Serra Grande
Ieprol
Ubaitaba Inst novo
Buerarema
URUÇUCA
Navegação na tag

PSL

ITABUNA: BABÁ CEARENSE DECIDE QUE VAI DISPUTAR REELEIÇÃO PARA VEREADOR

O Vereador José Erivânio Sobreira, o Babá Cearense, conversou com o iPolitica nesta segunda-feira, 20, e afirmou que declinou da pré-candidatura a Prefeito e vai disputar a reeleição para vereador em outubro.

Com uma base eleitoral consolidada, Babá acredita que o trabalho que desenvolveu na Câmara, fazendo uma oposição responsável ao Governo do Prefeito Fernando Gomes, vai nortear sua campanha. Babá Cearense adiantou, também, que permanece no PSL, e tem analisado cuidadosamente a quem vai apoiar para Prefeito.

Leia mais...

BOLSONARO DECIDE SAIR DO PSL E CRIAR PARTIDO PARA ‘JUNTAR CEM DEPUTADOS’, DIZ COLUNA

O Presidente Jair Bolsonaro vai anunciar nos próximos dias a criação de um novo partido, e o começo da coleta de assinaturas em todo o país para tanto, indica o Jornalista Guilherme Amado, da Revista Época.

De acordo com a Coluna, o objetivo seria “juntar 100 deputados” de diversas siglas, nas palavras de um aliado do Bolsonaro. Bolsonaro espera atrair integrantes de PSL, Novo, DEM, PP, PTB, PL, Podemos e até do PSDB, recorrentemente criticado pelo presidente.

Conforme revelado pelo repórter Igor Gadelha, Bolsonaro está decidido a sair do PSL e deve fazer o comunicado nesta terça-feira, 12, numa reunião com deputados do PSL no Planalto.

A criação de um novo partido permitiria que os integrantes do PSL e de quaisquer outros partidos que quisesse migrar o façam sem perder o fundo partidário e o tempo de TV a que tem direito.

Leia mais...

FILHOS DE BOLSONARO TÊM REDE DE FAKE NEWS COM 1.500 PERFIS, DENUNCIA JOICE

Carlos, Eduardo e Flávio Bolsonaro são líderes de uma rede especializada em campanhas de difamação e notícias falsas usando aplicativos de mensagens, aponta a Coluna Poder, da Folha de São Paulo. A denúncia é da deputada federal Joice Hasselmann (PSL), que sempre trocou ataques com os filhos do presidente e recentemente se tornou alvo preferencial do clã.

Segundo a deputada, que conversou com o UOL antes de gravar o programa “Roda Viva”, da TV Cultura, os filhos do presidente mantêm funcionários que criam perfis falsos em redes sociais, como Instagram, WhatsApp e Twitter.

A atuação dos filhos de Jair Bolsonaro (PSL) se daria, de acordo com Joice, por meio de ao menos 1.500 perfis falsos, que alimentam uma rede propulsora de informações, a chamada “milícia digital”, nas palavras da parlamentar. “Não é só fake news, mas também campanhas de difamação”.

Segundo a publicação, Joice afirmou que fará denúncia ao Ministério Público e apresentará queixa na Comissão de Ética da Câmara dos Deputados. “Não vou ficar apanhando e ficar quieta.”

Leia mais...

EDUARDO BOLSONARO É O NOVO LÍDER DO PSL NA CÂMARA

O Deputado Federal e filho do presidente da República, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), foi eleito novo líder do Partido Social Liberal na Câmara de Deputados. O nome de Eduardo apareceu no sistema da Câmara como ocupante do cargo nesta segunda-feira, 21.

O ex-líder do PSL, Delegado Waldir (PSL-GO), publicou um vídeo onde reconhecia que a liderança do partido havia passado para Eduardo. Uma lista com 28 assinaturas de deputados federais, apoiadores de Bolsonaro, foi entregue e aceita pela secretaria parlamentar.

Eduardo chegou a fazer um discurso no plenário mas não comentou sobre a eleição, mas disse à imprensa que pela noite faria uma coletiva sobre o assunto. Com informações do G1.

Leia mais...

