Movimenta Bahia
CVR
diabetes
Buerarema
Plansul
COLÉGIO JORGE AMADO
Pref ilheus junho
Ieprol
Navegação na tag

João Roma

ROMA ANUNCIA VOLTA DE BOLSONARO À BAHIA NA SEMANA QUE VEM

O deputado federal João Roma (PL) anunciou a vinda do presidente Jair Bolsonaro (PL) à Bahia na próxima semana. Será no dia 25, terça-feira. Os locais da visita de Bolsonaro ainda serão definidos. Segundo Roma, o presidente estará em mais de uma cidade do interior baiano. “Estamos definindo a programação e como será a logística”, disse o ex-ministro da Cidadania em entrevista à rádio CBN Salvador, nesta quarta-feira (19).

Roma reforçou o seu compromisso com a reeleição do presidente Jair Bolsonaro, dizendo que, neste segundo turno, o trabalho tem sido intenso para ampliar a votação do correligionário na Bahia. Lembrou que, no último domingo, a primeira-dama Michelle Bolsonaro reuniu uma multidão em evento para mulheres em Feira de Santana, organizado pela deputada federal eleita Roberta Roma (PL), a mais votada da Bahia.

“Nesta quinta-feira (20), estarei em Juazeiro e Irecê participando de novas manifestações de apoio à reeleição do presidente Jair Bolsonaro, que já sinaliza nas pesquisas o crescimento da preferência de seu nome entre os eleitores baianos”, observou Roma, anunciando que, também, nesta quinta, o deputado federal mais votado do Brasil, o mineiro Nikolas Ferreira (PL), participa de evento em Salvador, à noite, na Primeira Igreja Batista, que fica ao lado da FTC, na Avenida Paralela.

Leia mais...

ROMA ENALTECE DESEMPENHO DO PL NA BAHIA E NO BRASIL: “GRUPO QUE COLOCA O BRASIL NOS EIXOS”

O deputado federal e ex-ministro da Cidadania, João Roma (PL), destacou o desempenho do partido na Bahia ao eleger três deputados federais e quatro deputados estaduais nas eleições realizadas no domingo (2). O ex-candidato a governador da Bahia, ao ressaltar ainda que o PL elegeu a maior bancada de deputados federais do Brasil, com 99 deputados federais, além de senadores e governadores, destacou: “nós continuamos fazendo parte de um grupo político que está colocando o Brasil nos eixos”. Roma deu a declaração, na manhã desta quinta-feira (6), durante entrevista à Rádio Princesa FM, de Feira de Santana.

Roma disse que a intenção dele e do grupo é persistir para que a Bahia seja a cada tempo motivo de orgulho para o Brasil. “Eu vou continuar trabalhando e me dedicando pela Bahia”, declarou o deputado federal. Nesta quinta, João Roma, ao lado dos senadores eleitos Magno Malta (PL/ES) e Damares Alves, vai a Vitória da Conquista “para justamente dar arrancada nessa eleição de segundo turno, para reeleger Bolsonaro e continuar a ajudar os mais necessitados do nosso Brasil”.

Na entrevista, Roma reiterou que o objetivo principal neste segundo turno é reeleger o presidente Jair Bolsonaro. “Sem dúvida nenhuma, o que se percebe hoje é que nós temos uma das eleições mais importantes como também uma das mais acirradas da história do Brasil. E é fundamental nesse momento que todos estejam atentos e trabalhando para reeleger o nosso presidente Bolsonaro para que o Brasil continue dando certo e sendo motivo de orgulho para cada um de nós”, destacou Roma.

Ele também reafirmou que, na eleição baiana, apoiará o candidato do União Brasil, ACM Neto, no segundo turno das eleições. “O foco é trabalhar em torno da reeleição do presidente Bolsonaro, que é fundamental para a Bahia e para o Brasil. Mas, na Bahia, eu não ficaria satisfeito em ocupar uma posição de neutralidade, pois eu acho que o líder político tem que saber que caminhos tomar e para onde seguir. Então naturalmente, como durante toda a campanha, eu coloquei que o nosso adversário é o PT na Bahia e no Brasil. Portanto, eu não estarei com o PT. Logo isso significa o apoio ACM Neto, está dado o apoio ao candidato ACM Neto mesmo sem ter tido nenhum contato”, disse Roma, que destacou que esse apoio não levou em conta questões pessoais com o candidato e nem passou por acordos quaisquer.

