,47%, enquanto a média nacional é de 3,09%. O cálculo é feito com base nos casos notificados que evoluem para a forma grave da doença. Ao todo, 17 óbitos por Dengue foram confirmados pela Câmara Técnica Estadual de Análise de Óbito da Sesab nas cidades Jacaraci (4), Piripá (3), Vitória da Conquista (3), Barra do Choça (1), Campo Formoso (1), Feira de Santana (1), Ibiassucê (1), Irecê (1), Santo Antônio de Jesus (1), Santo Estêvão (1). Em 2024, foram registrados dois óbitos por Chikungunya, nos municípios de Teixeira de Freitas e Ipiaú. Nenhum óbito por Zika foi confirmado.

Também, em 2024, até o dia 16 de fevereiro, foram notificados 5.186 casos prováveis de Chikungunya no estado. Já os casos prováveis de Zika são 654.

Leia mais...

ITABUNA: SÃO CAETANO E JARDIM PRIMAVERA SÃO OS BAIRROS QUE APRESENTAM MAIOR NÚMERO DE CASOS DE DENGUE

O número de casos de dengue diminuiu nos últimos dias em Itabuna, embora os focos de larvas ainda continuem preocupando as autoridades sanitárias do município. Os bairros São Caetano e Jardim Primavera são os que ainda apresentam maior número de casos, segundo confirmou a coordenação do Programa de Combate às Endemias do Departamento de Vigilância em Saúde.

Por isso, a chefe do Programa, Lucimar Santos Ribeiro, reforça a importância de a população se manter vigilante e participativa em relação aos cuidados necessários, como manter o ambiente sempre limpo para impedir a proliferação do mosquito causador da dengue, chikungunya e zika vírus.

“É fundamental que os moradores dos bairros e áreas centrais da cidade façam sua parte para que as arboviroses sejam controladas na cidade”, apela a coordenadora, que destaca o esforço diário dos 170 agentes de combate às endemias no trabalho de combate ao Aedes aegypti e na prevenção de novos focos de larvas, além da orientação no sentido de ensinar como evitar novos focos.

“Com ações simples como manter tampados caixas, baldes ou qualquer outro vasilhame que possa acumular água, acondicionar o lixo em sacos plásticos, manter a lixeira sempre bem fechada, guardar garrafas de vidro ou de plástico com a boca para baixo”, ensina a coordenadora.

Entre as principais ações desenvolvidas pelo Departamento de Vigilância em Saúde estão o controle por meio de visitas domiciliares pelas equipes de endemias, o recolhimento de pneus usados em borracharias, oficinas e áreas públicas e a pulverização com bomba costal e uso de inseticida nos fins de tardes, principalmente nas em áreas onde há registro de casos das arboviroses.

Para concluir, Lucimar Ribeiro lembra que a dengue é uma doença perigosa, principalmente a hemorrágica, que pode levar a pessoa à morte. “Por isso, é importante que se denuncie possíveis focos de larvas ou casos de dengue em qualquer parte da cidade pelo Disque-Dengue 3612-8324”.

Leia mais...

ITABUNA: MÉDICA ALERTA PARA AUMENTO DE CASOS DE DENGUE E CHIKUNGUNYA EM BEBÊS

Nos últimos dias, o número de casos de arboviroses, principalmente de chikungunya e dengue, em crianças encaminhadas para o Hospital-materno Infantil Manoel Novaes, em Itabuna, não para de crescer. Entre a segunda quinzena de abril e este mês de maio, segundo a médica pediátrica Fabiane Chávez, diretora técnica do HMN, a quantidade de atendimento em bebês com idade entre um e três meses aumentou cerca de 30% em relação ao mesmo período do ano passado.

A médica relata que as arboviroses têm atingido uma quantidade maior de bebês com menos de 90 dias de nascido. Dentre os casos atendidos no Hospital Manoel Novaes, a pediatra cita o de um bebê de 20 dias de nascido, que ficou internado 15 dias em um leito da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) depois de contrair chikungunya.