PETISTAS VÃO CONVIDAR JOICE PARA DEPOR NA CPI DAS FAKE NEWS

Um grupo de parlamentares do PT vai convidar a deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) para prestar esclarecimentos à CPI mista das fake news, aponta a Jornalista Mônica Bérgamo, da Folha de São Paulo.

O convite é devido a uma postagem em uma rede social na qual ela diz não temer a “milícia digital” pró-Bolsonaro. “Não estou preocupada. Tenho coisas mais importante para resolver”, disse Joice à coluna.

Na última sexta-feira,18, ela postou que “não tenho medo da milícia, nem de robôs!”. “Eu sei quem vocês são e o que fizeram no verão passado”, disse. (Relembre). A mensagem exibe uma montagem com o rosto de Joice em uma nota de R$ 3.

A imagem foi postada pelo Deputado Federal, Eduardo Bolsonaro, em retaliação à fala de Joice que disse que ele “não consegue nada sozinho”. Na quinta-feira, 17, ela foi destituída da liderança do governo no Congresso.

Leia mais...

BIVAR NEGOCIA FUSÃO DO PSL COM O PP, APONTA COLUNA

As conversas de fusão do DEM com o PSL estão perdendo força, e Luciano Bivar sentou à mesa com outro cacique da direita: Ciro Nogueira, o poderoso cacique do Progressistas. Os dois estão negociando uma eventual fusão entre o PP e o PSL.

De acordo com a Coluna de Guilherme Amado, na Revista Época, Nogueira ofereceu a Bivar o domínio total da Fundação Milton Campos e o comando do diretório de Pernambuco, além de assento na Executiva nacional do PP a deputados que migrassem com ele do PSL para a nova sigla nascida da fusão.

Ainda segundo a publicação, Bivar ainda não topou porque teme perder poder demasiadamente. Entretanto, a tese da fusão como solução para a crise é bem vista por Bivar.

Os deputados hoje no PSL e que não queiram continuar na nova sigla não perderiam o mandato, mas teriam que deixar para trás o dinheiro do fundo partidário e o tempo de TV a que tem direito.

Leia mais...

BOLSONARO TROCA LÍDER DO GOVERNO NO CONGRESSO POR SENADOR DO MDB

A deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) foi substituída da liderança do governo, no Congresso, pelo senador Eduardo Gomes (MDB-TO). Com toda essa crise partidária que se espalha no governo de Jair Bolsonaro, o presidente se sentiu traído, de certa forma, por Joice, após a parlamentar assinar uma lista favorável a permanência de Delegado Waldir, como líder do PSL na casa.

Após uma imensa confusão com as listas, tanto a favor da permanência do Delegado Waldir como contraria, Bolsonaro, que indicou seu filho, Eduardo, para assumir a liderança do partido, ficou desconfortado em saber que Joice tomou uma decisão contraria a dele. O novo líder do governo, o sergipano Eduardo Gomes, é o vice-líder do governo e foi o senador mais votado no Tocantins pelo Solidariedade. Gomes filiou ao MDB em 29 de janeiro, dias antes de sua posse. O senador já integrou o PSB e o PSDB.

Eduardo Gomes (MDB), senador escolhido por Bolsonaro para representar o Governo no Congresso

Em defesa do governo, Gomes foi um defensor ferrenho a favor da proposta de emenda à Constituição da Previdência, no primeiro turno, foi contra a suspensão dos decretos sobre armas apresentados por Bolsonaro, foi relator de uma proposta na qual destina R$ 3,04 bilhões de créditos suplementares para seis ministérios e é titular em seis comissões, entre elas a de Assuntos Sociais e a Comissão de Serviços de Infraestrutura.

Em suas redes sociais, Joice disse que continua apoiando o presidente, desde que ele queira ‘realmente combater a corrupção’.

Contrariada por Eduardo Bolsonaro, que preside o diretório do PSL em São Paulo, Joice ainda disse que “ganho minha alforria e mais tempo para cuidar do meu mandado e da minha candidatura à prefeita”, sendo que a parlamentar não está nos planos do filho de Bolsonaro para concorrer às eleições em São Paulo.

Leia mais...

