Ieprol – Matrículas Abertas – Desktop Mobile
AACRRI – Reconstrução PIX – Desktop/Mobile
Plansul – 31 anos – Desktop/Mobile

ILHÉUS: PROJETO DE LEI NOMEIA PRAÇA DO PACHECO DE PRAÇA BERTHA DO AMARAL PACHECO

O vereador e segundo-secretário da Casa Legislativa de Ilhéus, Fabrício Nascimento (PSB), teve o Projeto de Lei nº 31/2023 de sua autoria, aprovado na 31ª Sessão Ordinária. O PL denomina a Praça da Rua 28 de Junho, no Bairro Pacheco, de “Praça Bertha do Amaral Pacheco”, em homenagem à Maria Albertina Gouveia Pacheco. O PL foi votado e aprovado na última Sessão Ordinária, da terça-feira (20).

Em justificativa, o parlamentar lembrou que a homenageada dedicou cinquenta e quatro anos de sua vida ao magistério. “Berta foi uma das primeiras mulheres a dirigir um automóvel em Ilhéus, não se casou, dedicou toda a sua vida à educação das crianças, que hoje adultos e têm a mesma como uma segunda mãe. Justo que se faça esta homenagem imortalizando seu nome na referida Praça”, disse Fabricio.

Nascida em 9 de outubro de 1922, Maria Albertina Gouveia Pacheco foi filha do Dr. Raymundo do Amaral Pacheco e Esther Gouveia Pacheco, natural de Botucatú, em São Paulo. Ela morou em Avaré, também no Estado de São Paulo, onde seu pai clinicava, quando ela tinha oito anos de idade. Por conta do falecimento de seu avô, em 1930, ela veio morar em Ilhéus com sua família até o seu falecimento, em 02 de junho de 2016.

Maria Albertina formou-se em 1941 na Escola Nossa Senhora da Piedade em Ilhéus. Seu primeiro local de trabalho foi na Escola Afonso de Carvalho e depois fundou a Escolinha Pingo de Gente que funcionava inicialmente na Avenida Soares Lopes. Em 1957 associou-se à sua prima Maria Cleófa Pacheco Sá Barreto e fundaram a Escola Ruy Barbosa que funcionava onde se encontra hoje o prédio da Receita Federal. Berta reabriu a Escolinha Pingo de Gente na sua casa na chácara do Alto da Boa Vista onde reside até hoje.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.