Fabiane Chávez afirma que outra surpresa é que não apenas o bebê, mas toda a família dele testou positivo para doença. “Foi a primeira vez em toda a minha carreira profissional que vi um recém-nascido com chikungunya, com um quadro de saúde preocupante. O número de casos da doença não para de crescer. As pessoas precisam ter mais cuidado com a limpeza de terrenos baldios e plantas para que possamos reduzir esses números”, alerta a médica.

(mais…) Leia mais...

PESQUISADORES IDENTIFICAM VÍRUS QUE AMPLIFICAM TRANSMISSÃO DA DENGUE

Um estudo identificou que, na presença de infecção por dois vírus específicos de insetos — Phasi Charoen-Like (PCLV) e Humaita-tubiacanga (HTV), mosquitos da espécie Aedes aegypti e Aedes albopictus ficam mais propensos a transmitir a dengue e a zika.

O trabalho resultou no artigo “Mosquito vector competence for dengue is modulated by insect-specific viruses” (A competência do mosquito vetor para a dengue é modulada por vírus específicos de insetos) publicado no início deste ano, na Nature Microbiology.

O grupo responsável pela pesquisa é liderado pelo professor João Trindade Marques, do Departamento de Bioquímica e Imunologia do Instituto de Ciências Biológicas (ICB) da UFMG, tendo entre os primeiros autores, o professor visitante da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), Eric Aguiar, orientador no Programa de Pós-Graduação em Genética e Biologia e Molecular (PPGGBM/Uesc).

Para realização do trabalho, foi criada uma rede de colaboradores internacionais, com a coleta de mais de 800 mosquitos, oriundos de quatro continentes, utilizados para a geração de 91 bibliotecas de RNA-seq (sequenciamento de larga escala do ácido ribonucleico).

Os pesquisadores identificaram 12 vírus, dos quais dois, HTV e PCLV, são altamente prevalentes em diferentes regiões geográficas. Esses dois vírus, que infectam apenas insetos, são capazes de acelerar a transmissão dos vírus da dengue e da zika em ambiente de laboratório, o que levou a criação de modelos matemáticos que predizem grandes impactos dessa interação positiva em surtos de arbovírus.

Leia mais...

VACINA CONTRA A DENGUE DO BUTANTAN ATINGE EFICÁCIA DE 79,6%

A vacina contra a dengue desenvolvida pelo Instituto Butantan obteve 79,6% de eficácia nos ensaios clínicos. De acordo com a instituição, o acompanhamento com um grupo de 16 mil participantes por dois anos não registrou ainda nenhum caso grave da doença entre os que receberam o imunizante.

A fase de estudos clínicos da vacina contra a dengue começou em 2016, com a administração do imunizante a 10 mil voluntários com idade entre 2 e 59 anos. Mais 6 mil pessoas receberam um placebo. A incidência de dengue sintomáticos entre os participantes foi avaliada a partir dos 28 dias da imunização e seguiu por dois anos. O estudo prosseguirá o acompanhamento por cinco anos e será encerrado em 2024.

A eficácia da vacina foi ainda maior entre as pessoas que haviam contraído a doença antes do estudo, chegando a 89,2%. Entre as pessoas que nunca tiveram contato com o vírus, a eficácia ficou em 73,5%.

A vacina protege contra os quatro sorotipos do vírus da dengue. No entanto, no período da pesquisa, apenas os tipos 1 e 2 estavam em circulação no Brasil. A eficácia para evitar a infecção por essas variedades ficou em 89,5% e 69,6%, respectivamente.

Efeitos adversos

Entre os mais de 10 mil imunizados, apenas três pessoas apresentaram eventos adversos considerados graves até 21 dias após aplicação da vacina, sendo que todas se recuperaram totalmente.

Anos de pesquisa

A vacina do Butantan contra a dengue usa tecnologia do Instituto Nacional de Saúde norte-americano, licenciada em 2009. A primeira fase dos ensaios clínicos foi realizada nos Estados Unidos, entre 2010 e 2012, e a segunda parte da pesquisa, no Brasil, entre 2013 e 2015.