Leia mais...

ROMA DIZ QUE “NEUTRALIDADE” DE ACM NETO SOBRE PLEITO NACIONAL ENFRAQUECE ENGAJAMENTO DE ELEITORES DE BOLSONARO

O deputado federal e ex-ministro da Cidadania, João Roma (PL), disse que a não manifestação de apoio do candidato a governador ACM Neto (União Brasil) pode ser uma barreira para que eleitores que apoiam o presidente Jair Bolsonaro (PL) na Bahia e que votaram nele e na candidata ao Senado, Raíssa Soares (PL), escolham o ex-prefeito de Salvador nas urnas no próximo dia 30.

“É muito pouco provável que um eleitor de Lula vá votar no ex-prefeito ACM Neto porque o 13 vai ter o candidato 13 na Bahia. Não manifestar, portanto, esse posicionamento enfraquece a chegada desses eleitores de Bolsonaro”, avaliou Roma, na manhã desta quarta-feira (5), em entrevista à Rádio A Tarde FM, de Salvador.

O ex-ministro da Cidadania disse que essa postura do eleitorado independe da posição dele e de Raissa Soares. “O eleitor de Bolsonaro está vendo a importância dessa eleição para o futuro do Brasil. Ele almeja votar em um candidato que esteja vinculado ao presidente”, explicou Roma.

Ele, entretanto, afirmou que fez questão se manifestar politicamente com clareza. “Eu não estarei apoiando o PT nem na Bahia nem no Brasil”, salientou Roma, que criticou a posição do ex-prefeito de Salvador de não definir apoio nacional também no segundo turno das eleições estaduais.

O ex-candidato do PL ao governo da Bahia comentou ainda que a neutralidade de ACM Neto no segundo turno “não gera entusiasmo em mim nem em nenhum eleitor do presidente Bolsonaro. As manifestações nas redes sociais, mesmo durante a nossa live [realizada na noite de terça-feira], demonstravam que muitos ficam desestimulados em apoiar o ex-prefeito que, mais uma vez, quer as benesses de uma fatia do eleitorado, mas não consegue se comunicar adequadamente com essa fatia”.

Roma citou, por exemplo, a questão da diminuição de impostos e da pauta de costumes. “Que estrutura de liderança é essa que não consegue sequer manifestar opinião sobre o que nós queremos para o futuro do Brasil”, indagou. O ex-ministro da Cidadania citou frase do ex-presidente norte-americano FranKlin Roosevelt, segundo quem “o caminho para o insucesso certamente é querer agradar a todos”.

O deputado federal João Roma ainda ressaltou que questões pessoais não determinam as decisões políticas dele. “Nosso papel como líder político e homem público é não deixar diminuir as discussões sobre o futuro da Bahia e do Brasil a questões pessoais. O que temos que tratar com clareza é a nossa responsabilidade perante o futuro da população”, enfatizou. “A minha posição não significa a superação de qualquer assunto. A minha posição não significa aproximação pessoal, significa posicionamento político, o que eu acredito para o futuro da Bahia e o futuro do Brasil”, declarou Roma.

Leia mais...

ROMA E RAÍSSA VÃO ACELERAR CAMPANHA NA BAHIA POR BOLSONARO

O ex-ministro da Cidadania e deputado federal, João Roma (PL), que disputou o governo da Bahia, e a médica e ex-secretária de Saúde de Porto Seguro, Raíssa Soares (PL), afirmaram em live realizada na noite desta terça-feira (4), pelo Instagram, que manterão a estrutura da campanha, inclusive com o comitê em Salvador, para realizar a campanha pela reeleição do presidente Jair Bolsonaro (PL), que disputa o segundo turno em 30 de outubro.

Roma e Raíssa também ressaltaram que o adversário deles na Bahia e no Brasil é o PT e que, na disputa pelo Palácio de Ondina, podem votar no ex-prefeito de Salvador, ACM Neto (UB), se ele também sinalizar apoio ao presidente Jair Bolsonaro. “Não podemos deixar que o Brasil não viva a realização de uma promessa de ser uma grande nação”, disse Roma, ao manifestar que permanecerá na Bahia os esforços para reeleger Bolsonaro.

