Plansul
COLÉGIO JORGE AMADO
Buerarema
Pref ilheus junho
Ieprol
Navegação na tag

Ressocialização

CONJUNTO PENAL DE ITABUNA CERTIFICA REEDUCANDOS EM CURSO DE MÚSICA

Com objetivo de intensificar os esforços pela reintegração social dos reeducandos deste Conjunto Penal, está em curso o Projeto Um Toque à Liberdade, que oferece aulas de violão a um grupo de alunos selecionados pelo Setor de Terapia Ocupacional. O evento terá a participação especial do cantor David Nascimento, ex- The Voice Brasil.

O projeto contemplou, nesse primeiro momento, uma turma inicial com 12 alunos, que serão certificados no próximo dia 13, sexta-feira, no Centro de Ressocialização, com uma apresentação especial para os convidados.

O Concerto Um Toque à Liberdade se insere nesse contexto, inclusive na valorização do esforço de cada um dos concluintes, que venceram mais essa batalha, e agora carregam uma bagagem musical, que, mesmo inicial, pode gerar oportunidades diversas em sua vida em liberdade.

Ao longo dos últimos anos, o Conjunto Penal de Itabuna tem implementado diversos projetos que auxiliam na ressocialização daqueles que desejem trilhar novos caminhos., a partir da educação, do trabalho, da arte e da cultura, elementos essenciais na busca pela reintegração social dos reeducandos.

Leia mais...

ITABUNA: INTERNOS DO CONJUNTO PENAL REALIZAM SONHO DE CURSAR UMA FACULDADE

Três internos do Conjunto Penal de Itabuna (CPI) iniciaram, nesta terça-feira (8), uma nova etapa de suas vidas: passaram a ser, de fato e de direito, estudantes do Ensino Superior. A cerimônia de entrega da documentação de matrícula, carga horária e conteúdos programáticos foi realiza no próprio CPI e contou com a presença do juiz da Vara de Execuções Penais e Medidas Alternativas da comarca de Itabuna, Antônio Carlos Maldonado, do diretor do CPI, capitão PM Adriano Valério Jácome, e de representantes da OAB e Conselho da Comunidade para Assuntos Penais, além da empresa Socializa Brasil, que administra a unidade em regime de cogestão com o Governo do Estado.

Não foi um caminho fácil, como reconheceram os “calouros”, as autoridades e profissionais da educação e ressocialização – da empresa Socializa Brasil e do Colégio Estadual de Itabuna, que tem um anexo no CPI. “Por isso mesmo cada um de vocês leva sobre si uma grande responsabilidade. Hoje vocês podem ser modelos para outros estudantes em situação de cárcere que, vendo seus exemplos, podem escolher o caminho da educação para a reinserção social, que é o objetivo maior de suas passagens pelo sistema carcerário”, observou o diretor Adriano Jácome.

Na mesma linha, o juiz Antônio Carlos Maldonado, que autorizou a matrícula e a saída dos estudantes, destacou o empenho da equipe do Conjunto Penal que, com todas as dificuldades, possibilitou a realização desse sonho, e a dedicação de cada um dos novos estudantes. “Esse é um momento muito importante na vida de cada um de vocês. Pessoalmente, não tenho informação, na Bahia – pelo menos no interior – de internos do sistema prisional cursarem o Ensino Superior. É uma grande honra e uma grande responsabilidade para todos”.

Reconstrução

Todos os novos estudantes estão no regime semiaberto. Os três já foram inseridos em atividades laborativas de apoio ao próprio Conjunto Penal, o que significa que, trabalhando no contraturno, farão jus a remuneração para auxiliar na manutenção dos seus estudos. Passam a ser, na prática, colaboradores da empresa Socializa Brasil.

Os três falaram sobre o novo momento em suas vidas e foram unânimes em reconhecer a oportunidade de transformação que tem a partir dessa nova etapa. “Quero, daqui a alguns anos, poder olhar para meus filhos e, de fato, ser outra pessoa. Decepcionei meus pais, que tinham grandes sonhos para mim, mas tenho a chance de não decepcionar meus filhos”, discursou um. “Para mim, esse é um momento de transformação”, enfatizou o segundo.

Os dois foram seguidos pelo terceiro colega: “quando fui preso, comecei a pensar que essa não era a vida que queria pra mim. Tem um versículo da Bíblia, de autoria do apóstolo Paulo, que, escrevendo aos romanos, disse o seguinte: ‘Detestai o mal, apegando-vos ao bem’. Adotei esse lema para minha vida, dali em diante. Essa é minha oportunidade de cumprir aquilo que decidi naquele dia – apegar-me ao bem e detestar o mal, para reconstruir minha vida a partir da educação”.

Leia mais...