Os testes mostraram que a vacina é segura e protege contra os quatro sorotipos do vírus, o que era uma das maiores dificuldades para o desenvolvimento de um imunizante contra a doença.

Leia mais...

ILHÉUS: SESAU CONFIRMA CASOS DE ZIKA E CHIKUNGUNYA E ALERTA PARA RISCO DE SURTO

A Prefeitura de Ilhéus confirmou 38 casos de arboviroses até a presente data, dos quais 25 foram de zika e 13 de chikungunya. Conforme a Secretaria de Saúde (Sesau), outros 1.106 casos se enquadram como suspeitos e aguardam análise realizada pelo Laboratório Central de Saúde Pública da Bahia (LACEN). O boletim foi divulgado pelo setor de Vigilância Epidemiológica e de Endemias (VIEP) na última segunda-feira (28).

A Sesau explica que a chegada do fim do ano, tradicionalmente, aumenta o número de focos do Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika, chikungunya e febre amarela. O VIEP aponta algumas localidades que registraram aumento do número de casos e estão em situação de alerta, principalmente os bairros da Conquista, onde foram notificados 128 casos; seguido do Nelson Costa, com 115 casos; e do Nossa Senhora da Vitória/Condomínio Sol e Mar, que possui 107 casos suspeitos.

Os bairros Hernani Sá, Malhado, Pontal, São Francisco e Teotônio Vilela somam 304 casos sob investigação. A Sesau explica que os agentes de combate às endemias realizam um trabalho educativo para alertar a população sobre a importância de verificar qualquer reservatório que possa servir de criadouro para o mosquito.

Os munícipes devem cobrir tanques e tonéis, evitando o acúmulo de garrafas, copos descartáveis, latas, pneus, dentre outros objetos que ficam a céu aberto com água parada. A comunidade tem papel central na prevenção das doenças.

“Seja um cidadão cinco estrelas e tire cinco minutos do seu tempo para verificar sua casa. Não vamos deixar o mosquito nos vencer”, frisou Jailma Nascimento, diretora do VIEP.

Saiba onde procurar atendimento

A UPA da Esperança e o PA da Zona Sul são referência para os casos no município.

Disque-dengue

A população pode efetuar denúncias de possíveis criadouros do mosquito em terrenos baldios, casas abandonadas e áreas mais críticas, através do número (73) 3231-4519. O atendimento funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

Leia mais...

VITÓRIA DA CONQUISTA TEM MAIS DE 400 CASOS DE DENGUE E CHIKUNGUNYA CONFIRMADOS

Do início do mês de janeiro até esta quinta-feira (8), o Centro de Controle de Endemias (CCE) registrou, em Vitória da Conquista, 2.403 ocorrências de casos suspeitos de arboviroses, com 429 confirmados laboratorialmente. Do total, 200 tiveram diagnósticos positivos de dengue, 222 de chikungunya e sete de zika.

Outros 1.186 casos foram descartados laboratorialmente para essas doenças, 467 tiveram resultados inconclusivos e 321 pessoas aguardam o resultado laboratorial.

Até o final de julho tinham sido confirmados 177 casos de dengue, 211 de chikungunya e sete de zika. Os números vêm aumentando a cada mês, e a preocupação é que haja um crescimento maior com a chegada da primavera/verão, por conta do volume de chuva maior nessa época do ano, e do fato de o mosquito se favorecer de qualquer acúmulo de água parada para se reproduzir.

Nesse sentido, a coordenadora de endemias, Gabriela Andrade, explicou que as ações serão intensificadas nas próximas semanas para evitar um aumento na infestação do Aedes aegypti. “Vamos fazer de tudo para evitar o aumento no número de ocorrências em nosso município. Por isso, vamos trabalhar muito agora e esperamos contar também com a ajuda da população”, reforçou.

A orientação é para que, em casa, cada morador esteja em alerta no combate e prevenção ao mosquito, evitando deixar as caixas d’águas sem vedação, água parada em pequenos recipientes e em vasos de plantas, ou o descarte do lixo em horário e locais inadequados.