“Vamos organizar uma agenda, vamos manter o comitê central em Salvador, mantendo também toda a estrutura”, complementou o ex-ministro ao também ressaltar que o objetivo agora é aumentar o potencial de votos do presidente Jair Bolsonaro em toda a Bahia. Doutora Raíssa ressaltou que, para derrotar o PT, é necessário reunir esforços. Ela destacou: “grupos políticos em toda a Bahia estão realizando suas estratégias locais para aumentar os votos para o presidente Jair Bolsonaro”.

Sobre a manifestação de apoio no segundo turno do pleito estadual, Roma ressaltou que ela não passou por nenhuma conversa com ACM Neto. “Essa nossa manifestação não passou por nenhum entendimento”, ressaltou Roma, para quem as escolhas políticas não podem levar em consideração desentendimentos pessoais. “Eu não estou aqui tratando do meu umbigo. Eu estou tratando do futuro da Bahia e do futuro do Brasil”, declarou.

“Eu estou aqui manifestando a minha voz e a minha posição política, pois eu estarei contra o PT. Se o nome disso é apoiar ACM Neto, que seja apoiar ACM Neto. Agora, para ele conquistar o voto dos bolsonaristas, ele precisa mostrar a sua diferença às pautas do PT, precisa conversar com cada um dos nossos apoiadores para mostrar justamente se ele defende a pauta da família, qual a sua posição sobre o aborto, se ele pretende diminuir os impostos na Bahia”, disse Roma, que enfatizou: “Essa mãozinha aqui não clica no 13”.

De fora da disputa do segundo turno na Bahia, o deputado federal João Roma (PL) se movimenta em Brasília. Almoçou nesta terça-feira com o presidente Jair Bolsonaro e o acompanhou em coletiva na qual teve a performance eleitoral elogiada e a confirmação de que, depois do segundo turno, reassume o Ministério da Cidadania. Desde a segunda-feira (3), ele está em Brasília com o senador Flávio Bolsonaro (PL), participando de reuniões com o objetivo de traçar estratégias de campanha para a nova etapa da disputa eleitoral.

Leia mais...

EM DISCURSO HOMOFÓBICO, ROMA DIZ QUE CRIANÇAS ADOTADAS POR CASAIS HOMOAFETIVOS ESTÃO EXPOSTAS A SEXUALIZAÇÃO

Em um discurso homofóbico, o candidato ao governo da Bahia pelo PL, João Roma, disse, nesta terça-feira (13), que é contra a adoção de crianças por casais homoafetivos, pois, para ele, a prática seria uma forma de expôr a criança à sexualização.

“A minha opinião pessoal é: eu quero que essa criança não tenha acesso à indução de sexualidade dentro do período que ela está desprotegida”, afirmou, em entrevista à TV Bahia.

Ao ser perguntado pelo jornalista Vanderson Nascimento sobre o assunto, Roma disse que seu dever primeiro era “proteger os direitos das crianças”. Mas titubeou ao dizer quais seriam esses direitos. Pressionado, o correligionário do presidente Jair Bolsonaro (PL) disse que não poderia colocar uma “criança desprotegida”, sob a tutela de casais homoafetivos.

“Eu tenho amigos homossexuais, nunca permiti que ninguém fosse destratado. O que não pode é se colocar para uma criança nessa fase que ela está mais desprotegida, se querer estar sexualizando. Como a questão, inclusive, da política de gênero dentro das escolas”, falou o candidato, ao tentar se justificar. Com informações Metro1.

Leia mais...

ROMA DIZ SER “BRAVATA PURA” FALA DE ACM NETO SOBRE DEBATE: “O QUE SE VÊ É UM CANDIDATO FUJÃO”

O candidato a governador da Bahia, ex-ministro da Cidadania e deputado federal, João Roma (PL), classificou como “bravata pura” o “desafio” feito pelo candidato ACM Neto ao candidato Jerônimo Rodrigues. “O que se vê é um candidato fujão. Já ocorreram dois debates, todo estruturados, com regras claras, e ele buscou desculpas esfarrapadas para fugir do debate e depois vem propor um debate entre ele e Jerônimo. Ele está com medo de conversar comigo por quê?”, questionou Roma, durante entrevista à Rádio Excelsior, em Salvador, na manhã desta terça-feira (13).

