Plansul
COLÉGIO JORGE AMADO
Buerarema
Pref ilheus junho
Ieprol
Navegação na tag

Gleisi Hoffmann

RAQUEL DODGE PEDE AO SUPREMO CONDENAÇÃO DE GLEISI HOFFMANN E DO MARIDO PAULO BERNARDO

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, enviou, nesta segunda-feira (18), ao Supremo Tribunal Federal (STF) memorial pedindo a condenação da senadora Gleisi Hoffmann (PT/PR); o marido dela, Paulo Bernardo Silva; e Ernesto Kugler. Eles foram denunciados por corrupção ativa e lavagem de dinheiro. O processo está na pauta da sessão da Segunda Turma da Corte, nesta terça-feira (19).

Os fatos são relacionados ao desvio de R$ 1 milhão oriundos de contratos com prestadoras de serviços da Petrobras, que foram usados na campanha de Gleisi ao Senado, em 2010. Segundo investigações do Ministério Público Federal (MPF), corroboradas por depoimentos dos colaboradores Alberto Youssef e Paulo Roberto Costa, quatro repasses no valor de R$ 250 mil foram feitos em 2010 destinados à campanha da parlamentar.

A pedido de Paulo Bernardo, as entregas foram operacionalizadas pelo advogado Antônio Pieruccini, ligado a Youssef, que viajou de carro de São Paulo a Curitiba, onde se encontrou com Ernesto Kugler e entregou o dinheiro. Uma agenda apreendida pela Polícia Federal, pertencente a Paulo Roberto Costa, revelou o registro contábil da vantagem indevida com a indicação 1,0 PB. “A anotação ‘1,0 PB’ significa o repasse de R$ 1 milhão a Paulo Bernardo, marido de Gleisi Hoffman”, afirmou em depoimento o doleiro Alberto Youssef.

No documento enviado ao STF, Raquel Dodge destaca que Gleisi Hoffmann e Paulo Bernardo cometeram ato de ofício para fins de corrupção. No caso de Bernardo, o crime consistiu em conceder permanentemente apoio político para viabilizar a indicação e a manutenção de Paulo Roberto Costa na Diretoria de Abastecimento da Petrobras. Já em relação à senadora, o ato de ofício foi na modalidade omissiva, pois ela tinha o dever de fiscalizar os atos praticados por órgãos da administração pública. “A senadora, expoente de seu partido político, locupletou-se dolosamente de todo um esquema de ilegalidades praticados na Petrobras e, também por isso, deixou de cumprir com seu dever de fiscalização”, afirmou a procuradora-geral no memorial.

Leia mais...

PGR DENUNCIA GLEISI, LULA E PALOCCI POR ESQUEMA CRIMINOSO

A Procuradoria-Geral da República (PGR) denunciou, nesta segunda-feira (30), a senadora Gleisi Hoffmann (PT/PR), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, os ex-ministros Antônio Palocci e Paulo Bernardo, além do empresário Marcelo Odebrecht, pelos crimes de corrupção (passiva e ativa) e lavagem de dinheiro. Também foi denunciado Leones Dall Adnol, chefe de gabinete da senadora. Segundo a denúncia, a origem dos atos criminosos data de 2010, quando a Construtora Odebrecht prometeu ao então presidente Lula, a doação de US$ 40 milhões em troca de decisões políticas que beneficiassem o grupo econômico. As investigações revelaram que a soma – avaliada na época do acerto em R$ 64 milhões – ficou à disposição do Partido dos Trabalhadores (PT) tendo sido utilizada em operações como a que beneficiou a senadora na disputa ao governo do Paraná, em 2014.

Apresentada no âmbito da Operação Lava Jato, a denúncia é decorrente de inquérito aberto a partir de delações de executivos da construtora. Na peça, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, destaca que, além dos depoimentos dos delatores, a prática dos crimes foi comprovada por documentos apreendidos por ordem judicial, como planilhas e mensagens, além do afastamento de sigilos telefônicos e outras diligências policiais.“Há, ainda, confissões extrajudiciais e comprovação de fraude na prestação de informações à Justiça Eleitoral. Ressalte-se que até o transportador das vantagens indevidas foi identificado”, resume um dos trechos do documento, que foi encaminhado ao relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Edson Fachin.

Leia mais...

EM NOTA, PT DIZ QUE BUSCA NA CASA DE WAGNER É PERSEGUIÇÃO POLÍTICA

Algumas horas depois da operação da Polícia Federal, que cumpriu mandado de busca e apreensão  na residência do ex-governador Jaques Wagner (PT), a direção nacional do Partido dos Trabalhadores emitiu uma nota alegando perseguição política, o que considerou invasão por parte dos agentes da PF.