POLÍCIA FEDERAL FAZ BUSCAS NA RESIDÊNCIA DE LUCIANO BIVAR, PRESIDENTE DO PSL

A polícia federal cumpriu mandado de busca e apreensão, nesta terça-feira (15), contra Luciano Bivar, deputado federal e presidente do Partido Social Liberal – PSL. As investigações apuram o uso de falsas candidaturas, popularizadas como ‘candidatura laranja’. Também foram cumpridos mandados na sede do PSL em Pernambuco.

Bivar, que reside em Jaboatão dos Guararapes, em Pernambuco, é alvo de uma investigação onde está sendo acusado de ter desviado os valores do fundo eleitoral que são destinados às candidaturas de mulheres. Segundo aponta a PF, esse recurso teria sido desviado para outros candidatos do sexo masculino.

O advogado de Bivar disse ter estranhado a operação logo após um ‘momento de turbulência’ entre o Bivar e Bolsonaro, que recentemente ameaçou em deixar o partido (Relembre). “A defesa enfatiza que o inquérito já se estende há 10 meses, já foram ouvidas diversas testemunhas e não há indícios de fraude no processo eleitoral. Ainda na visão da defesa, a busca é uma inversão da lógica da investigação, vista com muita estranheza pelo escritório, principalmente por se estar vivenciando um momento de turbulência política”, diz a nota, assinada pelo escritório de advocacia de Ademar Rigueira. A Policia Federal não quis comentar a declaração do advogado.

Bolsonaro, até o momento desta publicação, não comentou sobre o caso. Com informações do G1.

Leia mais...

ITABUNA: BABÁ CEARENSE AGUARDA DEFINIÇÃO DE BOLSONARO PARA SE PRONUNCIAR

Atento as movimentações do seu partido a nível nacional, o Vereador José Erivânio Sobreira, o Babá Cearense (PSL) afirmou ao iPolitica que só vai se pronunciar após definição da situação do Presidente Jair Bolsonaro em relação a saída ou não do partido.

Nos últimos dias, o clima entre o Bolsonaro e o Presidente Nacional da legenda, Luciano Bivar, se tornou insustentável. Na Bahia, a Presidente Estadual do PSL, Deputada Federal Dayane Pimentel, tem dito que não haverá debandada do partido e que tudo será resolvido.

Enquanto isso, a troca de farpas, insinuações e pedidos de auditoria vão ditando o imbróglio.

Leia mais...

PSL REAGE AS CRITICAS DE BOLSONARO E VAI PEDIR AUDITORIA NAS CONTAS DA CAMPANHA PRESIDENCIAL

O Partido Social Liberal – PSL, liderado pelo empresário Luciano Bivar, decidiu solicitar uma auditoria nas contas da campanha presidencial de Jair Bolsonaro. A ‘richa’ entre Bivar e Bolsonaro começou depois que o presidente, junto com 21 parlamentares, solicitou acesso às contas do partido.

Em conversa com um apoiador e pré-candidato em Recife, Bolsonaro pediu que o homem esquecesse o PSL, justificando que a imagem de Luciano Bivar prejudicaria tanto ele quanto a sua pré-candidatura. “Esquece o PSL, tá ok? Esquece. O cara tá queimado pra caramba lá (ele se referindo a Bivar). Esquece esse cara. Esquece o partido”, disse Bolsonaro.

Na última quarta-feira, 9, o presidente da sigla avaliou que a fala do presidente foi ‘terminal’ e que o presidente ‘já está afastado da legenda’. “A fala dele foi terminal, ele já está afastado. Não disse para esquecer o partido? Está esquecido”, disse Bivar. O presidente do PSL disse também que não sabe o que passa pela cabeça de Bolsonaro, mas que quer “paz”.

A filiação de Bolsonaro ao PSL aconteceu em 2018, a fim de disputar o pleito presidencial. Com o status de ‘nanico’, o partido se beneficiou com a famosa ‘onda Bolsonaro’, o que resultou na eleição da segunda maior bancada da Câmara dos Deputados na última eleição.

Bivar é um dos nomes do PSL citados em investigações sobre supostas irregularidades na campanha eleitoral de 2018. Em Pernambuco, a Justiça Eleitoral apura se o parlamentar usou uma candidata laranja para desviar de dinheiro do fundo especial de campanha. Ele nega irregularidades. Com informações do G1.