Roma ainda afirmou que o ex-prefeito de Salvador “tem que dizer por que ele não quer e o que é que ele tem contra a Bandeirantes, a TVE. Por que ele só pode debater na TV que ele é dono? É muito triste, em pleno processo eleitoral, a população lidar com essas bravatas de pessoas que não conseguem demonstrar verdade, transparência para a população”. O ex-ministro da Cidadania salientou que ACM Neto só se preocupa com seus próprios interesses.

O candidato a governador do PL disse que o ex-prefeito poderia tratar o pleito eleitoral com mais seriedade. “Mas ele fica fugindo, numa demonstração clara de que não tem coragem para enfrentar e superar as dificuldades de um debate dentro das regras, presta um desserviço e mostra ser uma a anti-liderança para o povo baiano”, salientou o candidato a governador apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL).

O ex-ministro da Cidadania também criticou a forma como a atual gestão estadual do PT, que já completa 16 anos, trata os servidores. “Atualmente o governo do estado trata o servidor como adversário ou como uma mera despesa no final do mês”, disse Roma, que citou a questão do pagamento dos precatórios que deve ser votado ainda esta semana na Assembleia Legislativa. “O estado fica criando artifícios para dificultar uma coisa que é líquida e certa para o servidor, o precatório da Educação”, comentou Roma, referindo-se aos recursos do Fundef.

Leia mais...

ROMA REITERA QUERER DISTÂNCIA DE ACM NETO

O candidato a governador da Bahia, ex-ministro da Cidadania e deputado federal, João Roma (PL), descartou veementemente a possibilidade de aderir ao grupo do ex-prefeito de Salvador, ACM Neto. Ao ser questionado em entrevista na Rádio Sociedade da Bahia sobre boatos de que “ele seria ‘cooptado’ pela campanha adversária”, Roma foi claro e contundente na resposta: “Quem me conhece sabe muito bem que a palavra cooptação não faz parte do meu vocabulário. E eu já reafirmei no último debate da Bandeirantes que, de ACM Neto, eu quero distância”.

O ex-ministro da Cidadania disse que o ex-prefeito da capital representa uma política atrasada. “A Bahia do século 21 não combina com práticas políticas antigas do ‘toma lá dá cá’, da troca de favores, do empreguismo e da perseguição, praticadas por ele. Além do mais, eu estou com Bolsonaro e contra Lula. Ele não”.

Para Roma, tanto ACM Neto quanto o candidato do PT, Jerônimo Rodrigues, têm como marca a elevação de impostos. “Só sabem aumentar os impostos para distribuir migalhas durante as eleições. Nós não queremos distribuir migalhas, nós queremos chegar no governo do estado para baixar os impostos e melhorar a vida dos baianos”, salientou.

O candidato a governador, apoiado pelo presidente Bolsonaro, manifestou também sua preocupação com a falta de política de segurança pública e com a falta de segurança inclusive para os policiais civis e militares, que muitas vezes, devido aos salários baixos, são obrigados a morar em locais dominados pelo crime organizado.

“Precisamos mudar essa postura de como o governo trata os policiais”, observou Roma. Segundo ele, em relação à moradia, é fundamental que, como em muitos lugares do mundo, tenhamos vilas militares e outras políticas para que os policiais possam ter acesso à casa própria, ter uma moradia minimamente protegida, longe da interferência do crime organizado.

Roma disse ainda que o crime na Bahia não é esporádico. “É um crime sistêmico, porque o crime organizado viu na Bahia solo fértil. Hoje o crime não é só em Salvador, é por toda a Bahia, inclusive na zona rural que antes era sinônimo de paz e tranquilidade.

Leia mais...