Para quem deseja fazer denúncias de possíveis focos do mosquito ou solicitar a visita dos agentes de endemias, entre em contato com o Centro de Controle de Endemias pelo (77) 3429-7421.

Leia mais...

ITABUNA: ÍNDICE DO AEDES AEGYPTI CAI E VOLTA AO ALERTA AMARELO PARA A DENGUE 

Com os esforços das equipes da Prefeitura de Itabuna no combate ao mosquito, o município sai do alerta laranja e volta para o amarelo no registro de casos de dengue. A redução nos índices, decorre do sucesso dos Mutirões de Combate ao Aedes aegypti, transmissor de arboviroses.

Para o sucesso dos mutirões, a Secretaria Municipal de Saúde contou com a ajuda da frota de “carros fumacê” da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (SESAB), além da decisiva participação de agentes de combate às endemias e comunitários de saúde, prepostos do Departamento de Limpeza Pública da Secretaria de Infraestrutura e Urbanismo, e de voluntários que contribuíram na intensificação das ações.

“No início da pandemia de dengue, nós tínhamos cinco bairros onde foram detectados índices de infestação predial de 12%, 13% e 15%, que são Novo Horizonte, Novo São Caetano, Maria Pinheiro e Daniel Gomes, respectivamente”, lembrou a diretora do Departamento de Vigilância em Saúde, Maristela Antunes.

“No entanto, nessas localidades os índices desceram para 1,2% e 2,3%, enquanto no Daniel Gomes o índice predial de infestação zerou. Porém temos que ficar em alerta e manter os cuidados. Tanto a população como a gestão devem continuar fazendo a sua parte”, disse .

Maristela acrescenta que, embora o número de notificações de casos de dengue nos bairros da cidade não seja preocupante, a infestação continua alta nos bairros Jardim Primavera, Vila Anália, Sarinha Alcântara, Corbiniano Freire, Antique e Alto Maron.

A Diretora da Vigilância em Saúde recomenda que a população evite deixar água parada, realize a limpeza de quintais e calhas e tampe bem vasilhames e reservatórios de água. Em caso de focos de larvas devem ligar para o Disk-Dengue (73) 3612-8324, no horário de expediente entre as 8 e 17 horas, de segunda a sexta-feira.

Leia mais...

ITABUNA: SECRETARIA DE SAÚDE DIVULGA QUEDA NO NÚMERO DE CASOS DE DENGUE

Na última terça-feira, 14, foi divulgado mais um Boletim da Dengue pela Vigilância Epidemiológica do Departamento de Vigilância em Saúde quando foi possível identificar queda constante dos últimos dias nos casos notificados. Com isso, Itabuna volta ao Alerta Laranja, deixando a situação de Alerta Vermelho epidêmico.

Desde o dia 7 até o dia 14, o decréscimo nos casos notificados foi de mais de 70% em relação à semana anterior, contabilizando aumento de apenas 22 casos notificados (do dia 31 ao dia 7 o aumento foi de 241 novos casos). Além disso, do dia 3 ao dia 14, houve estagnação nos casos de Zika (23) e aumento de apenas 6 casos a mais de chikungunya e dengue, se comparados à semana anterior.

Atualmente, segundo Boletim divulgado na terça-feira são 2.637 casos notificados sendo 1.396 os confirmados de dengue, 218 de chikungunya e 23 de zika. De acordo com a Vigilância em Saúde, Itabuna atualmente se encontra de volta ao Alerta Laranja junto a municípios como Coaraci, Santa Cruz da Vitória, Ibicaraí, Maraú, enquanto que os municípios de Itajuípe, Barro Preto, Almadina e Gongogi permanecem em alerta epidêmico.

Segundo a diretora de Vigilância em Saúde, Maristella Antunes, a queda se dá pelo trabalho contínuo e intensificado dos Mutirões de Combate ao Aedes aegyptipor meio das equipes de agentes de combate às endemias e de bloqueio e agentes comunitários de saúde e de vigilância epidemiológica, bem como as secretarias envolvidas como a de Infraestrutura e Urbanismo.