Leia mais...

TSE REJEITA AÇÃO DO PSL CONTRA FERNANDO HADDAD E FOLHA DE SÃO PAULO

Em julgamento realizado na sessão desta quinta-feira (19), o Plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), seguiu entendimento do Ministério Público Eleitoral e, por unanimidade, julgou improcedente ação judicial de investigação eleitoral proposta por Jair Bolsonaro e pela coligação “Brasil Acima de Tudo, Deus Acima Todos” (PSL/PRTB). Os alvos foram Fernando Haddad e Manuela D’Ávila, candidatos a presidente e vice-presidente da República, respectivamente, nas eleições de 2018, a repórter da Folha de S. Paulo Patrícia de Campos Mello, Luiz Frias (presidente do grupo Folha) e Maria Cristina Frias (então diretora de redação).

Os autores alegavam ocorrência de prática de abuso de poder econômico e uso indevido dos meios de comunicação social em razão de uma matéria publicada pelo jornal, em 18 de de outubro do ano passado. O texto relatava a contratação por empresários de serviços de disparo em massa de mensagens pelo aplicativo WhatsApp a favor da campanha do atual presidente da República.

Os ministros acompanharam o voto do relator, Jorge Mussi, para quem as matérias jornalísticas estão abrangidas pela prerrogativa constitucional da liberdade de imprensa e de expressão. Em seu voto, Mussi salientou que a Folha colheu a manifestação de todos os envolvidos, assegurando apresentação de duas versões acerca dos fatos. “Essa circunstância, a meu sentir, afasta peremptoriamente a alegada implementação de um suposto estratagema previamente discutido entre os investigados e por eles organizados para promover a campanha contra Jair Bolsonaro”, pontuou.

Em sustentação oral, o vice-procurador-geral Eleitoral, Humberto Jacques de Medeiros, observou que críticas aos comportamentos de candidatos, redes sociais e veículos de imprensa são próprios da liberdade de um regime democrático numa disputa eleitoral. Para ele, não consta dos autos, nem na jurisprudência da Corte nenhum dos elementos caracterizadores de abuso em condições de desequilibrar as eleições. “Ao ver do Ministério Público, o caso mais demonstra a normalidade e regularidade do pleito do que a sua anomalia”, disse.

Segundo a jurisprudência do TSE, o uso indevido de meios de comunicação “caracteriza-se por se expor desproporcionalmente um candidato em detrimento dos demais, ocasionando desequilíbrio na disputa”, ressaltando-se que “a imprensa escrita pode se posicionar favoravelmente a determinada candidatura sem que isso caracterize de per se o mencionado ilícito, devendo ser punidos pela Justiça Eleitoral os eventuais excessos”.

A Corte Eleitoral rejeitou ainda a acusação de prática de caixa 2 em razão da ausência de prova de que recursos econômicos da Folha de S. Paulo teriam sido utilizados em prol da campanha dos investigados. “Não ocorreu a apreensão de qualquer numerário na posse dos candidatos, dos dirigentes do jornal da Folha ou de pessoas ligadas à campanha destinados a financiar de forma clandestina gastos eleitorais de Fernando Haddad e de Manuela D’Ávila”, afirmou o relator Jorge Mussi.

Leia mais...

JOÃO AMOÊDO CRITICA CAMINHÃO DE FILIAÇÃO DO PSL COM PROTEÇÃO DA PREFEITURA DO RIO

Um caminhão trio elétrico a serviço do PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, estava estacionando na Avenida Atlântica, que une o bairro de Copacabana a praia, garimpando novos filiados.

Mas o que chamou mais atenção, inclusive do presidente nacional do Partido Novo, João Amoedo, que fazia caminhada na avenida, foi o apoio e proteção da Prefeitura da capital carioca.

“Fiquei Imaginando se os outros 32 partidos pudessem e resolvessem a mesma coisa”, provocou Amoedo em seu Twitter.

Vale ressaltar que assim como o Prefeito do Rio, Marcelo Crivella, o Partido Novo, de Amoêdo, são aliados do PSL.

Recentemente, Amoêdo declarou que não votou em Bolsoanaro, mas votou contra o PT. (Relembre).