ROMA QUER AMPLIAR EFETIVO DE POLICIAIS PARA COMBATER VIOLÊNCIA NA BAHIA

O candidato a governador da Bahia, ex-ministro da Cidadania e deputado federal, João Roma (PL), quer aumentar o efetivo de policiais na Bahia com a realização de concursos anuais não só para reposição de vagas. “Vamos ampliar a presença de policiais nas ruas”, garantiu Roma, em entrevista à Rádio Nova Brasil FM, na manhã desta segunda-feira (29). “A violência hoje na Bahia não é esporádica, ela é sistêmica”, apontou o ex-ministro da Cidadania.

Roma criticou a omissão do estado frente aos conflitos por terra no extremo sul da Bahia. “Queremos lei, ordem e segurança jurídica”, disse Roma, que apontou a desobediência para o cumprimento de ordens legais para a realização de reintegrações de posse contra grupos que invadem propriedades de produtores rurais. O candidato do PL disse que, nesse sentido, o governo do PT na Bahia cria uma situação que acaba por demandar que os próprios fazendeiros se defendam: “não queremos justiceiros, mas o império da lei”.

O ex-ministro da Cidadania ressaltou que o descaso com os policiais baianos é um reflexo da política destinada ao geral dos servidores públicos na Bahia. “É um governo que não tem melhorado a vida do povo baiano. Conseguiram corroer toda a estrutura de serviço público e não conseguem mais entregar o mínimo de serviços à população”, comentou Roma, que também apontou a precariedade na educação e na saúde.

O candidato a governador apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro disse que também tem trabalhado para trazer investimentos para a capital baiana. “Tenho buscado ajudar a prefeitura de Salvador, e o atual prefeito [Bruno Reis] sabe muito bem que nunca me esquivei de trazer benefícios para a cidade, destinando inclusive recursos e atuando no governo federal para que Salvador possa receber empréstimos”, destacou Roma, que também apontou ações em favor de Feira de Santana, Vitória da Conquista e Juazeiro, dentre outras cidades.

Leia mais...

ROMA CONFIRMA A IDA DE BOLSONARO A VITÓRIA DA CONQUISTA NESTE SÁBADO

O candidato a governador da Bahia, ex-ministro da Cidadania e deputado federal, João Roma (PL), confirmou a vinda do presidente Jair Bolsonaro, no próximo sábado (27), para cumprir agenda em Vitória da Conquista. “Aproveito a oportunidade para convidar a todos que possam para, no próximo sábado pela manhã, lá em Vitória da Conquista, receber o nosso presidente Bolsonaro e fazer um bonito evento para cada vez mais colocarmos a Bahia de mãos dadas com o Brasil”, disse Roma, em entrevista à Rádio Povo FM, de Jequié.

Ao ser questionado sobre quais mudanças realizaria se for eleito governador, Roma destacou que mudaria a forma de governar para atrair mais investimento e gerar empregos, não utilizando cargos públicos para fazer loteamento de espaço, prejudicando a competitividade. “O que falta hoje na Bahia é justamente essa visão mais moderna e profissional para colocar as pessoas que realmente possam responder por esses serviços básicos para população”, declarou Roma, que defende a indicação de cargos técnicos para gerir o Estado, assim como vem fazendo o presidente Jair Bolsonaro em âmbito nacional.

O candidato a governador do PL disse que as obras que vêm chegando à Bahia durante o governo do presidente Jair Bolsonaro “tornarão Jequié um importante entreposto logístico da Bahia”. Além disso, Roma defendeu uma ação maior para os produtores rurais. “A nossa candidatura é a de um produtor rural, de um irrigante que sabe onde o calo aperta”, disse Roma, que apontou que um produtor leva até cinco anos para conseguir uma outorga d´água e que, por isso, perde investimentos e deixa de gerar emprego.

O ex-ministro da Cidadania disse ainda que vai instituir, no âmbito da Segurança Pública, o programa Rondas Rurais. “O crime se instalou por todo lado da Bahia e também na zona rural, que antes era sinônimo de paz e tranquilidade”, constatou Roma, que voltou a criticar uma fala do governador Rui Costa, do PT, que afirmou que o tráfico de drogas emprega muitos jovens. “Alguém precisa avisar ao governador que isso não é emprego, mas descaminho para a nossa juventude”, disse Roma.

Leia mais...