“Até agora, já foram visitados 15 bairros e os mutirões não param. Na próxima terça-feira, já visitaremos o Bairro João Soares seguindo critérios de prioridade das localidades com maior nível de infestação e incidência de casos”, afirmou Antunes.

Segundo ela, “essa regressão no aumento de casos é fruto do trabalho e empenho da Secretaria Municipal de Saúde e demais secretarias municipais envolvidas no combate à dengue. A luta continua e a população precisa ser nossa aliada contra o Aedes Aegypti”, finalizou.

Leia mais...

ITABUNA: PREFEITURA VAI REALIZAR MUTIRÕES PARA FREAR EPIDEMIA DE DENGUE, AFIRMA LÍVIA MENDES

A secretária municipal de Saúde, Lívia Mendes Aguiar, convocou todos setores administrativos  da Prefeitura de Itabuna, na manhã desta sexta-feira, dia 6, para se unir em uma força-tarefa de combate ao Aedes aegypti – mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. Itabuna está vivendo uma epidemia de dengue e é preciso ações rápidas e eficazes para a cidade não viver o mesmo caos do ano de 2016.

O primeiro mutirão, com o envolvimento de todos os setores da Administração municipal, será realizado no próximo dia 21. “Estamos traçando e colocando em prática, estratégias para frear a proliferação do Aedes aegypti com ações de conscientização e de combate para consequentemente evitar que Itabuna viva o mesmo caos de cinco anos atrás. Será um grande evento de combate e de conscientização de toda população”, explicou Lívia Mendes.

Segundo dados do Departamento de Vigilância em Saúde, a cidade já contabiliza 988 casos confirmados das três arboviroses. “Posso assegurar que os casos confirmados deste ano, superam em quatro vezes o  de 2021”, alerta a secretária Lívia Mendes. Ela lembra que a cidade já viveu, em anos anteriores, um histórico importante de casos de dengue, com sobrecarga dos serviços de saúde. Por esse motivo, é preciso unir forças.

De acordo com a secretária de Saúde, ações já estavam sendo realizadas, até porque essas doenças são esperadas nessa época do ano em que há chuvas com períodos de estiagem. “Os agentes de combate às endemias fizeram um belo trabalho ano passado, quando o Índice de Infestação Predial reduziu bastante”, afirmou.

“Mas, a combinação de chuva e calor, enchentes, dentre outros fatores, tudo isso contribuiu para o momento crítico de agora. Atualmente, Itabuna conta com 100% de cobertura dos agentes de endemias em toda sua área rural e urbana”, informou.

Leia mais...

SESAB REALIZA REUNIÃO DE MONITORAMENTO COM OS MUNICÍPIOS BAIANOS EM ALTÍSSIMO RISCO PARA DENGUE

A secretária da Saúde da Bahia, Adélia Pinheiro, esteve a frente hoje, 4, de mais uma reunião de monitoramento das arboviroses urbanas (dengue, zica e chikungunya) com os representates de 5 núcleos regionais de saúde e dos 17 municípios que hoje são considerados de alto e altíssimo risco para epidemia de dengue. A reunião foi acompanhada também pela presidente do Cosems –  Conselho de Secretários Municipais de Saúde – BA, Stella Souza.

Os 17 municípios com coeficiente de incidência para dengue maior que 100 casos para cada 1000 habitantes ficam localizados nos núcleos de saúde Sudoeste, Sul, Oeste, Centro-Norte e Norte. São eles:  Urandi, Floresta Azul, Coaraci, Potiraguá, Apuarema, Santa Cruz da Vitória, Mirangaba, Caatiba, Oliveira dos Brejinhos, Chorrochó, Remanso, Abaré, Caculé, Itajuípe, Caldeirão Grande, Érico Cardoso e Ipupiara.  Outros 8 municípios estão em alerta do mesmo nível para chikungunya e 1 para zica.  Ao todo, cerca de 80 representantes de municípios  participaram do evento de forma virtual.