Leia mais...

PSL EXPULSA O DEPUTADO FEDERAL ALEXANDRE FROTA

Em uma reunião nesta terça-feira, 13, o Partido Social Liberal (PSL), decidiu por unanimidade (oito votos a zero) expulsar o deputado federal, eleito por São Paulo, Alexandre Frota.

Frota, que passou a fazer duras críticas ao governo Bolsonaro, o qual ele apoiou nas eleições, estava sofrendo um grande desgaste dentro da Câmara. Retirado da vice-liderança do partido na Casa e da Comissão da reforma tributária, Frota também perdeu o comando do diretório municipal da cidade de Cotia, em São Paulo.

O parlamentar chegou a ser também o coordenador do PSL na comissão especial da Previdência, votando a favor da reforma em primeiro turno. Já na segunda votação, Frota se absteve. O partido não poderá acusa-lo por infidelidade partidária, o que deixa a possibilidade do parlamentar buscar outra legenda.

Em julho deste ano, Frota deu uma entrevista onde fez várias críticas ao presidente Bolsonaro, principalmente sobre a indicação de Eduardo Bolsonaro à embaixada brasileira no Estados Unidos. Na ocasião Frota chegou a dizer que a maior decepção dele na vida política foi Bolsonaro. (Relembre)

Leia mais...

MPF ENTRA COM AÇÃO CONTRA INDICAÇÃO DE EDUARDO BOLSONARO PARA A EMBAIXADA DO ESTADOS UNIDOS

O Ministério Público Federal entrou com uma ação civil pública, nesta segunda-feira, 12, contra a indicação de Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) à embaixada brasileira no Estados Unidos.

A ação foi peticionada na justiça do Distrito Federal, onde o MPF solicitou análise de critérios técnicos para assumir o cargo. O MPF não colocou em sua petição a questão parental do deputado federal Eduardo Bolsonaro, que é filho do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Segundo o MPF a embaixada de Washigton é considerado o mais importante posto dentre as embaixadas e que a escolha de pessoas não técnicas para o cargo implica numa imagem negativa para o país.

Os procurados afirmaram que há “perigo do dano caso se efetive a indicação de pessoa sem a preparação adequada para estabelecer intensas negociações com agentes estrangeiros” e pediram prioridade na análise técnica do filho do presidente Bolsonaro. Com informação da Revista Época.

Leia mais...

‘HERÓI NACIONAL’, DISSE BOLSONARO SE REFERINDO AO CORONEL USTRA

O presidente da república, Jair Bolsonaro (PSL), disse nesta quinta-feira (8) que o coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, chefe do DOI-Codi durante a ditadura militar, é um “herói nacional”. Bolsonaro já tinha feito menção a Ustra na votação da abertura do processo de impeachment de Dilma Rousseff, dizendo que tinha sido o “terror” da presidente.

Ustra chefiou o DOI-Codi entre 29 de setembro de 1970 a 23 de janeiro de 1974, onde foram registrados cerca de 45 casos entre mortes e desaparecimentos forçados, de acordo com informações da Comissão Nacional da Verdade, a qual apura dados e casos de desaparecimentos e torturas durante o período da ditadura militar.

A declaração foi dada na saída do palácio da Alvorada, onde disse também que tem um almoço agendado com Maria Joseíta Silva Brilhante Ustra, esposa do coronel Ustra. “Tem um coração enorme. Eu sou apaixonado por ela. Não tive muito contato, mas tive alguns contatos com o marido dela enquanto estava vivo. Um herói nacional que evitou que o Brasil caísse naquilo que a esquerda hoje em dia quer”, afirmou o presidente.

Ustra que foi o primeiro militar brasileiro a responder processos por tortura durante a ditadura, foi julgado em 2008 pelo juiz Gustavo Santini Teodoro, da 23ª Vara Cível Central de São Paulo, onde foi julgado procedente a autoria dos crimes de tortura durante o período em que esteve a frente do DOI-Codi.

Em 2012 ele foi condenado a pagar indenização por danos morais à esposa e à irmã do jornalista Luiz Eduardo da Rocha Merlino, morto em julho de 1971. Ustra morreu em 2015, aos 83 anos. Com informações do G1.

Leia mais...