TRE-BA DETERMINA QUE PROS PERMANEÇA NA COLIGAÇÃO DE ROMA

A desembargadora Zandra Anunciação Alvarez Parada, do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA), determinou, em decisão proferida na quinta-feira (18), que o Pros permaneça na coligação que dá apoio à candidatura de João Roma (PL) a governador da Bahia.

A decisão do TRE-BA determina que seja respeitado o resultado da convenção realizada pelo Pros em 5 de agosto. O TRE entendeu que, após esta convenção, outra composição da comissão provisória do Pros “deliberou pela integração do PROS à Coligação Impugnada [do candidato ACM Neto, do União Brasil], sem deter legitimidade para o ato, visto que composta por comissão provisória com número de membros inferior ao disciplinado pelo Estatuto e sem a prévia convocação dos convencionais”.

O tempo de propaganda de rádio e TV do partido, referente ao horário eleitoral gratuito, permanecerá com João Roma, que já havia manifestado que a mudança de posição do Pros carecia de embasamento legal uma vez que foi realizada após ter expirado o período das convenções.

Leia mais...

ROMA CRITICA TRATAMENTO A ZÉ RONALDO: “PERCEBEU DA PIOR FORMA O CARÁTER DE ACM NETO”

O pré-candidato a governador da Bahia, ex-ministro da Cidadania e deputado federal, João Roma (PL), afirmou que ficaria muito feliz com a participação de Zé Ronaldo em sua campanha, em entrevista à rádio Princesa FM, de Feira de Santana, na manhã desta segunda-feira (08).

“Zé Ronaldo defendeu Bolsonaro na eleição de 2018. É um líder conectado com o povo, sendo uma voz de grande diferencial, que agrega muito ao nosso projeto de uma mudança de verdade para a Bahia”, disse.

Para Roma, ao lado de Zé Ronaldo muito mais poderá ser feito por Feira de Santana e região. “A maior cidade do interior do Nordeste reconhece quem ajuda o seu desenvolvimento. Ao contrário de ACM Neto que virou as costas para Feira antes mesmo das eleições”.

O ex-ministro da Cidadania assinalou que o ex-prefeito de Salvador, ACM Neto, foi covarde não só com a política ao descartar Zé Ronaldo como seu vice, mas com as pessoas. “Não se pode tratar desse jeito um líder político. Isto não está certo. A população de Feira está enxergando. E todo o mundo está vendo a revolta causada com a forma desrespeitosa como ele (ACM Neto) tratou um grande líder da região”.

Em entrevista concedida pouco depois à Rádio Subaé, ao também ser questionado sobre o assunto, Roma disse que o ex-prefeito “percebeu da pior forma o caráter de ACM Neto. E isso está revelado na chapa dele, que cada vez mais mostra que não tem compromisso com o povo baiano. Zé Ronaldo não estava no lugar certo porque lá não são pessoas que estão fazendo política como a arte do bem como comum, para melhorar a vida das pessoas. Ele estava ao lado de pessoas que estavam buscando um projeto de interesse pessoal”.

Enfático, Roma reiterou que “independentemente de posição política cada um tem que ser respeitado”. “As pessoas têm que respeitar as outras e não ser como esse projeto que a gente ver aí que mais parece, ao invés de ser um projeto para governar a Bahia, um projeto individual de poder, um empreendimento privado, que só respeita as pessoas que têm dinheiro e não respeita as pessoas que têm serviços prestados”.

O candidato a governador do PL aproveitou e disse que tem muito orgulho de ter em sua chapa uma candidata a vice que é de Feira de Santana, a médica Leonídia Umbelina. “Dra. Leonídia conhece com muita sensibilidade o sofrimento de nosso povo e está nos ajudando muito nesta caminhada. Assim como a candidata a senadora Dra. Raíssa, uma mulher de coragem que fará toda a diferença no Senado Federal”.

Leia mais...

CHUMBO TROCADO NÃO DÓI

No terceiro bloco do Debate Band Bahia, na noite deste domingo (07), o candidato do PT Jerônimo Rodrigues acusou o candidato João Roma de ter participado de todas as mazelas do candidato do União Brasil, ACM Neto, quando este foi prefeito de Salvador e Roma era chefe de gabinete do então prefeito.