A epidemiologista chefe da Coordenação de Doenças por Transmissão Vetorial, Sandra Oliveira, explicou que, entre as ações dos planos de contingência, os municípios precisam dar atenção especial para as devidas notificações no SINAN – Sistema de Informação de Agravos de Notificação. É a partir destes dados que a Sesab norteia as ações de mapeamento para apoiar os municípios no combate às endemias. (mais…)

Leia mais...

BAHIA REGISTRA MAIS DE 24,5 MIL CASOS DE DENGUE, ZIKA E CHIKUNGUNYA EM 2022

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica da Bahia (Divep/Sesab) está em alerta para situação epidêmica de dengue e chinkungunya nas macrorregiões de saúde Sudoeste e Norte. De acordo com levantamento realizado até a 16ª Semana Epidemiológica de 2022, (até 23 de abril), foram notificados 24.500 casos das três arboviroses urbanas em todo o estado: dengue, chinkungunya e zika. Somente de dengue, foram 14.732 casos, registrados em 271 municípios, com 16 óbitos.

Levantamento das últimas quatro semanas epidemiológicas revela dez municípios em epidemia para dengue: Urandi, Coaraci, Floresta Azul, Potiraguá, Apuarema, Mirangaba, Caatiba, Santa Cruz da Vitória, Remanso e Oliveira dos Brejinhos.

Em relação à chikungunya, no mesmo período, foram notificados 9.290 casos, um incremento de 19,6% em relação às notificações do mesmo período do ano passado. No total, 193 municípios notificaram casos, 49 deles com uma incidência de 100 casos para cada 100 mil habitantes. Os municípios das regiões de Itapetinga, Guanambi, Brumado, Itabuna, Caetité e Santa Maria da Vitória são os que registraram os maiores índices para esta arbovirose. Não houve registro de óbito.

Já os casos de zika também tiveram um incremento de 35,9%, com 557 notificações em 2022, contra 410 registradas no mesmo período de 2021. 69 municípios realizaram notificação para esse agravo, 5 deles apresentaram incidência igual ou maior que 100 casos/100 mil habitantes. Até o momento, não foi confirmado óbito para zika. (mais…)

Leia mais...

IBICARAÍ: SECRETARIA DE SAÚDE INICIA CAMPANHA CONTRA DENGUE, ZIKA E CHIKUNGUNYA

Com o tema ‘Juntos contra a Dengue, Zika e Chikungunya. Essa é uma luta de todos!’, a Secretaria de Saúde de Ibicaraí deu início no mês de abril a uma grande campanha de combate ao mosquito Aedes aegypti. A campanha está nas ruas com panfletos, cartazes, outdoors, vídeo e spot para rádio e carro de som, além dos profissionais das Unidades de Saúde, ACE e ACS, que fazem o trabalho de prevenção e conscientização com a população local.

Segundo a Assessoria de Comunicação da Prefeitura, nesta sexta-feira, dia 8 de abril, a secretária de Saúde Luna Tavares e equipe fizeram uma grande caminhada pelas principais ruas da cidade para conscientizar a população local, entregando panfletos e falando sobre os perigos do mosquito e as suas consequências.

Segundo a Ascom, paralelo a caminhada, equipes da Saúde têm feito mutirões nos bairros para sensibilizar e chamar a atenção da população para o risco de uma epidemia de arboviroses, através dos Agentes de Combate a Endemias (ACE) e as equipes de cada unidade de saúde.

“Estamos pedindo o apoio da população na limpeza dos seus quintais, além da preocupação com vasos que possam acumular água parada. Nossas equipes de Saúde têm feito um trabalho intenso nos bairros, distritos e locais com terrenos abandonados que podem virar foco do mosquito Aedes aegypti. É necessário que a população entenda que essa é uma luta de todos”, disse a secretária de Saúde Luna Tavares.

Relembre quais os principais cuidados tomar para evitar a proliferação do mosquito transmissor:

(mais…) Leia mais...