Leia abaixo a nota, na íntegra, assinada pela presidente do PT, Gleisi Hoffmann.

A invasão da residência do ex-governador Jaques Wagner por agentes da Polícia Federal, na manhã de segunda-feira (26) é mais um episódio da campanha de perseguição contra o Partido dos Trabalhadores e suas principais lideranças.

A sociedade brasileira está cada vez mais consciente de que setores do sistema judicial abusam da autoridade para tentar criminalizar o PT e até os advogados que defendem nossas lideranças e denunciam a politização do Judiciário.

A escalada do arbítrio está diretamente relacionada ao crescimento da pré-candidatura do ex-presidente Lula, nas pesquisas, nas manifestações populares, nas caravanas de Lula pelo Brasil. Quanto mais Lula avança, mais tentam nos atingir com mentiras e operações midiáticas.

Nossa solidariedade ao companheiro Jaques Wagner e sua família.

Por Gleisi Hoffmann, presidenta nacional do Partido dos Trabalhadores

Leia mais...

EM NOTA, PT REBATE PROGRAMA DO PMDB EXIBIDO NA TV

O PT rebateu, por meio de nota, nesta quarta, 29, as críticas feitas pelo PMDB em novo anúncio televisivo. O programa foi exibido nesta terça-feira, 27, em rede nacional, colocando o presidente Michel Temer como vítima de armações e mentiras. Segundo o Partido dos Trabalhadores, “quem deve desculpas ao povo brasileiro é o partido do golpista Michel Temer, que aprofundou deliberadamente a crise fiscal em 2015 e 2016 para chegar ao poder”. A nota, assinada pela senadora Gleisi Hoffmann, presidente do partido, afirma ainda que sob o comando de Eduardo Cunha, o PMDB sabotou todas as iniciativas de recuperação apresentadas pelo governo Dilma Rousseff. Leia o comunicado: “Quem deve desculpas ao povo brasileiro é o partido do golpista Michel Temer, que aprofundou deliberadamente a crise fiscal em 2015 e 2016 para chegar ao poder. Sob o comando de Eduardo Cunha, sabotaram todas as iniciativas de recuperação apresentadas pelo governo Dilma Rousseff e quebraram o Brasil com suas pautas-bomba: o aumento de 42% nos salários do Judiciário, o orçamento impositivo, a manutenção das desonerações, o fim do fator previdenciário e outras medidas irresponsáveis. Não fosse a sede poder dos golpistas do PMDB e seus aliados, o Brasil já teria superado a recessão e o desemprego e teria hoje um governo legitimamente eleito, dentro da normalidade democrática. O povo brasileiro não esquece que o governo do PT foi um tempo de desenvolvimento, democracia, inclusão social, oportunidades e empregos como nunca houve antes neste país”. Leia mais...

REQUIÃO DEFENDE A VOLTA DE LULA A PRESIDÊNCIA

Nesta terça-feira, 21, o Senador Roberto Requião (PMDB) almoçou com o ex-presidente Lula e a colega Senadora Gleisi Hoffmann (PT), na capital paulista. Requião, costumeiro crítico do governo de Michel Temer comparou Lula ao ex-presidente Getúlio Vargas. De acordo com a Coluna Expresso da Revista Época, na mesma fala, o Senador defendeu a volta do petista ao Palácio do Planalto.

Em seu Twitter, Roberto Requião disse: “Condenação absurda de D. Marisa, massacre de direitos de trabalhadores, entrega de nosso petróleo, tentativa de humilhar Lula e não apenas condená-lo. Lembram Getúlio? Bota retrato do velho outra vez, bota no mesmo lugar. Consequência lógica! Outra vez!”, “tuitou” o senador nesta quarta-feira, 22.

Em julho, Requião e o senador e presidente nacional do PMDB, Romero Jucá, trocaram ofensas e acusações nas redes sociais. Jucá criticou a proximidade de Requião com o PT e disse que o senador paranaense não combinava com o “novo PMDB”.

Leia mais...

PT DECIDE PELO AFASTAMENTO DE PALOCCI

O partido dos trabalhadores decidiu pelo afastamento do ex-ministro Antônio Palocci do partido. Em votação realizada nesta sexta-feira, 22, a presidente Gleisi Hoffmann fez o encaminhamento da proposta.

O diretório de Ribeirão Preto, onde o ex-ministro é filiado, vai concluir o processo de desfiliação em até 60 dias. Até lá, Palocci permanece afastado.

Leia mais...