AACRRI
Plansul
Buerarema
Ieprol

VITÓRIA DA CONQUISTA RECEBE DA ALBA O TÍTULO DE “CAPITAL DO BISCOITO”

A produção de biscoitos artesanais tem profunda importância cultural e econômica para Vitória da Conquista. Em homenagem a esta tradição, aAssembleia Legislativa da Bahia (ALBA) aprovou um projeto de lei do deputado estadual Tiago Correia (PSDB) que concede a Vitória da Conquista o título de Capital Estadual do Biscoito.

Feliz com a homenagem, a prefeita Sheila Lemos salientou que os biscoitos são importantes vetores de emprego e renda, principalmente nazona rural e que, com a lei, Vitória da Conquista, demonstra ainda mais seu pioneirismo. “Todos conhecem o biscoito de Vitória da Conquista, em nosso Estado e no Brasil afora, e o nosso querido amigo, Tiago Correia, que é autor do projeto de lei, faz esse reconhecimento. Parabéns, Conquista. Pela tradição, pela cultura e também pela comercialização”, destacou a prefeita.

Segundo o deputado, a iniciativa prestigia a histórica produção tradicional da região e visa apoiar ainda mais esse setor, que é tão pujante para a economia local. “Cresci em Vitória da Conquista vendo minhas avós fazendo biscoito. Para além disso, o próprio Sebrae reconhece tamanha importância deste alimento, que já direcionou estudos específicos sobre seu impacto econômico”, relatou Correia.

 

A produção caseira de biscoitos remonta ao século XIX, marcando, desde então, sua presença nas mesas conquistenses por diversas gerações, até se tornar um símbolo da cidade. A partir da mandioca, principal cultura agrícola regional, ingredientes como o polvilho doce, ovos e leite somam-se à sua massa para criar receitas que podem ser, inclusive, armazenadas por mais tempo. Ao longo dos anos, os biscoitos se tornaram inerentes à culinária local e parte da resistência cultural do povo sertanejo.

O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Marcos Ferreira, comemorou o título e o reconhecimento estadual da relevância da cidade na produção da iguaria. “O setor, pujante em nossa economia local, ainda que na informalidade, em sua maioria, precisa ser incentivado e apoiado, mas, acima de tudo, organizado para uma maior efetividade da sua cadeia produtiva e consequente oferta de empregos. Este será, sem dúvida, um dos grandes desafios da SMDE para o ano de 2024”, afirmou Ferreira.

Atualmente, estão instaladas na cidade mais de 40 fábricas artesanais de biscoitos. Estimativas do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) apontam que Vitória da Conquista produz cerca de 4 mil toneladas de biscoitos por ano, gerando emprego e renda para centenas de famílias. Os quitutes conquistenses são comercializados por todo o país, projetando a cidade nacionalmente.

Marcos ainda ressalta que a Prefeitura tem desempenhado esforços para atender os produtores de biscoito, desde a produção da matéria prima, com programas voltados à cadeia produtiva da mandioca, promovidos pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural (SMDR), até a assistência aos fabricantes, vendedores e empreendedores dos biscoitos, feita pela SMDE. “Entre as atividades programadas em nosso calendário de eventos, dentro do nosso Plano Municipal de Turismo Sustentável (Planturis), está prevista uma Feira do Biscoito Conquistense”, acrescentou o secretário.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.