João Roma respondeu que a pseudo rivalidade entre União Brasil e PT é “uma farsa para gregos e troianos”, já que o ex pré-candidato a presidente Luciano Bivar desistiu de sua candidatura para apoiar Lula, muito embora a candidatura de Bivar já tenha sido substituída pela da senadora Soraia.

Rodrigues disse que vai repetir o que vem acontecendo desde que o PT venceu a eleição na Bahia pela primeira vez, ultrapassando ACM Neto: irá vencer no primeiro turno, derrotando aquilo que “só não é mais repugnante do que ver um candidato defendendo um governo federal que destruiu o Brasil”, respondeu Jerônimo.

Leia mais...

DEBATE BAND BAHIA: JOÃO ROMA CITA ITABUNA COMO EXEMPLO DE ABANDONO NAS POLÍTICAS SOCIAIS

No segundo bloco do Debate Band Bahia com candidatos ao governador da Bahia, o candidato do PL, João Roma, citou a cidade de Itabuna como um exemplo de ineficiência do Governo do Estado no que se refere às promessas feitas para minimizar os efeitos da enchente do Rio Cachoeira em dezembro do ano passado.

Roma destacou que o governador Rui Costa prometeu construir novas moradias para as pessoas que ficaram desabrigadas e, até o momento, uma casa sequer foi construída na cidade.

Para se defender, Jerônimo Rodrigues, candidato apoiado pelo governador Rui Costa citou ações de transferência de renda para estudantes, para moradores em extrema vulnerabilidade e, sobre as moradias, disse que o projeto já está pronto, dependendo apenas que o governo municipal indique em qual local as casas serão construídas.

No terceiro bloco, Roma falou ainda da duplicação da Rodovia Jorge Amado (BR-415 Ilhéus / Itabuna), indicando os trabalhos feitos pelo Governo Federal e e que ele classificou como “desperdício de verba pública” construindo uma nova estrada no lado oposto do Rio Cachoeira.

Jerônimo Rodrigues, do PT, disse que o que João Roma chama de “duplicação”, na verdade, chama a ação do Governo Federal como transformação da BR-415 em estrada da morte, já que não houve duplicação, e sim, ampliação das pistas retirando as áreas de escape e de segurança nos trechos, especialmente os acostamentos, colocando em risco as vidas de transeuntes e ciclistas.

Leia mais...

JERÔNIMO ATRIBUI AUMENTO DA VIOLÊNCIA NA BAHIA À APOLOGIA DAS ARMAS DO GOVERNO FEDERAL

Em debate que já está no ar desde às 21h, na TV Band Bahia, o primeiro do processo eletivo das eleições de 2022, o candidato do PT, Jerônimo Rodrigues, foi questionado pelo jornalista Levi Vasconcelos, da Rádio Band News FM, sobre os índices de violência no estado, que aumentaram mais que o dobro até 2019, indo na contra-mão das reducões registradas nas outras regiões do país.

Para se defender, Rodrigues citou os investimentos da Secretaria de Segurança Pública na ampliação do número de delegacias e na no aumento no número de trabalhadores de segurança, tanto na Polícia Militar quanto na Polícia Civil. O candidato ainda se solidarizou com todos os familiares que tiveram perdas de entes queridos em situações de violência e citou o discurso do presidente da República, Jair Bolsonaro, a favor do livre armamento por parte da população como principal motivo para os índices de violência na Bahia estarem tão altos.

O candidato João Roma (PL) foi sorteado para comentar a resposta de Jerônimo Rodrigues e disse que nenhuma gestão do PT priorizou as políticas de segurança pública, ao que o candidato Jerônimo Rodrigues disse que é impossível diminuir índices de segurança quando se tem um candiadato a presidente quando o seu maior símbolo de campanha é fazer um gesto de “arminha” com as mãos.

Participa ainda do primeiro debate da Band na Bahia o candidato Kleber Rosa, do PSOL, que declarou logo no início do debate apoio incondicional à candiadatura de Luís Inácio Lula da Silva (PT) à presidência.

O candidato do União Brasil, ACM Neto, não participa do debate, que acontece em 9 estados e ainda no Distrito Federal.

Leia mais...