Ieprol – Matrículas Abertas – Desktop Mobile
Plansul – 31 anos – Desktop/Mobile
Itajuípe – Dengue Novo – Desktop/Mobile
Buerarema – Fevereiro Roxo e Laranja – Desktop/Mobile
AACRRI – Reconstrução PIX – Desktop/Mobile
PM Itabuna – Lavagem do Beco

ITABUNA: AUMENTO DE CASOS SUSPEITOS DE DENGUE SOBRECARREGA HOSPITAL MANOEL NOVAES, ALERTA DIREÇÃO

Nos últimos dias, disparou a quantidade de pessoas com suspeita de arboviroses (como dengue, zika, chikungunya) que tem procurado o Hospital Manoel Novaes (HMN), em Itabuna. O aumento de pacientes que recorrem ao atendimento na urgência e emergência tem sobrecarregado os serviços na unidade materno-infantil no município do sul da Bahia.

Dados apresentados, nesta quinta-feira (14), pela Coordenação Administrativa do Hospital Manoel Novaes, mostram que o número de atendimento subiu 250%, passando de 50 para uma média de 125 por dia. Por conta disso, os pais que procuram a unidade em busca de atendimento para seus filhos têm esperado um pouco mais na Unidade de Pronto Atendimento, que funciona 24 horas, com dois pediatras por turno. A triagem e o atendimento, que funcionam por classificação de risco, tornaram-se procedimentos vitais para priorizar os casos mais graves e garantir que todos os pacientes recebam a atenção necessária. Vale destacar que muitas crianças que chegam ao Manoel Novaes deveriam passar por outras unidades no município. Para o HMN, só deveriam ser levados os casos graves.

A diretora técnica do HMN, médica Fabiane Chávez, alerta que é importante a prevenção e controle das arboviroses. Ela ressalta a necessidade de medidas eficazes de combate ao mosquito transmissor das doenças. “São ações que dependem da participação de todos. Da população, que deve cuidar para não ter criadouros do mosquito, e do poder público, com campanhas de orientação e trabalho de campo. Caso contrário, o sistema de saúde não irá suportar por muito tempo”.

Os dados divulgados hoje indicam que entre os dias 1º e 13 foram contabilizados 1.160 atendimentos pediátricos, sendo 113 realizados nesta quarta-feira. “E pela nossa classificação de risco, 85% dos casos que chegam não são casos da média e alta complexidade. Por causa da falta de direcionamento correto, a nossa unidade está sobrecarregada”, reforçou a médica. “As equipes do nosso hospital seguem a trabalhando, incansavelmente, para fornecer cuidados de qualidade a todos os pacientes, finalizou.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.